Arquivo da tag: Facebook

Doutorando da USP é vítima de injúria por ser nordestino: “Seu paraiba pobre burro, ignorante comedor de areia!”

Por Professor Lúcio Vilar

O leitor é testemunha de que nas poucas vezes em que esse espaço foi usado para externar questões de fundo pessoal, excepcionalmente se reportaram ao nascimento de meus filhos. Ponto.

Entretanto, nesta quarta-feira, uma nova exceção justifica a incursão na medida em que o fato a ser tornado público tem ressonâncias que extrapolam o campo estritamente pessoal. Adquire, por isso mesmo, caráter coletivo, de interesse público.

O fato: fui surpreendido no último sábado com as mais estúpidas e gratuitas agressões no bate-papo do Facebook, reproduzidas abaixo, com identificação do autor (certamente fake), com o qual não tenho qualquer vínculo ou conhecimento:

Gabriel Paulo

Início da conversa no bate-papo

Sábado 11:05

Seu paraiba pobre burro fudido! Nunca será. Miseravel ignorante comedor de areia! Petista imbecil! Vai aprender a ler filho da p… antes de sair procriando q nem rato!

Volta pra tua terra miseravel!!!

Nordestino filho da p…! Aposto q vive de migalha do governo. Babão comedor de areia. Nunca será! Zé povinho!

Gentalha como vc tem que ser exterminada pra nao procriar mais!
​         Esse tipo abjeto de manifestação é reflexo do tom beligerante que invadiu as redes sociais (especialmente os microblogs) nos últimos meses. Foi algo estimulado por sociólogos, jornalistas e até um ex-presidente após as últimas eleições presidenciais, responsabilizando os nordestinos “burros” e “analfabetos”, segundo eles, pela derrota do candidato tucano.  Para essas pessoas, a campanha ainda não acabou. Atropelam, com isso, noções de civilidade e espírito democrático, itens que deveriam nortear a política.

Quanto ao “cidadão” em questão, espero contar com apoio do Ministério Público Federal no sentido de identificar a real identidade do autor das manifestações de preconceito e ódio, além do crime de injúria racial contra nordestinos configurado e que não deveria ficar impune.

Veja mais em Polêmica Paraíba

Boatos.org : Desvendando notícias falsas na net

Um ótimo site que vem fazendo um serviço à cidadania ,à verdade e à comunicação ao desvendar boatos das redes sociais é  o Boatos.org. Tem notícia falsa pra tudo na internet. As mentiras  são tão sem nexo que chegam a ser cômicas. Há várias categorias : Mortes, Bizarros, Extraterrestre, Notícia Falsa, Facebook… Um hoax recente é que Dilma teria decretado luto oficial de 3 dias pelo fuzilamento do traficante brasileiro na Indonésia. Confira !

Facebook : o último refúgio dos beócios e ignóbeis

Por Beto Bertagna

A morte de Eduardo Campos, que lamento muito, mostra que nestes dias em que acontece qualquer tragédia com uma celebridade mal dá prá abrir o Facebook tal a quantidade de mensagens pífias, deselegantes, grosseiras, mal educadas e desprezíveis que aparecem.  Umas piadas infames desejando que este ou aquele candidato estivesse no lugar do candidato pernambucano. Será que é essa merda de tecnologia que está propiciando que se vomite qualquer coisa que venha à cabeça ou isso já existia desde os primórdios da humanidade, só não tinha veículo para divulgar as estultices ? Enquanto isso as mídias sociais continuam a ser o refúgio dos covardes, beócios e ignóbeis que acham que podem emporcalhar o mundo livremente.

Polegadas no Facebook : viral fora de controle !

A brincadeira começou como uma nova onda viral das meninas de ficar falando o número em Polegadas ( em vez de centímentros, nosso padrão métrico) aumentando assim a curiosidade, principalmente, dos homens. Tudo teria começado quando uma menina teria pedido para uma amiga de Londres para comprar um sapato mais barato e a londrina teria perguntado : Qual é o seu número ? O padrão métrico europeu é em polegadas (inch). O número brasileiro  nesta comparação, fica muito maior, fica um SAPATÃO ! E com o número maior, vem a gozação.

Só que tudo isto teria saído do controle e hoje a brincadeira pode insinuar:

* O tamanho do pênis do namorado

* A nota do cara na cama

* O tamanho da TV de LED

* O número do sapato do sujeito

* Porra nenhuma, só um misterinho a mais na relação

* A distância percorrida pelo dedo do urologista para diagnosticar o câncer de Próstata (MUITO bizarro !)

* Corrente da Campanha feminina contra o câncer de mama (Auto-Exame)

Alguns já estão fazendo variantes da brincadeira e usando outras nomenclaturas métricas : Hectares, Centímetros ,Quilômetros ,Nanômetros, Pixels. Existe um pacto entre elas de não falar que são as polegadas pra aumentar a curiosidade! Veja o e-mail que circulou na net:

Meninas … é essa época do ano novamente … tempo para apoiar a consciência do cancer de mama! Então … vamos.
Todas se lembram do jogo do primeiro ano de escrever a cor do sutiã como o seu status ?….. No ano passado, foi o local da casa onde você deixava sua bolsa …. bem este ano, é um pouco diferente. Você precisa escrever o tamanho (APENAS O NUMERO) do seu sapato seguido pela palavra “polegadas” Lembre-se … no primeiro ano tantas pessoas participaram da brincadeira que se tornou notícia nos jornais. A atualização freqüente de status irá lembrar a todos por estamos fazendo isso, e ajudará a aumentar a consciência! NÃO NÃO NÃO NÃO fale a NENHUM HOMEM o que o status significa, deixe-os adivinhar! E copie e cole este texto (em mensagem privada- em off) a todas as suas amigas para ver se podemos fazer um barulho neste ano ainda maior do que no primeiro ano! Vámos lá meninas!!!!

A campanha teria sido bolada pela agência DDB , de Singapura.

Ah. E o blog aderiu ao OUTONO ROSA.

Graph Search do Facebook = você moído (via Epimenta)

Você tem a cabeça aberta, não deve nada a ninguém e talvez nem se interesse por isso, mas pergunto se, por acaso, já teve a curiosidade de digitar na busca do Facebook, lá em cima, no chamado Graph Search, algo como “minhas fotos” ou “fotos de um amigo qualquer”?

Faz tempo optei por usar a versão em inglês, que normalmente libera as novidades um pouco antes, mas é uma questão de tempo (se já não é) que o Graph esteja disponível para todo mundo. A ferramenta é vista por muitos como o futuro do FB, porque emula o Google dentro da rede social.

A aposta do Zuckerberg, aliás, bastante inconsistente, um pouco wishful thinking, é a de que as referências da multidão, entre os “amigos”, recriem uma espécie de feed de uma realidade paralela contada pelos participantes que, como eu toda a old media, continuam a contribuir graciosamente para este grande Rotary virtual planetário.

Se, numa hipótese absurda, um headhunter ou alguém da espionagem americana der um search no meu, devo confessar que terão ali centenas de imagens desconexas que só ensejarão uma leitura: esse cara é um nuts. Não que não seja, mas não é o Facebook que,  a essa altura do meu campeonato, vai decidir. Ou até, pelo jeito, vai.

Continue Lendo via Epimenta

O melhor e o pior do Facebook. Ou a vida como ela não é (via Revista Bula)

Por 

Segunda-feira. O sujeito acorda atrasado às sete horas da manhã. Levanta-se às pressas, segue tropeçando até o chuveiro, lava rápida e porcamente suas vergonhas, se veste mal e segue acelerado para o trabalho, enquanto lamenta mais uma vez não ter sido sorteado na mega-sena do final de semana.

