Arquivo da tag: Guajará-Mirim

Fotos para Rondônia : ação humanitária apoia povos indígenas

Mais de cem fotografias brasileiras e estrangeiras estarão disponíveis a partir desta terça-feira (01) no site da ação humanitária “Fotos para Rondônia”. A ação visa ao apoio a diversos povos indígenas e outras populações tradicionais que se encontram em vulnerabilidade frente à COVID-19, no estado de Rondônia, no sul do Amazonas e no noroeste de Mato Grosso. Esta é uma experiência emocionante que nos leva às malhas amazônicas a partir das fotografias! O projeto é construído por muitas mãos que, juntas, vão tecendo nós de histórias para que, a partir da venda de fotografias, possamos auxiliar os povos indígenas dos territórios citados no enfrentamento aos desafios impostos pela COVID-19!

Em meio à pandemia, grupos de fotógrafas e fotógrafos de várias regiões brasileiras, estão se mobilizando com a finalidade de auxiliarem suas localidades a partir da circulação, da venda e da transferência dos valores arrecadados de imagens autorais a ações especificas de apoio a comunidades e populações em extrema vulnerabilidade a situação da COVID 19; da mesma maneira surgindo o “Fotos para Rondônia”.

Todas as fotografias foram disponibilizadas de forma gratuita, por fotógrafas e fotógrafos brasileiros; registrando a forte presença de mulheres e de profissionais da região norte; assim como a presença de fotógrafos estrangeiros, enriquecendo a composição visual desta Galeria “Fotos por Rondônia”, que tem como objetivo a circulação, a venda e a destinação de 100% do valor líquido às comunidades tradicionais, indígenas e ribeirinhas que hoje se encontram em situação de extrema vulnerabilidade nesta parte do território amazônico.

As impressões serão padrão: Fine Art, 20x30cm, acompanhadas de certificado de autenticidade, com valor fixo na aquisição por imagem de R$ 150,00. O valor arrecadado será intermediado pela Associação de Defesa EtnoAmbiental – Kanindé, entidade que receberá via transferências e depósitos os recursos e cuidará dos trâmites contábeis para o direcionamento dos valores líquidos A ARTICULAÇÃO DE SUPORTE AO ENFRENTAMENTO À COVID 19 PELOS POVOS INDÍGENAS DE RONDÔNIA, SUL DO AMAZONAS E NOROESTE DO MATO GROSSO, depois de geridos os custos operacionais e logísticos.

Ressaltando que o montante arrecadado sofrerá descontos logísticos e operacionais como impostos, custos de impressão e envio. E, após esses descontos, que giram em torno de 30% do valor arrecadado, serão direcionados os 70% restantes de forma integral às necessidades das comunidades.  As impressões serão ilimitadas pelo tempo de seis meses; duração do projeto; com entrega gratuita pelos Correios em todo território nacional.

A abrangência do projeto inclui Terra Indígena Rio Branco, Terra Indígena Karitiana, Terra Indígena Karipuna, Terra Indígena Igarapé Lourdes, Terra Indígena Zoró, Terra Indígena Kwaza, Terra Indígena Tubarão Latunde, Terra Indígena Kaxarari, Terra Indígena Sete de Setembro, Terra Indígena Rio Negro Ocaia, Terra Indígena Pacáas-Novas, Terra Indígena Sagarana, Terra Indígena Igarapé Ribeirão, Terra Indígena Igarapé Lage, Terra Indígena Rio Guaporé, Terra Indígena Uru Eu Wau Wau, Terra Indígena Rio Mequens, Terra Indígena Roosevelt além dos povos indígenas em situação urbana Kassupá (São Domingos, Costa Marques e Porto Velho), Puruborá (Seringueiras, Costa Marques, Guajará-Mirim e São Francisco), Guarasugwe (Pimenteiras, Porto Velho e Costa Marques), Migueleno (São Francisco e Porto Velho), Oro Mon (Porto Velho), Paumari (Porto Velho), Karitiana (Porto Velho), Mura (Porto Velho), Parintintin (Costa Marques e Porto Velho), Sakyrabiar (Costa Marques, Guajará-Mirim), Arua (Costa Marques), Tupari (Costa Marques), Cujubim (Costa Marques), Chiquitano (Costa Marques), Canoe (Costa Marques),, Macurap (Guajará-Mirim e São Francisco) Wajuru Porto Rolim Sabane (Vilhena), Maimande (Vilhena), Terena (Vilhena), Negarotê (Comodoro e Tangará) e a Comunidade Tradicional de Nazaré, no Baixo Madeira, em Porto Velho.

Dounia Bouchabki : a beleza e a força da mulher rondoniense brilha em Manaus

fotos : reprodução Facebook

fotos: reprodução/Facebook

A rondoniense Dounia Bouchabki se classificou para o Campeonato Brasileiro de Fisiculturismo que irá acontecer em São Paulo, nas dependências do Ginásio Anhembi nos dias 29,30 e 31 de julho. Dounia concorreu no Campeonato Amazonense de Fisiculturismo, na categoria por altura até 1,63  garantindo a classificação para o brasileiro.