No trânsito, ele não dá passagem aos motoristas das faixas ao lado, avança contra pedestres, buzina ameaçador para os motoqueiros que o ultrapassam por todos os lados — por cima, por baixo, por dentro — e deseja a morte sofrida de todos que saíram de casa só para impedi-lo de correr mais rápido na avenida congestionada.

Ele chega ao trabalho e não responde a nenhum “bom dia” no elevador, reclama em voz alta da moça da faxina que mudou a posição de seu teclado dois centímetros para o lado na hora da limpeza, liga o computador, entra em seu perfil no facebook e digita:

“Uma semana de paz e amor a todos. Que Deus ilumine seus corações e encha seus caminhos de alegrias. Bom dia, planeta face!”

Continue Lendo via Revista Bula

Morrer no Facebook (via Epimenta)

Lord Byron morto, em óleo de Joseph-Denis Odevaere (1826)

Outro dia foi um amigo de quem você gosta mas não tem contato há muito tempo, um daqueles velhos amigos cujas vidas — no caso, a sua e a dele — foram capazes de criar um tal distanciamento que você, intimamente, achava mais confortável preservar a distância. Mas você gostava dele e achava que ele de você.

Infarto aos 39, você saberá depois, mas antes a informação surge sorrateira no feed do Facebook porque os algoritmos do sistema da rede social identificaram que o teu perfil tem alguma proximidade com o de quem primeiro se manifestou sobre a triste ocorrência. Por algum motivo você não consegue acreditar muito naquilo.

O que você vê é uma imagem amadora, um pouco antiga, com comentários bem canhestros que te fazem pensar que aquilo tudo não passa de uma brincadeira — perfeitamente cabível no caso dele, um decano da internet, um cara que era mais conhecido pelo apelido no MiRC do que pelo nome de batismo.

Em busca de fatos, você vasculha o perfil e percebe que há um início de peregrinação digital expressa em mensagens de exaltação à memória do morto e de solidariedade à família — muitos depositam o burocrático Requiescat in pace e estamos conversados.

A propósito, quando a gente morrer, tem que ir nesta página do Facebook.

Continue Lendo via Epimenta

Por que existem as hashtags ? ( via O mundo dos jetsons)

Para alegria de alguns e desespero de outros, o Facebook ganhará suporte a #hashtags. Um bilhão de usuários terão acesso à função nos próximos dias, que já existe há algum tempo no Twitter, Instagram e Google+.

Mas quem criou a hashtag? E quem ajudou a difundi-la? A resposta para as duas perguntas envolve um rapaz chamado Chris Messina.

A inspiração para usar o # (jogo da velha) veio do IRC. Nele, você inicia a mensagem com #nomedocanal para dizer que ela pertence a certo grupo ou assunto.

Uma rede de microblogging decidiu adotar a ideia: o Jaiku, comprado pelo Google em 2007 (e fechado em 2012). Nele, você podia criar canais iniciando sua mensagem com #nomedocanal. Cada canal reunia mensagens com conteúdo semelhante.

Em 2007, alguns usuários do Twitter pensavam em criar grupos na rede social. No entanto, Chris Messina, um conhecido defensor do código livre, propôs algo maior do que grupos: “eu estou mais interessado em simplesmente ter uma experiência melhor de ouvir o que outros estão dizendo no Twitter”. Ele fez uma proposta formal de como isto seria incorporado à rede social, e foi o primeiro a usar a hashtag:

Dessa forma, era possível agrupar tweets com conteúdo semelhante. Então Messina criou a hashtag; e Stowe Boyd, que comentou as ideias de Messina em seu blog, cunhou o termo, em um post chamado “Hash Tags = Grupos para o Twitter“.

Continue Lendo via O mundo dos jetsons

Uma carta de amor – ao lume de certos escritos, extraídos da pátria facebook

Por Altair Santos (Tatá)

Alzerina Souza (nome fictício) é uma cidadã simples, de português elementar, domínio gramatical diminuto. Carrega consigo a insígnia e fama de ser consumidora inveterada do produto virtual facebook. Lá conforme o seu poderio e alcance ela interage Infalivelmente compartilhando, seguindo, curtindo e comentando. No popular, ela deita e rola! Num dia desses resolveu fazer diferente e recorreu ao velho mecanismo de escrever e mandar uma carta. Casada com Rogério, também muito simples e igualmente de formação mínima, o marido assim como a esposa, é pessoa do bem, muito espirituoso embora, neste caso, tenha ele rompido a barreira da calmaria e chutado o pau da barraca. Na carta o endereço assinalado por Alzerina foi justo o de sua residência, o destinatário da missiva, nada menos do que Rogério, seu esposo. Na mensagem um convite para um passeio, no dia dos namorados. Lindo, não? Então, flores, canções, poesias e muito amor a este e a todos os casais enamorados, no 12 de junho que se aproxima. Felicitações prévias, à parte, ao chamado do carteiro Rogério corre para atender. Antes de abrir o envelope, ainda na leitura do endereçamento, uma pequena amostra do conteúdo que esconde nítidas “mal traçadas linhas”. Certa dúvida e, um breve disse me disse, entre os dois, expôs a dificuldade inicial logo na identificação do seu próprio nome, quase o levando a recusar o documento, mas não o fez. Cidadão nascido e batizado como Rogério Alberto Azevedo de Assunção, o moço quase dá um “chilique” e cai de costas. Meio que fora de si, o zonzo amparou-se no ombro do trabalhador dos correios, que nada entendia. Incrédulo fitou o escrito externo daquele envelope pardo e balançava a cabeça em sinal de negação passando, repetidamente, as vistas, no seu nome aposto na parte contrária ao lacre, onde ele passou a chamar-se Rojério Auberto de Açumção. De imediato fez-se mudo, inerte, boquiaberto, leso, bilé da cuca! Tentando ler, entender e se reconhecer, com o seu nome de um jeito nunca antes grafado, viu o mensageiro, intrigado, virar as costas e zarpar, deixando Rogério só, sem estrutura no campo da solidão. Visivelmente abalado, fez os passos do portão até a sala levando enorme peso nos ombros e uma torturante indefinição, das maiores, até então vividas. Aquele senhor e sabedor de si mesmo era, agora, um re-nominado indeciso, cuja certeza da identidade lhe fugiu. Prostrado no sofá, possuído de dúvida cruel, inflado em insegurança olhou pros lados e, sem ninguém por perto, sacou a carteira do bolso e checou no Rg, no CPF, na CNH e no reservista, como querendo tirar a limpo! Refletiu que há mais de 10 anos, sem estímulo e vontade nenhuma, não lia e nem escrevia sequer um bilhete e, agora, tinha nas mãos uma correspondência, com seu nome às avessas. Não contente correu pro quarto puxou uma velha pasta de cima do guarda-roupa espalhou papéis no chão e achou a cópia da certidão de nascimento, a certidão de batismo (batistério), o boletim escolar e fez ali, uma acareação documental que, ao final, não lhe confortou. Temendo pelo pior, foi no espelho, olhou-se detidamente numa imagem pálida, que lhe refletia também um traço fisionômico intranqüilo. Mas não cedeu! Fez um face a face consigo mesmo tentando dirimir a dúvida, desfazer-se do medo e descobrir-se de vez entre o “Rogério” e o “Rojério”! De cara pensou pedir ajuda, mas logo retrocedeu! Aquela parada era pra ele mesmo resolver! Já suando frio, sentou à mesa para, de uma vez por todas, desvendar aquilo. Incerto, se abria ou não o envelope e com o cérebro feito vulcão, pronto a cuspir lavas, o cara franziu a testa, “mordeu os beiço” esmurrou a mesa e abriu com descuido o lacre feito com bastante goma. Começava a se irritar! Do interior do envelope puxou uma folha de papel dobrada ao meio. Corajosamente, agora destemido e macho pra mais de mil, foi direto ao assunto quando, outro susto, quase faz desmoronar de vez o enfurecido Rogério. O teor da carta, uma escrita longe de sua interpretação, impossível ao seu cotidiano, linhas não afeitas ao seu potencial e alcance literário, quase lhe leva ao desmaio, ao piripaque! Perdido em pensamentos concluiu que aquilo exigia a presença e ajuda superior, o auxílio maior de um tradutor. Entender aquilo só mesmo na companhia de um poliglota ou um especialista em línguas remotas, quase perdidas, dialetos extintos. Totalmente desconcertado, impotente e sem ter como avançar no texto, as reservas de paciência se esgotaram. Rogério emputeceu de vez! Pra lá de injuriado vestiu o manto da paciência zero e, fulo da vida, soltou um grito aterrador que fora ouvido, além de sua casa, em toda a vizinhança. Filho da puuuttttaaa! Pôrrrraaaaa! Quem é o puto desse gringo escroto que escreve e manda essa merda? E que língua é essa, é latim, é inglês, francês, espanhol, ou é a língua dos trópicos? É o vocabulário de marte ou é a fala de Mãe Joana? Via-se dali então, um Rogério furioso, encolerizado, à beira de um ataque de nervos, um touro indomável. Ainda aos brados, chamou em socorro a mulher e o filho: Alzerina, Charles, cadê vocês? Corram aqui! Pôrraaa venham logo! Dirigindo-se aos dois, em visível descontrole, o irado reclamou, vejam isso! O baitola dum estrangeiro mandou uma carta que só pode ser do país da mãe dele, não entendi uma só palavra, nunca vi um escrito desses nem no puteiro! Se eu pego esse amaldiçoado ele ia se f… comigo, ia aprender o português era na porrada! E agora o que faço com isso? Hein, o que faço! Atenciosa a esposa pegou a carta leu, reconheceu ser a sua e disse com muito jeito: meu amor essa fui eu que lhe escrevi, é um convite pro dia dos namorados. Leia com atenção, tenha calma, pode soletrar se quiser… Fez-se um breve silêncio! Agora em posição de estátua, imóvel ante a revelação da remetente ao destinatário, Rogério ou Rojério, era a tradução e resposta viva do infortúnio gramatical. Acometido de momentânea paralisia disse a si mesmo, em sussurro: cacete, e eu lá sabia que ela entende outra língua! Abaixo o teor da singela correspondência de Alzerina Souza ao seu amado Rogério. Quirido e amado Rojerio, No procimo dia 12 de junio vai ser um dia muito felis, é o dia dos namorados, vamos fazer uma comemorasão! Resseba esti comviti apaichonado, pragenti irmos comê uma pitça goztoza e toma unz xopis bein jeladin. Seu prezente é uma sur prezinha. Nesse dia, naum isqueça de pasar na loucadora, o noço filho Xarlis vai ficar na caza da vó acistindo um fiume de fiksão sientista. Não presiza mandar flor, bazta a sua prezencia au meu lado. Com amor e emossão, A çua Auzerina Solza! Mais tarde saindo pro trabalho, ainda abatido pelo drama e agonia lingüística, Rogério é abordado pela carinhosa esposa que se despede lhe beijando o rosto e enfiando no bolso da camisa um bilhete. Já no trabalho, lança mão do escrito e tenta: Mel amor, cei que a vida naum é facio, maz não fique açim xatiado, afnal tantu faiz comu tantu feiz! Voçe é um pessoa boua que não tem enveja de ninguém e meresi ser muito felis. Goztou ou naum goztou? Bejo da çua, Auzerina Solza!

O autor é músico e produtor cultural tatadeportovelho@gmail.com

Depois da evangélica Hyzby, agora é a vez da eCatholicus, a rede social oficial da Igreja Católica estrear na net

Depois da rede social evangélica Hizby estrear no mundo virtual, chegou a vez da eCatholicus,  voltada para o público católico que se prepara para o maior evento religioso a ser realizado no Brasil em 2013, a Jornada Mundial da Juventude (JMJ 2013) entrar na net. Para se cadastrar na Rede é necessário acessar o site http://www.ecatholicus.com.br e seguir as instruções.

A  eCatholicus é uma parceria da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e do CERIS – Centro de Estatísticas Religiosas e Investigações Sociais. Entre os cadastrados encontram-se padres, bispos, religiosos(as), diáconos, além de leigos e leigas. Isso sem falar nas paróquias e comunidades da Igreja Católica em todo o Brasil, atualizadas pelo Censo do CERIS.  Todos que curtem a Jornada poderão se encontrar antes na eCatholicus, e se preparar para o grande encontro com o Santo Padre no Rio de Janeiro. Quem não for participar da JMJ Rio 2013 também poderá acompanhar a movimentação pela eCatholicus e se relacionar com peregrinos do mundo todo que vão para o Rio de Janeiro.

Todas as paróquias do Brasil estão cadastradas na Rede Social eCatholicus Brasil com base no Censo Anual da Igreja do Brasil, CaicBr. Perfis de leigos e integrantes do clero podem ser encontrados com facilidade. Na rede social católica, meios consagrados de expressão, como a postagem de fotos, vídeos e atualização de status são recursos disponíveis. Também há as opções ‘curtir’ e ‘compartilhar’ os conteúdos postados.

A rede social e seus ecos

Por Altair Santos (Tatá)

“a atribulada relação humana com o facebook, o maior fenômeno de comunicação e interação social dos últimos tempos.”

Lá do recôndito distante e derradeiro do seu cabeção, um maluco puxaria pela memória e repetiria, em alta voz, a célebre frase, “pára o mundo que eu quero descer!” Isso, dar-se-ia ante o fantástico, incrível e espetacular poder arrebatador e de domínio das redes sociais e alguns dos seus serviços, bem como, o usufruto cotidiano e praticamente ininterrupto desses recursos, que tem transformado a vida de muita gente.

O glorioso facebook nosso de todas as horas e das horas todas, em que pese o encurtamento de distâncias por ele promovido, a agilidade na troca de informações, a praticidade oferecida e possível, num mundo cada vez mais célere, exigente e atribulado, faz muita gente lançar os pés pelas mãos e assumir este meio, como parte indissociável de suas vidas. Um casal de jovens namorados, radicalizou na coisa e tatuou aquele “F”, símbolo do facebook. Ele no antebraço, ela atrás do pescoço.

E assim, a toda hora, a todo momento, de dentro pra fora, de fora pra dentro, conforme a música, tem gente que troca a noite pelo dia, a comida pela fome, a água pela sede, o marido ou a mulher pelo computador. Nesse particular, não chega a ser tanto, mas, do jeito que vai, em médio prazo, quem sabe! À noite numa festa, ou num bar, em alta madrugada tem gente postando fotos da balada, atualizando os ocorridos ou parte deles. Isso vara a noite indo até o amanhecer. A bateria desses navegantes quase nunca perde carga.

Após nocautear inapelavelmente o Orkut e empalidecer o MSN, suplantar e desbotar outros do ramo, o facebook reina quase que absoluto na preferência popular. Até o advento de um novo e mais atraente invento que o empurre para escanteio, ele virou e continua sendo um rotativo e vistoso painel de úteis e inúteis informações. É um leito de rápidas, conflitantes e apaziguadas relações, afinal, tem pinta de carro chefe do momento, em se falando de rede social.