Na rede social Facebook Dounia postou :

Aconteceu em Manaus nos dias 25,26 de junho
Campeonato amazonense de fisiculturismo
Estou em êxtase neste momento. Para quem não sabe eu,desde dezembro, estava me preparando para ir ao campeonato amazonense de fisiculturismo. Amei e amo este esporte às vezes tão descriminado por muitos, amo este esporte onde fazemos sacrifícios às vezes desumanos para podermos entrar nos padrões determinados pela IFBB e claro, subir no palco no melhor shape! Dei o meu coração, dei minha raça, minha determinação. Abdiquei de muitas coisas para subir neste palco, bem sei que falta muita maturidade muscular ainda, sei que não estou totalmente pronta mas obtive minha classificação para estar no campeonato brasileiro! Agora o momento é de foco e de mais garra para estar dentro do meu sonho !
Quero agradecer de coração primeiro ao meu marido Ronaldo Teixeira Ramires, minha filhinha Laura ambos tiveram toda a paciência do mundo para me aturar nesses meses onde os nervos estão à flor da pele, agradecer ao meu coach Rodrigo Junqueira que me deu vários puxões de orelha, aquele que sendo duro comigo e que me fez chorar várias vezes, pois achei que não fosse conseguir obrigada mesmo!! Obrigada ao meu grande amigo Marcos Silva por ele ter me mostrado este esporte tão lindo que me apaixonei, meus amigos que acreditaram em mim sempre! Meu campeonato começou aos 41 anos de idade! Vamos lá ainda dá tempo!!!

Agora é hora de aparecer patrocinadores para impulsionar a carreira da atleta que representa o Estado neste esporte por vezes relegado a um segundo plano.

Em frente, Dounia !

Parabéns , Guajará-Mirim ! Aos 85, esta cidade é 10 !

Estação final da centenária Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, momentaneamente tomada pelas águas.

Pérola do Mamoré, parabéns pelo seu aniversário.

Um abraço em todo(a) guajaramirense que ama, de fato, esta terra ! Leia mais sobre Guajará-Mirim aqui .

Na fronteira de Rondônia com a Bolívia, imenso jacaré-açu assusta população

Em 2010, um outro jacaré-açu atacou e matou uma criança. foto: Divulgação/Polícia Militar Ambiental de Rondônia

Um jacaré enorme, presumivelmente com mais de 5 metros , tem tirado o sono da população da tranquila cidade rondoniense de Guajará-Mirim,situada a cerca de 350 quilômetros de Porto Velho,  na fronteira com a Bolivia, no noroeste do Brasil. Os ribeirinhos tem evitado sair à noite para o rio, evitando novas tragédias como a que aconteceu em 2010, quando uma menina de 11 anos foi morta por um jacaré da mesma espécie. Moradores suspeitam que o jacaré que aparece atualmente seja a fêmea do jacaré abatido naquela vez,  após matar a menina.

A Polícia Militar Ambiental de Rondônia já alertou a população para evitar banhos e a presença de crianças nos igarapés e praias das redondezas. foto:B.Bertagna

30 de abril, Dia do Ferroviário

Oscar Ferreira Lima, mestre de linha e Raimundo Quaresma de Carvalho, motorista de automotriz, ferroviários da EFMM

Hoje se comemora em Rondônia e no Brasil o centenário da chegada dos trilhos da lendária Estrada de Ferro Madeira-Mamoré a Guajará-Mirim, seu ponto final ao longo dos 366 km de extensão. E também se comemora o Dia do Ferroviário. No dia 30 de abril de 1854 foi inaugurada a primeira linha ferroviária, em uma viagem que contou com a presença de Dom Pedro II : a Estrada de Ferro Petrópolis com cerca de 14 km de trilhos, ligando o Rio de Janeiro à raiz da Serra . Um empreendimento do Barão de Mauá, Irineu Evangelista de Sousa. A ferrovia é uma invenção inglesa que conquistou o mundo. No Brasil, os trens se difundiram de forma avassaladora e marcaram a chegada do progresso e a fundação de inúmeras cidades. Para se ter uma idéia, na década de 50 o país já contava com 40 mil quilômetros de trilhos. Nos fins dos anos 50, com a chegada da indústria automobilística, as estradas de ferro entraram em decadência. A EFMM, berço da criação de Porto Velho e Guajará-Mirim foi declarada extinta em 1966 mas funcionou até 10 de julho de 1972. E os bravos ferroviários, que hoje comemoram o seu dia, ajudaram nesta história de heroísmo e pioneirismo.

-30.027704-51.228735

Começou a 118ª Romaria da Irmandade do Senhor Divino Espírito Santo, no Vale do Guaporé – Programação Completa

A 118ª Romaria do Senhor Divino Espírito Santo no Vale do Guaporé, na Amazônia iniciou nesta segunda, dia 9 de abril de 2012, com a chegada do batelão às 4 horas da tarde na localidade de Surpresa, distrito de Guajará-Mirim. É uma festa planejada com um ano de antecedência .
A celebração, que envolve o Brasil e a Bolívia, é um Patrimônio Cultural Imaterial de Rondônia que está em processo de instrução para ser reconhecido como Patrimônio Brasileiro.

O Iphan, numa parceria com a UNESCO,  está enviando uma equipe com antropólogas capacitadas ao Vale do Guaporé, para consolidar a argumentação perante a Câmara do Patrimônio Imaterial, que decide sobre a inclusão dos registros.

O Presidente da Irmandade do Divino, Dionísio Faustino também espera uma atenção maior das autoridades para esta que é a maior celebração religiosa, cultural e folclórica do Vale do Guaporé :
– Aguardamos muita gente na chegada em Piso Firme, povoado da Bolívia, quando o batelão aportará no dia 23 de maio de 2012 às 16 horas.