Entre postagens, compartilhamentos, cutucadas e comentários, uma verdadeira salada de coisas boas e ruins é, ali, despejada, em grande número, sem qualquer zelo, sem maior ou menor critério, por parte dos consumidores. Pior, o que se lamenta no uso indiscriminado da conta, é que muita gente opta e exibe a potencial verve do besteirol, ressaltando as mentes e cucas desprovidas. É o exercício do livre direito em choque com a face inculta e deseducada, o que suscita debate, reflexão, análise sociológica.

Estes enunciados avalizam que, nem eruditos e nem populares, sozinhos em guetos, de parte a parte, sem associativismo, não construiriam a diversidade e a pluralidade social. Logo, os posicionamentos aqui expressos não carregam os crivos de natureza condenatória, nem de longe! Apenas, revelam fatos e nuances daquela realidade. Interagimos com a sociedade faceana ao nosso modo, respeitando o seu modelo e costume. Se não o fosse, nada teríamos a dizer.

O face (leia-se “feice”), para os íntimos, em sua estupenda legião de seguidores conta com aficionados de todas as ordens, a saber: os eventuais – aqueles que somente acessam para poucas e discretas investidas, visitas raras, esporádicas. Os moderados – que regularmente visitam, mas não se excedem e os viciados – que formam a esmagadora maioria. É neste conglomerado onde realmente mora o perigo. Esses são os degraus da verdadeira escada descendente da falta do que fazer e do arruinamento de um monte de coisas, dentre elas, a nobre língua portuguesa que sofre um bruto e irreversível bombardeio.

Com freqüência, no facebook, se nos aparece jóias raras como: quando eu “volta” da viagem (não seria voltar?). Hoje queria “esta” (estar) contigo. Em resposta à pergunta: vais ao evento? Acho que “vou ir”. Numa conversa entre amigas ou amigos: mas eu já tinha “chego” em casa! E essa: Não “fasso” isso “com” “tigo”, então não “fassa” isso “com” “migo”, por favor me “polpe!”. Essa foi de lascar! Outra mais: o lanche de ontem na faculdade “me deu em mim” uma tremenda “asia”, Se caprichasse um pouco mais, dava na pessoa um tremendo continente asiático! Fulana amanhã “não dar de ir”, o carro da minha mãe tá “concertando” na “ofisina!”. Isso no ENEM seria, “e nem” pensar. Já no ENADE seria “e nade a ver!”

Mais: diga não “au rasismo!” (assim fica difícil!). Alguns acadêmicos no face, rasgam previamente os diplomas e jogam o futuro de suas carreiras na lata do lixo, vejamos: amigo, fui “mau”, muito “mau” na prova de direito “sivil!” Onde já “si vil” isso rapaz? Esse cara só Pode estar gazetando as aulas e rasgando o dinheiro do pai! Sai pra lá “dotô”, já pensou um homem desses fazendo a sua defesa? É condenação certa, se não pela possível ou evidente culpa, mas pela retórica tortuosa, aleijada, do diplomado.

Via face, temos podido mandar e receber informações, agilizar contatos, emitir opiniões e um sem número de coisas servíveis e não servíveis, no emaranhado e acelerado ritmo da vida atual. Em potencial, o espaço virou praça virtual por onde desfila, em forma de postagem, uma enxurrada de porcaria.

Tem gente que usa o espaço para apor a fotografia do seu cachorro na cama do casal. Talvez na hora de dormir, marido e mulher deitem no chão e o cãozinho em lençóis macios! Já um outro, exibe uma enorme lasanha que vai ao forno (na casa dele), e daí? Uma moça, toda semana, tasca lá uma fotografia diferente, sempre sensual, dedo na boca entreaberta, olhar em diagonal, sinuosidade na cintura e decote em “V” maiúsculo. Quando instigada nega ser exibicionismo e afirma, nem fiz pose!

Um cidadão tarde da noite e, na falta de assunto, diz que está “indo dormir”, como se o sono dele interessasse e fizesse diferença na vida de alguém, ou que todos também se fossem com ida dele. Ora bolas, vá logo e, se possível, nem acorde mais. Dorme Cinderela, dorme!

Alguns metidos a poliglotas postam frases ou textos inteiros em inglês ou espanhol. Nas últimas semanas apareceram até uns textos do mundo árabe, nem sei se é verdade ou não, porque não tinha tradução e mal pratico o português! Certos manés passam o tempo todo inserindo clips de pagode de São Paulo, forrós desforrozados e o intragável sertanejo universitário (sem xenofobismo, por favor!). Não vejo a hora desse sertanejo se formar, começar a trabalhar e parar de encher o saco!

Aquela alesada, toda chorosa, coloca um anúncio e pede milhares de compartilhamentos porque o gato ou cachorro de estimação sumiu e seu o coração está em frangalhos. Enquanto isso lá no quintal da casa, o filho dela fica viçando (comendo) terra e aumentando o tamanho do “bucho”. Mas o que importa mesmo é o animal de volta, o guri que se entupa de verme! Tem uns que vão viajar e mal chegam ao aeroporto ou rodoviária e mandam uma foto com a legenda: “indo pra lugar tal, indo não sei pra onde! Ora, vai rapaz, que tal ir pros “quintos” e por lá ficar?
Outros, na mais total ausência de afazeres passam o tempo todo chamando pra jogar isso, jogar aquilo, jogar não sei o quê! Não quero jogar nada, não sei jogar esses negócios! Ultimamente nem pedra na lua ou nos telhados ando jogando, muito embora, alguns tetos andem merecendo umas boas pedradas!

Sem meio esforço, no face, você é metralhado por uma coleção de frases de auto-ajuda, máximas religiosas, poesias e piadas que, com exceções, aceitamos e respeitamos. Tem os que reproduzem Nietsche, Max, Engels, Sócrates, e os que passeiam por Jesus Cristo, Nossa Senhora, Maomé, Buda, Iemanjá, Ogum, Gandhi, Chico Xavier, Zibia Gasparetto. Outros atacam de Adamastor Pitaco, Mução, Barnabé e tantos mais, dentre santos, célebres e engraçados, tudo vale quando é pro bem comum!

Lá também aparece mais coisa boa como divulgação de prestação de serviços, eventos, fotografias, informes e dados históricos, culturais e esportivos. Curiosidades e avanços da ciência e da medicina, também têm lugar no multifacetado facebook.

Todavia, existem os que praticam a falta de ética e respeito, o que não devia habitar um espaço de interação social.Tem uma turma que faz comentário político com a boa crítica e análise criteriosa, manifestação sensata. Outros, no entanto, sem polimento qualquer descambam pra apelação, ofensa e revanchismo. Existem aqueles que se travestem de pais da invencionice, verdadeiros criadores de fatos, dados, números e valores que só eles conhecem, sabem ou viram um dia. Ai vira desinformação, sacanagem!

Preferências textuais, à parte, a rede é social e, por tal, espaço do direito livre, facultado a todos, muito embora, a turma devesse melhorar e enriquecer o conteúdo, para o bem da formação e da informação. Em muitos casos, como dito numa piada encontrada no glossário do bom humor do próprio face: a coisa anda tão feia no facebook que a palavra em vez de “postar” deveria ser “bostar”. Mas o que é mesmo a relação humana senão um grande oásis, do qual todos bebem e se recostam à sombra; cada qual, segundo a sua sede e cansaço?