É ano eleitoral, mas os ribeirinhos já conhecem os políticos que dão atenção ao Vale, por isto vai a dica: Não adianta chegar como penetra distribuindo bonézinho e camiseta, é perda de tempo. Os beiradeiros, quilombolas, devotos e assemelhados são espertos e só dirigem suas preces para quem realmente merece.
E para quem fala mal ou escreve,  quando convém, sobre a cultura rondoniense é uma boa pedida, tirar um pouco a bunda da cadeira e andar algumas centenas de quilômetros em estrada de chão e voadeira, lendo Viagem ao Redor do Brasil, do João Severiano da Fonseca, irmão do ilustre Deodoro da Fonseca, para purificar a alma .

-30.027704-51.228735

Começa em abril a 118ª Romaria da Irmandade do Senhor Divino Espírito Santo, no Vale do Guaporé

A 118ª Romaria do Senhor Divino Espírito Santo no Vale do Guaporé, na Amazônia terá início daqui a um mês, no dia 9 de abril de 2012, com a chegada do batelão na localidade de Surpresa, distrito de Guajará-Mirim. É uma festa planejada com um ano de antecedência.
A celebração, que envolve o Brasil e a Bolívia, é um Patrimônio Cultural Imaterial de Rondônia que está em processo de instrução para ser reconhecido como Patrimônio Brasileiro.
O Presidente da Irmandade do Divino, Dionísio Faustino espera uma atenção maior das autoridades para esta que é a maior celebração religiosa, cultural e folclórica do Vale do Guaporé :
– Aguardamos muita gente na chegada em Piso Firme, povoado da Bolívia, quando o batelão aportará no dia 23 de maio de 2012 às 16 horas.
Os ribeirinhos já conhecem os políticos que dão atenção ao Vale, por isto vai a dica: Não adianta chegar como penetra distribuindo bonézinho e camiseta, é perda de tempo. Os beiradeiros, quilombolas, devotos e assemelhados são espertos e só dirigem suas preces para quem realmente merece.
E para quem fala, e mal, quando convém, da cultura rondoniense é uma boa pedida, tirar um pouco a bunda da cadeira e andar algumas centenas de quilômetros em estrada de chão e voadeira, lendo Viagem ao Redor do Brasil, do João Severiano da Fonseca, irmão do ilustre Deodoro da Fonseca, para purificar a alma .

-30.027704-51.228735

Morre Isaac Bennesby, ex-prefeito de Guajará-Mirim

foto: O Mamoré

Faleceu na tarde deste domingo, o ex-prefeito de Guajará Mirim, Isaac Bennesby, provavelmente de infarto agudo do miocárdio.  Segundo o jornal O Mamoré, de Guajará-Mirim, Isaac sentiu-se mal na véspera de natal, sábado (24) e foi encaminhado para o Hospital Bom Pastor onde permaneceu até a manhã de domingo (25). Ainda neste domingo ele voltou a passar mal e foi internado novamente às pressas vindo a falecer. Primeiro prefeito eleito de Guajará-Mirim( 05/11/1983 à 31/12/1988 ) Bennesby voltaria ao cargo se reelegendo em 1.992 (01/01/1993 a 31/12/1996). Isaac também foi Deputado Estadual . Em 1978 , galga o mandato de deputado federal, pela ARENA, ainda no tempo do Território de Rondônia. É um dois deputados federais junto com Jerônimo Santana, do MDB. Como homem público, tinha uma imagem de “tocador de obras”, que o levou a ser convidado para outros cargos dentro da estrutura administrativa do Estado, como o DER. Atualmente, o engenheiro Bennesby  exercia o cargo de Diretor de Obras do governo Confucio Moura. O corpo de Isaac Bennesby está sendo velado na Câmara Municipal de Vereadores daquela cidade fronteiriça.

Casa Civil, Governador de Rondônia e ALE emitem notas de pesar

“Rondônia perdeu um grande homem publico, que não ajudava somente Guajará, tenho na memória o Dr. Isac Benesby fazendo asfalto de qualidade em Ariquemes, eu procurador do município e ele voluntario ajudando o Dr. Confúcio Moura (prefeito de Ariquemes) mudar a cara da cidade.

E eu Ricardo de Sá perdi um amigo, que deixou seu exemplo e sua marca de realizações por onde passou, fomos secretários juntos ele no DER e eu na SEIJUS, rendo minhas homenagens a família e desejo que o Espírito Santo os console.

Ricardo de Sá Vieira / Secretario Chefe da Casa Civil”

“O governador Confúcio Moura lamenta a morte do ex-prefeito de Guajará-Mirim, Isaac Bennesby.

Seus dois mandatos de prefeito, em 85 e em 92, fizeram de Isaac Bennesby o maior tocador de obras de Guajará-Mirim, onde tem sua marca em todos os setores. Foi o único prefeito na história de Rondônia a ousar e investir na pavimentação asfáltica de uma rodovia, a BR-425.

Foi com imensa consternação, portanto, que o governador Confúcio Moura recebeu a notícia da morte, ocorrida na tarde de domingo. Neste momento de dor e sofrimento, o governador que se deslocou na manhã desta segunda-feira até Guajará Mirim para participar do velório – solidariza-se com amigos e familiares para desejar que Deus o tenha em sua infinita Glória.

Confúcio Aires Moura / Governador de Rondônia”

“A Assembleia Legislativa lamenta o falecimento do ex-deputado estadual Isaac Bennesby, ocorrido neste domingo (25), em Guajará-Mirim. Isaac foi o primeiro prefeito eleito de Guajará, assumindo em 1º de janeiro de 1985. Foi eleito novamente em 1.992, ficando no cargo até 1.996. Isaac Bennesby foi deputado estadual no período de 1991 a 1994.”

Vários partidos políticos também expressaram mensagens de pesar como o PT, o PSDB e o PHS.

A Prefeitura Municipal de Guajará Mirim decretou luto oficial por 3 dias. Veja a nota na íntegra.

“Gabinete do Prefeito, 26 de dezembro de 2011

DECIO KEHER MARQUES

Chefe de Gabinete

DECRETA LUTO OFICIAL NO MUNICÍPIO DE GUAJARÁ-MIRIM, PELO FALECIMENTO DO EX-PREFEITO DR. ISAAC BENNESBY

                                                                                                

        ATALIBIO JOSÉ PEGORINI Prefeito Municipal De Guajará-Mirim, Estado de Rondônia, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo artigo 62,  da  Lei Orgânica do Município  e,

        Considerando o falecimento ex-prefeito senhor ISAAC BENNESBY, ocorrido no  dia 25 de dezembro de 2011,  pessoa muito conhecida e querida causa  um profundo sentimento de pesar e comoção na população de Guajará-Mirim:

        Considerando que Dr. Isaac Bennesky exerceu o cargo de Prefeito  por dois mandatos neste Município, seu nome ficará para sempre inscrito na historia política como o primeiro prefeito eleito pelo voto direto, também representou a região do Vale do Guaporé na Assembleia Legislativa do Estado de Rondônia, como Deputado Estadual sempre defendeu o progresso de Guajará-Mirim dentro e fora do Estado, sua figura e personalidade forte se destacava entre a população: nos meios políticos conquistou respeito pela lealdade, ultimamente mesmo não exercendo nenhum cargo político nunca se furtou em colaborar  com as Administrações que passaram pela Prefeitura Municipal, promulga o seguinte:

D E C R E T O

             Art. 1º – Fica decretado luto Oficial no Município de  Guajará-Mirim nos dias  26, 27 e 28 de dezembro de 2011, pelo falecimento do Ex-prefeito , DR. Isaac Bennesby.

        Art. 2.º -As repartições publicas  municipais e outras estacionadas no âmbito do município de Guajará-Mirim, nesses dias estarão com suas Bandeiras hasteadas a meio mastro em respeito ao luto oficial.

        Art. 3.º – Este Decreto entra em vigor na data de sua assinatura, revogadas as disposições contrárias.- Publique-se

      Palácio Perola do Mamoré, 26 de dezembro de 2011.

ATALIBIO JOSÉ PEGORINI

Prefeito Municipal

-30.027704-51.228735

Entra em cena a 2ª Rota do Cinema na fronteira com a Bolívia, em Guajará-Mirim

Acontece de 21 a 23 de dezembro a 2ª Rota do Cinema na cidade de Guajará Mirim e Nova Mamoré, um projeto de continuidade do 2º Festival de Cinema Curta Amazônia .

Para Dayan Saldanha, secretário de cultura do município,”a mostra de cinema gratuita, é vista sempre com bons olhos para os gestores públicos. Nós  conduzimos a cultura aqui na fronteira com muita dificuldade, e é muito gratificante, um presente de Natal nesse fim de ano feito pelos organizadores para nossa comunidade.”

A 2ª Rota do Cinema traz filmes de animação, documentários e ficção que fazem parte do circuito alternativo independente de cinema e acervo da entidade Curta Amazônia, que procura divulgar sempre os filmes dos nossos cineastas que contribuem para formação de platéia do cinema nacional em diversas regiões de nosso estado.

“Além de divulgar o cinema nacional, temos como meta de estabelecer e fortalecer parcerias com os municípios através das artes na região da fronteira do Brasil e Bolívia. Essas são algumas das diversas metas da 2ª Rota do Cinema, proporcionando entretenimento e discussão de temas ambientais, sociais e educativos na fronteira, para que o público rondoniense tenha  acesso a filmes que possam também a conduzi-los a reflexão e formar o senso crítico sobre temas que contribuem para uma sociedade mais justa e humana, sem fórmulas prontas e ditadas pelos governantes”, frisou a produtora executiva  do projeto Golda Barros.Os filmes que compõem a 2ª Rota do Cinema são:  “Videoclipe Um brinde  com  a campanha contra o alcoolismo”, Trailer do filme: “Madeira Mamoré: 100 anos depois… O sonho não acabou”, “O diário da terra”, “A fábula da corrupção”, “Buba e o aquecimento global”, “Eu venci”, “Doce turminha e a corda da viola”, “Bailarino e o bonde”, “Mocó Jack”, “Tamanduá Bandeira”, “O casamento da ararinha azul”, “Eu queria ser um monstro”, “Esaú o catador de histórias”, “Feira da Fantasia”, “A sombra de Sofia”, “Tempestade”, “Traz outro amigo também”, “Muita calma nessa hora”, “Depois do almoço”, “O contador de filmes”, “Pinball” e o “Videoclipe Mudança do grupo Inquérito”.

-30.027704-51.228735

Mitos e crenças populares prejudicam o controle da malária

O mês de novembro marca a luta pelo controle da malária nas Américas. A data visa incentivar estes países a aumentar o diálogo e realizar campanhas contra a doença. O Brasil registrou, somente no ano passado, 300 mil casos de malária, 99% deles concentrados na Amazônia Legal. A falta de informação sobre transmissão, diagnóstico e tratamento da malária é que ainda atrapalha o controle da doença. Nesta etapa do projeto, a Mobilização Contra Malária busca desmistificar algumas crenças populares sobre o diagnóstico, a transmissão e o tratamento que, ao serem repassados, dificultam as ações de combate à doença. Mitos difundidos na região que prejudicam o controle da doença:

– Malária pode ser transmitida pela água? Mentira. A única forma de transmissão é pela picada do carapanã contaminado.