O autor é músico e produtor cultural
tatadeportovelho@gmail.com

Migrando sua Conta do MSN para o Skype (via Blog do Pedro Schwan)

Como já é de conhecimento de muitos, a Microsoft anunciou no fim de 2012 a aposentadoria  do Windows Live Messenger (MSN) para o 1º trimestre de 2013. Pois bem, após a aquisição do Skype, a Microsoft percebeu que não era interessante manter no mercado dois comunicadores (concorrentes) e decidiu unificá-los, sendo assim, optou por manter o Skype no mercado e aposentar o MSN.

Você deve estar se perguntando o que irá acontecer com os mais de 100 milhões de usuários do MSN em todo mundo, afinal de contas, muita gente ainda usa o MSN diariamente, seja para fins particulares ou profissionais, mas não se preocupe, pois todos esses usuários serão migrados para o Skype.

A Microsoft anunciou no dia 15/02, que a migração dos usuários Brasileiros será a última a acontecer e está prevista para o fim do mês de Abril.

Segue abaixo um tutorial explicando como realizar a migração de sua conta do Messenger para o Skype.

1) Primeiramente você deve realizar o download do Skype que pode ser realizado através do link  http://www.skype.com/pt-br/download-skype/skype-for-computer/

2) Após a instalação do Skype, abrirá a seguinte tela de login abaixo. Escolha conectar-se com “Conta Microsoft”

Continue Lendo via Blog do Pedro Schwan

Eram as telhas feitas “nas coxas” das escravas ?

Todos que acompanham este blog sabem que , por uma decisão pessoal, não divulgo muito por aqui coisas relacionadas a patrimônio histórico, arqueologia, etc,etc e tal.

Mas tem uma lenda que foi desmistificada e que vale a pena dar uma olhada.

O Superintendente do IPHAN no Paraná, La Pastina é uma pessoa que eu prezo muito, tem credibilidade e às vezes, me dá a honra e a alegria de dividir uma Original gelada comigo.

arqueólogo Danilo Curado escreve em sua página no Facebook : “Hoje, mais uma vez, presenciei a lenda de que as telhas do tipo “capa-canal” ou colonial eram feitas nas coxas dos escravos. Bom, para aqueles que continuam a perpetuar este mito, indico vivamente o artigo do arquiteto Prof. José La Pastina Filho (superintendente do IPHAN no Paraná), intitulado  Eram as telhas feitas nas coxas das escravas ? 

Segundo La Pastina, a comparação ocorre, pois há semelhança na forma tronco-cônica entre o formato das telhas tradicionais e a parte superior das pernas dos humanos. Entretanto, possuindo o “know-how” de mais de três décadas restaurando as coberturas de edifícios, o autor expõe claramente, por meio de um estudo de caso, de que tal associação entre coxas humanas e telhas não passa de uma lenda histórica, sendo as telhas produzidas sobre moldes de madeira.

Para confirmar nossa convicção das inconsistências da assertiva popular – telhas feitas nas coxas dos (as) escravos (as) – tomamos as medidas das coxas de um homem de 1,80m de altura e verificamos que, usando-a como molde, só seria possível a fabricação de uma minúscula telha de 36cm de comprimento. Sem maiores preocupações com aspectos de anatomia humana, se estabelecermos uma simples regra de três, poderemos verificar que, para fabricar uma telha de 77 cm, precisaríamos contar com um escravo de 3,95m de altura. Além disto, em termos de otimização de força de trabalho, mesmo numa sociedade escravocrata, teríamos uma perda substancial na força de trabalho: um escravo imobilizado, com lâminas de barro sobre suas duas coxas, e pelo menos dois outros para remover cada uma delas e transportá-las ao estaleiro.” (La Pastina Filho, 2006).

Pois então, será mesmo que os escravos possuíam mais de 3 metros de altura ou será que a nossa sociedade sempre quis enxergar o lado pejorativo da expressão “feito nas coxas”?

Tudo sobre a tragédia da Boate Kiss, em Santa Maria. Morre 242ª vítima

Morre 242ª vítima. 

Morreu na madrugada deste domingo (19/05/2013), em Porto Alegre, a vítima de número 242 do incêndio que atingiu a boate Kiss, em Santa Maria, Região Central do Rio Grande do Sul, em 27 de janeiro deste ano. Mariane Wallau, de 25 anos, estava internada no Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA) e era natural de Santiago. A informação foi confirmada pela Secretaria Municipal de Saúde pela manhã.

Driele Pedroso Lucas, de 23 anos, estava internada no Hospital Mãe de Deus, em Porto Alegre, e teve a morte confirmada às 6h45 desta quinta-feira (7/3). A vítima era a última paciente que ainda estava em ventilação mecânica após o dia da tragédia.

Morre 240ª vítima . Morreu na manhã deste sábado (2/3/2013) mais uma vítima da tragédia na boate Kiss, em Santa Maria (RS). Pedro Falcão Pinheiro, 25, estava internado desde 27 de janeiro, o dia do incêndio, no Hospital Cristo Redentor, em Porto Alegre.

A 238ª vítima é um rapaz de 20 anos. A família pediu para que seu nome não fosse divulgado.

Bruno Portella Fricks, que estava internado na UTI do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, foi a 237ª vítima da Kiss na noite do sábado(2/2). Bruno era formado em administração de empresas pela UFSM. . Sua namorada, Jéssica Duarte,que estava junto com ele na festa  está internada em Porto Alegre.

O jovem Matheus Rafael Raschen foi a 236ª vítima da tragédia.Matheus, jogador de basquete de Santa Cruz do Sul,faleceu na noite desta quinta-feira (31/1), no Hospital de Pronto Socorro de Porto Alegre.

Uma webcam transmite ao vivo a movimentação em frente ao prédio da Boate Kiss. Clique no link

Segundo o jornal “O Dia” do Rio de Janeiro, na sua edição eletrônica de terça-feira(29) ” a polícia de Cruz Alta, no Rio Grande do Sul, afirmou que um dos sócios da boate Kiss, que que está internado num hospital sob custódia policial tentou o suicídio na tarde desta terça-feira. Segundo a delegada Lylian Carús, Elissandro Spohr  tentou se enforcar com a mangueira do chuveiro. O policial que fica de plantão no quarto hospitalar do empresário, que teve prisão temporária decretada por cinco dias, percebeu a intenção e o impediu. Elissandro foi algemado na cama para evitar novas tentativas. A prisão temporária do empresário acaba nesta sexta-feira, dia 1º de fevereiro”.

Confira aqui  a lista completa dos internados no Estado

A festa que acontecia na boate Kiss, em Santa Maria, Região Central do Rio Grande do Sul, na hora do incêndio que deixou pelo menos  238 mortos,  (124 homens e 114 mulheres) reunia jovens universitários da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)

O vice-reitor da UFSM, Dalvan José Reinert, disse que  a maioria dos jovens mortos eram dos semestres iniciais.  Segundo nota distribuida pela assessoria da UFSM,  pelo menos 101 mortos eram acadêmicos da Universidade Federal. CNN , Los Angeles Times, BBC , New York Post , Daily Mirror , El Pais e El Clarin foram alguns dos mais importantes jornais do mundo que deram destaque à tragédia brasileira. O Papa Bento XVI enviou uma mensagem de solidariedade ao Arcebispo Dom Hélio Adelar Rubert, da Arquediocese de Santa Maria : “Consternado pela trágica morte de centenas de jovens em um incêndio em Santa Maria, o Santo Padre pede à Vossa Excelência que transmita às famílias das vítimas suas condolências e sua participação na dor de todos enlutados. Ao mesmo tempo que se confia a Deus Pai de misericórdia aos falecidos, o Santo Padre pede ao céu o conforto e o restabelecimento para os feridos, coragem e consolação da esperança cristã para todos atingidos pela tragédia e envia, a quantos estão em sofrimento e ao mesmo tempo procuram remediá-lo, uma propiciadora Bênção Apostólica.” A festa chamada “Agromerados” era organizada por estudantes dos cursos de Agronomia, Medicina Veterinária, Pedagogia, Zootecnia, Técnico em agronegócio e Técnico em alimentos, tinha classificação etária de 18 anos e o ingresso custava R$ 15. No banner de apresentação do evento, as atrações confirmadas eram as bandas “Gurizada Fandangueira“, “Pimenta e seus Comparsas” e os DJs Bolinha, Sandro Cidade e Juliano Paim. Santa Maria é conhecida por ser uma cidade universitária, pela excelência dos seus cursos, em especial os da UFSM. Só a Federal tem cerca de 28.000 acadêmicos.Outros centros de ensino superior de Santa Maria são a Faculdade Integrada de Santa Maria (Fisma), Faculdade Metodista de Santa Maria (Fames), a Universidade Luterana do Brasil e a Faculdade de Direito de Santa Maria (Fadisma). Se estima em cerca de 50.000 o número de universitários na cidade que tem aproximadamente 270 mil habitantes. Por volta das 14h deste domingo, a presidenta da República Dilma Rousseff chegou ao ginásio municipal de Santa Maria para onde foram encaminhados os corpos das vítimas. Dilma conversou com familiares das vítimas e, visivelmente emocionada, preferiu não conversar com a imprensa. Antes de chegar ao ginásio, ela também passou no Hospital Caridade, onde estão sendo atendidos parte dos feridos. A presidenta estava acompanhada da ministra-chefe da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Maria do Rosário; do ministro da Educação, Aloizio Mercadante; do presidente da Câmara, deputado federal Marco Maia; e do governador do Estado, Tarso GenroPor volta das 15h, Dilma tomou o avião para retonar a Brasília.

A Presidenta Dilma Roussef cancelou a agenda no Chile e foi pessoalmente se solidarizar com os familiares das vítimas  em Santa Maria foto: Roberto Stuckert Filho/PR

“Em apenas dez anos a Gurizada Fandangueira consolidou-se no mercado da música gaúcha e prepara-se para crescer ainda mais. O crescimento não se deu por acaso, disciplina, determinação, paixão pelo trabalho, amor pela música e conhecimento são os pilares que a sustentam desde sua criação. A parceria, a amizade, o respeito e o tratamento familiar entre músicos e colaboradores fizeram com que a gurizada nunca interrompesse seu trabalho, graças a isso se mantém até os dias atuais. Da cidade de Santa Maria, a banda conta com uma formação sólida e próximo de completar 10 anos de carreira, neste ano a banda inova com seu mais recente CD, intitulado O SOM QUE O POVO GOSTA. Procurando atingir aos mais variados públicos, seguindo uma linha que vem dando certo a cada novo disco. Com a grande experiência comprovada em bailes e shows, demonstra além de todo seu talento, muita inovação em estrutura, efeitos visuais e pirotécnicos, os quais fazem toda a diferença na identidade exclusiva da banda. Pretende-se com este novo disco alcançar vôos ainda mais altos dedicando-se a um trabalho de nível nacional. Além do ‘SOM QUE O POVO GOSTA’ o CD traz outros grande sucessos, que atingem o estilo mais tradicionalistas com a música ‘BOTA DE A PÁ’, e o público do sertanejo universitário, com ‘LARGA TUDO e CORAÇÃOZINHO’.” No perfil da Banda Gurizada Fandangueira no Facebook não há mais informações atualizadas, mas um dos integrantes morreu no incêndio,  o sanfoneiro (gaiteiro) Danilo Jaques,de 27 anos, o mais jovem do grupo(de camisa azul na foto). Ele teria conseguido escapar mas voltado para buscar a gaita.

O gaiteiro Danilo Brauner Jaques e, segundo ele, “sua criança”. Reprodução/Facebook

Da outra banda que se apresentou antes, banda Pimenta e seus Comparsas, morreram o baterista Marcos André Rigoli, de 37 anos e o baixista Robson Van Der Ham, 31 anos. A equipe de esportes da Rádio Guaíba se dirigia a Caxias do Sul para transmitir o jogo Inter X Caxias pelo Gauchão e informada do cancelamento do jogo em meio à viagem tomou a decisão de ir direto à Santa Maria para informar os ouvintes sobre os acontecimentos. Aviões e helicópteros da Base Aérea de Santa Maria ajudaram na remoção dos queimados mais graves para hospitais de Porto Alegre, a 290 km.

Interior da boate Kiss em foto de outra festa, anterior à tragédia. fonte: www.boatekiss.com.br  Na noite de domingo,27 a página foi tirada do ar.

O Comando da Aeronáutica confirma que dentre os mortos, estão 5 militares da FAB que se encontravam na boate: o Sargento Luiz Carlos Ludin de Oliveira e os soldados Giovani Krauchemberg Simões, Leandro Nunes da Silva, Rodrigo Dellinghausen Bairros Costa e Rhuan Scherer de Andrade. Veja a nota oficial na íntegra: A Força Aérea Brasileira prossegue apoiando as vítimas da tragédia ocorrida em Santa Maria (RS) na madrugada deste domingo (27/01).  As ações continuadas nesta tarde constam de: 1 – Transporte de equipe médica multidisciplinar do Hospital de Força Aérea do Galeão, localizado no Rio de Janeiro, composta de cirurgião plástico especializado em queimados, cirurgião geral, médico intensivista, equipe de enfermeiros especializados em tratamento de queimados e material de suprimento médico e cirúrgico referente às necessidades do ocorrido. 2 – Transporte de equipe médica do Hospital de Aeronáutica de Canoas, localizado no Rio Grande do Sul, composta de psicólogos, médicos e enfermeiros que apoiam a equipe de legistas em Santa Maria, além de se somarem àqueles profissionais que prestam apoio às famílias das vítimas. 3 – Disponibilização, desde a fatídica ocorrência, dos meios de combate a incêndio e dos serviços de socorro imediato (ambulâncias e serviço médico do Hospital da Base Aérea de Santa Maria). 4 – Disponibilização de aeronaves de grande porte (C-130 Hércules), médio porte (C-105 Amazonas e C-97 Brasília), de pequeno porte (C-95 Bandeirante e C-98 Caravan) e cinco helicópteros H-60 Black Hawk para as diversas necessidades que se apresentam como o transporte de equipes de médicos (especialistas, cirurgiões e legistas), o transporte de sobreviventes que necessitam de remoção para outros centros de apoio e o transporte de vítimas fatais para o estado do Rio Grande do Sul e fora deste. 5 – Até às 19h30 deste domingo, 24 vítimas já haviam sido transportadas para tratamento no Hospital de Pronto Socorro de Porto Alegre (HPS), em aeronaves da FAB. Foram 14 voos, a maioria em helicópteros, que pousam no Parque Farroupilha, o que facilita o acesso ao HPS. 6 – Disponibilização de aeronave C-99 EMBRAER 135, para transporte de equipe de técnicos e peritos do Ministério da Integração Nacional, de Brasília para Santa Maria 7 – Disponibilização de aeronave C-99 EMBRAER 145, que se encontra em prontidão, com tripulação e equipe à postos. 8 – Transporte de respiradores provenientes de Sorocaba e de Porto Alegre. Lamentavelmente, seis militares do efetivo da Base Aérea de Santa Maria (BASM) foram vitimados no incêndio. Destes, cinco faleceram. Ainda segundo o Comando da Aeronáutica, “No total, cerca de mil militares da FAB participam da missão, sendo 64 médicos e enfermeiros, além de 4 psicólogos. Os voos de UTI aérea até o momento envolveram aviões SC-105 Amazonas, C-95 Bandeirante, C-98 Caravan e helicópteros H-60 Blackhawk. Mais aeronaves estão de prontidão para acionamento em caso de necessidade.”  Assina a nota o Brigadeiro-do-Ar Marcelo Kanitz Damasceno , Chefe do Centro de Comunicação Social da Aeronáutica

……..
No Twitter, a hashtag #TODOSDesejamForçasASantaMaria assumiu a primeira posição no painel mundial de assuntos.
O vídeo “Mulher não trai” foi retirado do Youtube pelo usuário no final da tarde desta segunda(28)
O internauta Max Müller publicou na sua página do Facebook um vídeo impressionante mostrando o primeiro atendimento aos feridos , chamado Inferno na Kiss.