– Chás e plantas medicinais podem curar a malária? Mentira. O tratamento só pode ser feito com medicamentos e tem que ser completo, caso contrário, a malária pode voltar mais grave.

– Se os sintomas da malária passaram, a pessoa está curada?A pessoa tem que fazer o tratamento até o final, por mais que os sintomas já tenham desaparecido. Depois do tratamento, é importante fazer novamente o exame de malária para saber se está completamente curado.

– O sangue da ponta do dedo não permite um diagnóstico preciso para malária? Mentira. As gotas de sangue colhidas na ponta do dedo ou na veia fornecerão as mesmas informações sobre a doença. Os exames realizados são seguros e todos aprovados pelo Ministério da Saúde.

É preciso sentir todos os sintomas para estar com malária? Mentira. Os sintomas podem variar, portanto, basta sentir um ou dois desses sinais para procurar um serviço de saúde para fazer o exame. Os sintomas são dor de cabeça, dor no corpo e na barriga, febre e tremor.

– Mulheres grávidas não podem fazer o tratamento? Mentira. A gestante tem um tratamento diferenciado, basta procurar o serviço de saúde para receber um acompanhamento especial.

“Ao levarmos informação, conseguiremos interromper o ciclo da malária. Quando as pessoas fazem o tratamento até o final, elas ficam curadas e diminuem os riscos de contaminar outros mosquitos que poderão transmitir a doença para familiares e vizinhos. É fundamental para isso: realizar o diagnóstico rapidamente e, caso esteja com malária, fazer o tratamento completo,” explica Ana Carolina Silva Santelli, coordenadora-geral do Programa Nacional de Controle de Malária

O projeto tem o patrocínio do Fundo Global de Luta contra AIDS, Tuberculose e Malária e realização pela Fundação Faculdade de Medicina (FFM), Fundação de Medicina Tropical Doutor Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD) e do Ministério da Saúde por meio da Unidade Técnica do Projeto (UT) e  integra 47 municípios prioritários para o controle da malária: Acre: Cruzeiro do Sul, Mâncio Lima, Plácido de Castro e Rodrigues Alves; Amazonas: Atalaia do Norte, Autazes, Barcelos, Borba, Careiro, Coari, Guajará, Humaitá, Iranduba, Itacoatiara, Lábrea, Manacapuru, Manaus, Manicoré, Novo Aripuanã, Presidente Figueiredo, Rio Preto da Eva, Santa Isabel do Rio Negro, São Gabriel da Cachoeira e Tabatinga; Amapá: Oiapoque e Porto Grande; Pará: Itaituba, Anajás, Jacareacanga, Pacajá, Itupiranga, Novo Repartimento e Tucuruí; Rondônia: Alto Paraíso, Buritis, Campo Novo de Rondônia, Candeias do Jamari, Cujubim, Guajará-Mirim, Itapuã do Oeste, Machadinho D’Oeste, Nova Mamoré e Porto Velho; Roraima: Bonfim, Cantá, Caracaraí e Rorainópolis.

Leia também :

Malária:mortes caem pela metade entre 2005 e 2009. Anajás/AM, Manaus/AM, Porto Velho/RO e Cruzeiro do Sul/AC ainda são os campeões em incidência

Deu na Reuters : Nova substância pode combater malária com uma única dose avaliada em Us$ 1

 

-30.027704-51.228735

Mobilização contra a malária no Acre, Amazonas, Amapá, Roraima, Pará e Rondônia

Mobilização Contra Malária, que acontecerá em seis estados da região norte do país: Amazonas, Acre, Amapá, Tocantins, Pará, Rondônia e Roraima, foi lançada nesta segunda-feira (5) pelo ministro da Saúde, Alexandre Padilha, e pelo secretário de Vigilância em Saúde, Jarbas Barbosa. Além de mostrar as novas ações, foram apresentados os números que apontam para a redução de 31% de casos da malária no primeiro semestre de 2011.

Para complementar as ações na comunidade e levar informações sobre malária à população, foi realizada uma campanha de comunicação que atingirá as 450 mil famílias moradoras dos municípios e seguirá as três fases: prevenção com uso de mosquiteiro/cortinado impregnado de inseticida, diagnóstico rápido e tratamento da malária completo e que também foram apresentadas aos participantes, após a coletiva.

Segundo o Ministério da Saúde,  já ocorreu a diminuição de 31% dos casos da doença. De janeiro a junho de 2011 foram notificados 115.798 casos da doença e este número em 2010, no mesmo período, era de 168.397. Serão distribuídos 1.100.000 (um milhão e cem mil) Mosquiteiro/cortinados Impregnados com Inseticidas de Longa Duração (MILDs). 500 mil testes de malária serão disponibilizados para que sejam realizados exames em pessoas moradoras de comunidades mais afastadas da Amazônia brasileira.

 Municípios prioritários:

 Acre: Cruzeiro do Sul, Mâncio Lima, Plácido de Castro e Rodrigues Alves;

Amazonas: Atalaia do Norte, Autazes, Barcelos, Borba, Careiro, Coari, Guajará, Humaitá, Iranduba, Itacoatiara, Lábrea, Manacapuru, Manaus, Manicoré, Novo Aripuanã, Presidente Figueiredo, Rio Preto da Eva, Santa Isabel do Rio Negro, São Gabriel da Cachoeira e Tabatinga;

Amapá: Oiapoque e Porto Grande;

Pará: Itaituba, Anajás, Jacareacanga, Pacajá, Itupiranga, Novo Repartimento e Tucurui;

Rondônia: Alto Paraíso, Buritis, Campo Novo de Rondônia, Candeias do Jamari, Cujubim, Guajará-Mirim, Itapuã do Oeste, Machadinho D’Oeste, Nova Mamoré e Porto Velho.