 A promotora criminal de Santa Maria Waleska Flores Agostini estava estudando desde o final da tarde do domingo(27) um possível pedido de prisão. São quatro os sócios da boate registrada comercialmente como Santo Entretenimentos Ltda ME, CNPJ 10818234-0001/02 ,uma SOCIEDADE EMPRESARIA LIMITADA , código 206-2 que, de fato e de direito , incluem Mauro Londero Hoffmann e Elissandro Callegaro Spohr, conhecido como Kiko.

O sócio Elissandro Spohr, o Kiko Reprodução/Facebook  

O sócio Mauro Hoffmann Reprodução/Facebook  fonte : Blog do Rafael Nemitz

Na manhã da segunda(28) o promotor do Ministério Público Joel Oliveira Dutra confirmou o pedido de prisão temporária de quatro pessoas : o proprietário do local, o administrador e dois integrantes da banda .O delegado titular da 3ª DPR de Santa Maria, Marcelo Arigony, afirmou que um dos sócios da boate Kiss, Elissandro Spohr, e dois integrantes da banda Gurizada Fandangueira, Marcelo de Jesus dos Santos (vocalista) e Luciano Augusto Bonilha Leão (produtor e roadie), foram detidos na manhã desta segunda-feira,28.  Há informações controversas sobre quem , em tese, poderia ser o integrante da equipe da banda que teria acionado o efeito pirotécnico conhecido como sputnik.  Existem vários tipos de artefatos como os “guerbs” que são indicados para uso indoor,  são disparados através de uma bateria de 9 volts  e produzem um efeito durante 15 segundos com a altura de até 3 metros, segundo o site Equipashow , especializado neste tipo de equipamento. No site Mercado Livre, produtos similares são encontrados com facilidade a um preço médio de R$ 25,00 . Se for comprovado o uso de um sinalizador para uso externo e este tenha sido a causa da tragédia , significa que por uma diferença de R$ 67,50 tudo poderia ter sido evitado. Esta é a diferença nas lojas do modelo de uso indoor para o outdoor. Um custa R$ 70, o outro , mais perigoso e rudimentar,para uso externo,  R$ 2,50. O outro sócio, Mauro Londero Hoffmann se apresentou à Polícia na tarde da segunda-feira,28 .  Agora, os quatro estão presos temporariamente, e sendo tratados como suspeitos,  em celas isoladas na Penitenciária de Santo Antão, a 15 km de Santa Maria. O principal motivo da prisão temporária foi o fato deles terem se afastado da cidade logo após o sinistro. O delegado Sandro Meinerz afirmou que a casa noturna pode estar também  no nome de parentes dos sócios (no caso a mãe e a irmã de Elissandro Spohr, sendo que os três teriam  50% da boate e Mauro Hoffmann, os outros 50%). O empresário Mauro Hoffmann também seria sócio de outros estabelecimentos na cidade, a cervejaria Floriano e a danceteria Absinto. Segundo o site de notícias da cidade de Santa Rosa,  Noroeste Notícias ” Kiko, ator, cantor e empresário, em junho de 2011, em entrevista ao jornal “Diário de Santa Maria”, Kiko teria criticado “a mania de todo mundo sair de casa ao mesmo tempo”. Na matéria do site, “de acordo com o texto do jornal gaúcho, o dono da boate Kiss afirmou, na ocasião, que “muita gente está furando a fila e que os seguranças não conseguem controlar isso totalmente”. Na reportagem, Kiko teria informado que, naquela época, a Kiss tinha público de até 1.400 pessoas, e garantido que o número de ingressos nunca ultrapassa isso. “Sempre temos 700 ingressos antecipados e 700 na hora. Estamos tentando trabalhar para atender da melhor maneira o público. Tanto que passamos de quatro para 10 caixas”, teria afirmado Kiko na época. O delegado Marcelo Arigoni, disse que os primeiros indícios colhidos mostram que o alvará do local prevê lotação de 691 pessoas,e que alguns extintores falsificados podem ter colaborado para a tragédia. No entanto, ficou comprovado que a validade dos extintores de incêndio ía até outubro de 2013. A Prefeitura Municipal de Santa Maria divulgou o alvará de funcionamento, assinado pelo Chefe de Equipe de Fiscalização Imobiliário e Mobiliário da Secretaria de Município de Finanças, Marcus Vinicius Biermann .

No Alvará de Prevenção e Proteção contra Incêndio, expedido pelo 4º Comando Regional de Bombeiros, consta que o risco do estabelecimento era Médio . Segundo a  Lei_10987 , de 11 de Agosto de 1997, em seu Parágrafo 1º – O Corpo de Bombeiros , nos municípios em que possua destacamento, realizará inspeção anual nos prédios considerados de risco grande e médio, e a cada dois anos nos prédios considerados de risco pequeno. No Art 2º consta que as sanções são : 1: advertência  2: multa  3: interdição.

Confira aqui a íntegra da nota oficial da Brigada Militar do RS divulgada nesta terça(29) pelo seu Comandante Geral, Cel Sérgio Roberto de Abreu sobre a concessão de alvarás e outras responsabilidades. A nota pode ser acessada também no site da Corporação.

Segundo a nota ” o PPCI – Plano de Prevenção e Proteção Contra Incêndio apresentado pelo responsável técnico contratado pela boate Kiss e aprovado pelo Corpo de Bombeiros, na boate havia duas saídas de emergência, cujas portas possuíam sentido de abertura para fora, dotadas de barras anti-pânico e devidamente sinalizadas. Suas dimensões estavam adequadas à população de 691 pessoas.” Segundo o jornal “Diário de Santa Maria” a empresa que atualizou o planejamento de combate a incêndio da Kiss foi a Hidramix Prestação de Serviço, de propriedade dos policiais militares Jairo Bittencourt da Silva  Roberto Flavio da Silveira e Souza ( bombeiro) e sua mulher  Gilceliane Dias de Freitas. Édio Nabinger, eletrotécnico da Hidramix dissse para o jornal que foram proposta três medidas, mas que a empresa executou somente uma parte das alterações necessárias para a liberação pelos bombeiros. Nabinger negou que a empresa tenha feito o PPCI. Ele disse para o jornal “Correio do Povo”, de Porto Alegre que apenas recebeu o PPCI para  instalar barras antipânico em portas internas da boate.