Roraima: Bonfim, Cantá, Caracaraí e Rorainópolis.

-30.027704-51.228735

Banco da Amazônia lança financiamento do FNO para Micro Empreendedor Individual (MEI)

O Banco da Amazônia lança, no próximo dia 20 de junho, o Programa de financiamento com recursos do FNO para Micros Empreendedores Individuais (MEIs), para aquisição de equipamentos e utensílios, construção e reforma de instalações físicas e também para capital de giro, segundo o superintendente do Banco em Rondônia, Wilson Evaristo. Os empréstimos são destinados para MEIs que estejam há pelo menos seis meses em atividades. O programa empresta até R$ 15 mil com juros de 6,75% ao ano, um dos mais baixos do mercado, e oferece um bônus de 15%  para os clientes que pagarem suas faturas até a data de vencimento, além de isenção de Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) e  agilidade na concessão do crédito, já que o processo de análise dos Planos de Negócios é simplificada.

São considerados MEIs, os empreendedores que têm um faturamento anual de até R$ 36 mil, possuem um único estabelecimento, não participem de outra empresa como titular, sócio ou administrador e contem com apenas um empregado. Ele deve ser optante do SIMPLES nacional. Em Rondônia já foram registrados mais de 8 mil MEIs das mais diversas áreas, como costureiras, pintores de parede, vendedores, cozinheiras, pequenos agricultores e outros  tocadores de pequenos negócios. Em todo o Brasil um milhão de empresários já se formalizaram por meio do MEI. O registro é simplificado e os interessados recebem todas as informações necessárias nas agências do Sebrae, Sindicato da Micro e Pequena Indústria (Simpi) e associações comerciais.

Os MEIS interessados em sacar recursos por meio do FNO poderão se dirigir às agências do Banco da Amazônia a partir de 20 de junho. Nas agências, será disponibilizado o modelo do  Plano de Negócios simplificado, que é necessário para a avaliação da rentabilidade dos investimentos. Como se trata de empréstimo orientado, o banco também oferece consultoria sobre o melhor modo de gerir a aplicação dos empréstimos. O Sebrae, o Simpi e associações comerciais também podem orientar sobre os investimentos. As garantias exigidas são as mesmas utilizadas pelo mercado, com hipoteca, alienação de bens ou aval. No caso de aval, o avalista deverá ser pessoa idônea e dispor de uma receita mensal comprovada de, no mínimo, o equivalente a três vezes o valor da parcela de amortização do financiamento.

O programa FNO oferece empréstimos para Investimento Fixo, destinado à aquisição de equipamentos, móveis e utensílios e à construção ou reforma de instalação física; Investimento Misto, com capital de giro associado ao investimento fixo; e Capital de giro Isolado, que permite a compra de matéria-prima, insumos, bens ou produtos para formação de estoques. Para Investimento Fixo ou Misto, o primeiro financiamento pode ser de até R$ 7,5 mil e os empréstimos subsequentes poderão chegar a R$ 15 mil, desde que o montante anterior tenha sido liquidado. No caso de Investimento em Capital de Giro, o primeiro financiamento deverá se de até R$ 2,5 mil e para os subseqüentes o teto é de R$ 5 mil.

Para Investimento fixo ou misto, o banco oferece prazo de até 36 meses para pagamento dos empréstimos, incluídos até dois meses de carência, sendo o prazo máximo do financiamento determinado em função do cronograma físico e financeiro do plano de negócio e da capacidade de pagamento do mutuário; já no caso do Capital de giro isolado, para aquisição de matéria-prima, insumos, bens ou produtos para formação de estoques, o prazo de pagamento é de até 24 meses, incluindo até um mês de carência.

O Basa conta com agências em Porto Velho, Extrema, Guajará-Mirim, Buritis, Ariquemes, Ji-Paraná, Cacoal, Rolim de Moura, Jaru e Vilhena e dentro de no máximo três meses serão abertas agências em São Miguel do Guaporé e Pimenta Bueno.

-30.027704-51.228735

Falso restaurante canibal em Rondônia:mais uma “pegadinha” da net

Um boato da Internet transformou rapidamente Rondônia num escândalo do Brasil na imprensa mundial como praticante de canibalismo em restaurante de antropófagos em Guajará Mirim.  O falso boato, fruto de uma armação na Internet prejudica a imagem da cidade, de Rondônia e do Brasil.  O site http://forum.hardmob.com.br publicou o seguinte texto, aparentemente da Folha.com : ” Restaurante brasileiro causa polêmica em Berlim ao oferecer carne humana”

“O restaurante brasileiro Flimé causou polêmica e duras críticas na capital alemã, Berlim, ao anunciar que vai abrir uma filial na cidade no próximo dia 8 de setembro. O restaurante, cuja matriz fica em Rondônia, inclui em sua campanha de inauguração na Alemanha um cadastro para clientes interessados em oferecer partes do seu próprio corpo.

O site do restaurante não inclui no cardápio nenhuma referência direta à carne humana, mas diz seguir a cultura indígena wari –tribo da selva amazônica conhecida pela cultura do canibalismo–, na qual “comer é um ato espiritual com o qual ganhamos a mente e a força da criatura comida”.

O vice-presidente da União Cristã-Democrata de Berlim, Michael Braun, expressou sua indignação com o restaurante e culinária. “Espero que seja apenas uma brincadeira de mau gosto”, afirma Braun ao jornal alemão “The Bild”, acrescentando que a campanha poderia ser apenas para despertar a curiosidade dos clientes.

O restaurante também já causou alvoroço em Guarajá-Mirim (RO), onde cerca de mil pessoas fizeram um protesto contra o uso de carne humana no cardápio da matriz. Em uma entrevista divulgada no YouTube há duas semanas, o proprietário Eduardo Amado diz que os protestos ajudam a atrair clientes e que todos deveriam provar a culinária wari, já que os clientes voltam com “um sorriso no rosto”. Ele não cita em nenhum momento explicitamente o fato de oferecer carne humana no cardápio.

A Folha.Com tentou entrar em contato com o restaurante, mas não obteve resposta. Na internet é possível ainda ver depoimentos de clientes que recomendam o prato polêmico e aqueles que criticam o canibalismo.

No site trilíngue (alemão, português e inglês), os clientes interessados podem preencher um cadastro com uma série de perguntas sobre hábitos médicos e de saúde, como fumo, consumo de bebidas alcoólicas e frequência de atividade física.

No fim, há um alerta: “Os membros associados do Flimé concordam, com este, em doar para o Flimé qualquer parte de seu corpo, que será determinada pelo próprio associado. […] A finalidade do uso da parte doada é de livre escolha do Flimé”.

O endereço do restaurante de Berlim ainda é secreto. Mas para os brasileiros, há no site instruções sobre como chegar ao Flimé, em meio à selva amazônica em Rondônia.

http://forum.hardmob.com.br/newthrea…stthread&f=226

http://www.flime-restaurante.com/

O site Nillnews, também deu destaque à matéria http://tinyurl.com/2vbezj7

O site Opera Mundi ( http://tinyurl.com/344whcu ) publicou, em matéria assinada por Pedro Aguiar e Laisa Beatriz que “Mídia internacional ignora indícios de fraude e publica notícia sobre restaurante canibal”

A mídia de vários países do mundo se viu envolvida nesta quinta-feira (26/8) em uma notícia polêmica com ares de montagem bem armada. Um restaurante em Rondônia especializado em receitas canibais estaria procurando doadores voluntários para fornecer seu principal ingrediente: carne humana.

Em seguida, diversos jornais, portais e agências de notícias de diversos países repercutiram a entrevista do Bild, mencionando também anúncios que teriam sido publicados em jornais locais na Alemanha e um vídeo postado no site YouTube com uma entrevista com o suposto dono do restaurante. Entre eles, estavam o inglês The Guardian, a revista alemã Der Spiegel e as agências ANSA e Efe (embora somente em seu serviço em espanhol). Boa parte da imprensa portuguesa também deu crédito à história, inclusive veículos grandes como a TV RTP e o jornal Expresso .

A maioria divulgou um website em que um suposto restaurante oferece iguarias da culinária wari – uma tribo amazônica de Rondônia que, de fato, praticava canibalismo na época anterior ao contato com os brancos. Ao mesmo tempo, também disponibiliza um formulário para potenciais doadores oferecerem partes de seus corpos como carne e ainda procura “cirurgiões de mente aberta” dispostos a realizar as operações. No texto, escrito em alemão e em português (com a ortografia de Portugal pré-acordo), o Flimé promete arcar com os custos hospitalares.

Evidências

Em pouco tempo, a notícia ganhou páginas na web, blog, redes sociais e fóruns de discussão, com algumas pessoas escandalizadas e muitas duvidando da veracidade da notícia.

No entanto, como o Opera Mundi apurou, as evidências de informação forjada (ou hoax, como se diz no jargão de internet) se acumulam no caso do “restaurante canibal”. O website do estabelecimento divulga uma localização na cidade de Guajará-Mirim (RO) com um link para um mapa do GoogleMaps que, por sua vez, publica um endereço e um telefone. Ao ligar para o número, a reportagem do Opera Mundi constatou se tratar de uma agência bancária.

“Aqui é o Bradesco de Guajará-Mirim. Não conhecemos nenhum restaurante com esse nome na cidade. Duas pessoas já ligaram hoje”, disse Aline Costa, funcionária do banco. “Esse número é da agência há mais de 20 anos”.

Erros e montagens

No próprio site do “restaurante” e no vídeo colocado no YouTube, os autores erram o nome da cidade por duas vezes: primeiro, como “Guarajá Mirim”, depois como “Guajirim-Mirim”. Além disso, o vídeo mostra o prédio da Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro, na Cinelândia, como se fosse na cidade em Rondônia, e uma faixa com os dizeres “Pare canibalismo” – soando como uma tradução automática do inglês “stop cannibalism”. (NR: o áudio é mal feito, aparentemente numa sala improvisada, sem tratamento acústico )

No vídeo, que filma a tela de uma TV com aparência de programa jornalístico, é exibida uma reportagem sobre uma manifestação que teria reunido “mais de mil pessoas” na cidade (a população local é de 40 mil). Em seguida, aparece uma entrevista com um português identificado como o chef Eduardo Amado, explicando as origens da cozinha wari e dizendo não se importar com a polêmica do canibalismo. A repórter que o entrevista, usando microfone sem identificação de nenhum canal de TV, tenta disfarçar um claro sotaque português como se fosse brasileira.

“Todo o povo que passa por nosso restaurante volta sempre com prazer, um sorriso nos lábios”, afirma o entrevistado.

Recomendação

Uma segunda versão, publicada em 17 de agosto, traz legendas em inglês sobre o vídeo anterior. Abaixo do monitor, na imagem, passam legendas de horóscopo de um jornal matogrossense datado de 3 de agosto. Em ambos os casos, os usuários que publicaram o vídeo se registraram apenas dias antes e não têm nenhuma outra postagem nem informação pessoal divulgada.

Um terceiro vídeo, publicado no YouTube na mesma data (17/8), traz um depoimento em que o usuário identificado como Hugo Avelar, também português, diz já ter ido ao estabelecimento e recomenda o canibalismo.

Contactados pela reportagem, os usuários responsáveis pelos vídeos não responderam até a publicação desta matéria.

O tradicional jornal português Expresso, parece que não viu os vídeos do Youtube, com claro sotaque português e das colônias como Cabo Verde (link http://tinyurl.com/289vc8x ) e publicou a manchete sensacionalista :
“Alemanha: Restaurante procura doadores para especialidades canibais”

No youtube, veja os três vídeos  em destaque, conforme se vê abaixo, todos com sotaque lusitano e das colônias e feito com atores amadores:


Segundo a Wikipédia, os  ” Wari’ são muitas vezes designados como Pakaa Nova, por terem sido avistados pela primeira vez no rio homônimo, afluente da margem direita do Mamoré, no estado de Rondônia. Mas é como Wari’, palavra que em sua língua significa “gente”, “nós”, que gostam de ser chamados, e é dessa forma que são conhecidos pelos não-indígenas que mantêm com eles um convívio mais estreito. Vivem hoje aldeados em torno de sete Postos da Funai administrados pela Ajudância de Guajará-Mirim, Rondônia, e na Terra Indígena Sagarana, na confluência dos rios Mamoré e Guaporé, administrada pela Diocese de Guajará-Mirim.”

Na suposta pesquisa disponível na net em arquivo PDF Ficha de Cadastro Restaurante Flimé a grafia é ” cultura Huari” que segundo a Wikipédia ” foi uma civilização andina que floresceu no centro dos Andes aproximadamente desde o ano 600 até 1200 d. C., chegando a expandir-se até os actuais departamentos peruanos de Departamento de Lambayeque|Lambayeque]] pelo norte e Arequipa pelo sul.

A cidade maior sócia a esta cultura é Wari, que se encontra localizada a 25 quilómetros ao noroeste de Ayacucho. Uma cultura irmã de Huari é a cultura Najar Alguns sustentam que esta cidade, junto à de Tiahuanaco, foi centro de um império que cobria a maior parte da puna e a costa do Peru actual. Foi um dos primeiros grandes impérios em Sudamérica, posteriores à mochica e anteriores (uns 300 anos) ao Tahuantinsuyo que dominaria a maior parte da região andina.”

O que ninguém percebeu é que os dados aparentemente divulgados como originais do Google Earth quando ” esticados” colocam a BR 425 em cima de casas, escolas e ruas de uma cidade desconhecida, numa montagem grosseira.  Veja a foto abaixo que extraímos do site do restaurante:

O traçado da BR 425 não "bate" com o mapa falso.

A Prefeitura Municipal de Guajará-Mirim, através do Chefe de Gabinete Décio Keher Marques emitiu uma nota oficial em que diz: ”  Conforme noticiado por alguns veículos de comunicação regional, estadual e internacional sobre um restaurante que comercializa possivelmente carne humana, o prefeito Atalibio José Pegorini vem através da chefia de Gabinete manifestar o desconhecimento de qualquer estabelecimento que fira os bons costumes e as legislações municipal, estadual e federal. Doutra feita, o prefeito municipal repudia matérias de cunho sensacionalista que possa vir prejudicar a imagem de Guajará-Mirim, a Pérola do Mamoré e de seus habitantes. O prefeito Municipal ainda comunica que abre a partir deste momento, uma comissão para averiguar a veracidade do objeto noticiado nesses meios de comunicação, assim como recorrerá judicialmente sobre os danos causados ao município.”

Segundo informações do jornal O Estado de São Paulo, a Polícia Federal está investigando o caso. Para o delegado da PF no município, Julio Mitsuo Fujiki, a notícia sobre o suposto restaurante “não passa de uma piada de muito mau gosto”. “Estamos levantando as informações necessárias para tomar medidas judiciais cabíveis”, afirmou.

Guajará-Mirim não merecia mais esta…

-8.761825-63.90196

Filmes para entender Rondônia – 6 – Desafio no Inferno Verde : A Ferrovia do Diabo

Estrada de Ferro Madeira-Mamoré. Imigrantes e aventureiros do mundo inteiro tombaram ao longo dos 366 kms de trilhos que levaram quatro décadas para serem assentados. Vitimados pelas doenças tropicais, os trabalhadores enfrentavam a natureza hostil e os índios que surgiam de repente do inferno verde. É uma história de coragem e heroísmo, de tragédia e de sangue dos pioneiros que fundaram Porto Velho. Não se apaga da memória de um povo um fato histórico que determinou suas origens. O vídeo traz um pouco do passado que ainda ecoa através dos apitos, quando alguma máquina passeia pelos trilhos e dormentes de “ouro” da Madeira-Mamoré, a ferrovia do diabo. Produção em Betacam SP de 1997, roteiro de Nelson Townes e direção de Beto Bertagna. Vencedor do Tatu de Prata, melhor vídeo da XXV Jornada Internacional de Cinema da Bahia em 1998.

-8.761825-63.90196