65 pacientes foram removidos para hospitais de outras cidades e 79 pessoas seguem internadas na rede hospitalar de Santa Maria.
Segundo o Ministério da Saúde há pelo menos 82 pacientes em estado grave, sendo que 73 em UTI com risco de morte.
A Prefeitura de Santa Maria colocou à disposição da comunidade um telefone para quem quiser mais informações : (55) 3921-7144. Podem ser feitas ligações a cobrar para este número.
Uma força tarefa organizada de forma emergencial pela Anvisa recebeu, nesta terça-feira (28), as doações em pele humana e de membrana amniótica doadas pelos governos da Argentina e do Uruguai , empregadas para recuperar partes do corpo atingidas pelas chamas. O Uruguai encaminhou 2.400 centímetros cúbicos de pele humana e 7.328 centímetros cúbicos de membrana amniótica. A Argentina enviou 10 mil centímetros cúbicos de pele e 20 mil centímetros cúbicos de membrana. Não é possível determinar quantos pacientes serão beneficiados, pois a necessidade depende da extensão da queimadura.
Em entrevista coletiva na manhã desta terça-feira (28/1), o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, afirmou que há 65 vítimas do incêndio internadas em hospitais de Santa Maria, das quais 27 em estado grave, e outros 52 pacientes atendidos na rede hospitalar de Porto Alegre.
O país conta com três bancos de pele localizados, respectivamente, no Instituto de Medicina Integral de Pernambuco Professor Fernando Filgueiras (Imip), em Recife; no Hospital das Clínicas da Universidade Federal de São Paulo (HC-USP); e na Santa Casa da Misericórdia de Porto Alegre.Os bancos de Montevideo e de Buenos Aires são reconhecidos pela qualidade técnica e cooperaram para reforçar os estoques brasileiros pela dimensão do fenômeno ocorrido na cidade gaúcha e o impressionante número de atingidos por queimaduras.    O número oficial de mortes até a noite de quinta-feira(31) é de 236 pessoas.
Uma campanha também rola na web alertando quem aspirou a fumaça tóxica e que tenha sintomas como tosse, falta de ar e cansaço. Estas pessoas devem procurar atendimento médico imediatamente.
……
Um texto publicado no Facebook pelo escritor gaúcho Fabrício Carpinejar bombou na web, sendo compartilhado e retuítado por milhares de internautas :

A MAIOR TRAGÉDIA DE NOSSAS VIDAS  Morri em Santa Maria hoje. Quem não morreu? Morri na Rua dos Andradas, 1925. Numa ladeira encrespada de fumaça. A fumaça nunca foi tão negra no Rio Grande do Sul. Nunca uma nuvem foi tão nefasta. Nem as tempestades mais mórbidas e elétricas desejam sua companhia. Seguirá sozinha, avulsa, página arrancada de um mapa. A fumaça corrompeu o céu para sempre. O azul é cinza, anoitecemos em 27 de janeiro de 2013. As chamas se acalmaram às 5h30, mas a morte nunca mais será controlada. Morri porque tenho uma filha adolescente que demora a voltar para casa. Morri porque já entrei em uma boate pensando como sairia dali em caso de incêndio. Morri porque prefiro ficar perto do palco para ouvir melhor a banda. Morri porque já confundi a porta de banheiro com a de emergência. Morri porque jamais o fogo pede desculpas quando passa. Morri porque já fui de algum jeito todos que morreram. Morri sufocado de excesso de morte; como acordar de novo? O prédio não aterrissou da manhã, como um avião desgovernado na pista. A saída era uma só e o medo vinha de todos os lados. Os adolescentes não vão acordar na hora do almoço. Não vão se lembrar de nada. Ou entender como se distanciaram de repente do futuro. Mais de duzentos e quarenta jovens sem o último beijo da mãe, do pai, dos irmãos. Os telefones ainda tocam no peito das vítimas estendidas no Ginásio Municipal. As famílias ainda procuram suas crianças. As crianças universitárias estão eternamente no silencioso. Ninguém tem coragem de atender e avisar o que aconteceu. As palavras perderam o sentido.

Na página do Google Brasil ao se passar o mouse sobre uma fita de luto, onde normalmente tem um doodle comemorativo, aparece a mensagem “Estamos em luto com todo o Brasil”

…..
Nada se compara a esta tragédia, mas eu, pessoalmente,  lembro de um domingo igualmente triste na Rádio Guaíba quando morreu o narrador oficial da Rádio, Pedro Carneiro Pereira, em um acidente no autódromo de Tarumã. Pereira também era piloto e morreu na reta de Tarumã com seu Opala disputando palmo a palmo posições com Afonso Iglésias.  Pedro Carneiro Pereira iniciava os jogos com a frase : o árbitro olha o seu relógio, nós o nosso…
……
É impossível que as pessoas não imaginem que esta tragédia poderia ter acontecido na sua própria cidade. Você que frequenta a “night” vai dizer que não lembra da vez que foi “naquela” casa noturna e ela estava superlotada, certamente extrapolando todos os limites de lotação e segurança ? A ganância é quem manda nestas horas. Lembre agora , na sua cabeça, pelo menos dois nomes de boates em que poderia ter acontecido a mesma tragédia de Santa Maria . Não é tão difícil, mesmo que vc more numa cidade média.
…….
É impossível que diante da dor eterna que se alojou nos corações de cerca de 500 pais e mães esta lição não seja aprendida.
Mas o ser humano… ah, o ser humano.
No meio da dor, do desespero, da revolta ainda assim surgiram comentários maldosos e repugnantes nas redes sociais sobre o acontecido. A Internet maravilhosa que trouxe tantos contatos e amigos de volta é a mesma que acolhe a raça mais nojenta , a dos covardes, que se esconde atrás de um monitor e de um teclado. E valentemente, protegido pelo anonimato cretino,  posta as coisas mais absurdas não respeitando nem a dor do próximo. Quer achar um covarde ? É fácil . Eles se aglomeram no Facebook fazendo piadinhas infames e funestas da desgraça alheia. Escrevem o que não teriam coragem de dizer cara a cara, olho no olho, porque no mínimo levariam uma porrada nos dentes.
…….
Mas talvez pior ainda foi a tentativa de querer politizar a tragédia, feita pelos velhos jornalões da direita raivosa do Brasil. A charge produzida por Chico Caruso e veiculada no Blog do Noblat sugerindo que a Presidenta Dilma tem alguma relação com a tragédia nem vale a pena ser reproduzida aqui de tão indecente ,  um exemplo de cinismo e mau caratismo. Noblat ainda criou uma enquete em que coloca a possibilidade de que a visita presidencial às famílias enlutadas tenha sido demagogia, oportunismo político.
A charge assinada por Marco Aurélio, para o Jornal Zero Hora também foi de uma infelicidade atroz.
O especialista em alguma coisa que a Globo sempre arruma nestas horas, tentando responsabilizar o Governador Tarso Genro no Jornal da Globo desta segunda(28)  foi outra aberração que só o P.I.G.(Partido da Imprensa Golpista) consegue produzir, mesmo num momento tão delicado. PQP, vai ter espírito de porco lá na casa do c…
…….
No jornal Correio do Povo edição de terça-feira (29), que circula em POA e todo o RS,  há uma declaração estarrecedora do subcomandante do Corpo de Bombeiros de Santa Maria, Major Gérson da Rosa Pereira, que havia proibido suas duas filhas de ir à trágica festa.
Diz ele : “Quando vistoriamos esta boate, fizemos uma análise notificamos quanto à questão de existir apenas uma porta “, contou. ” No entanto, essa notificação foi derrubada pela Justiça, pois a lei não exigia duas portas pra um estabelecimento daquele porte. Ou seja: estava tudo legal perante a legislação brasileira:”
…….
O Rio Grande começa a enterrar os seus mortos.
238 histórias diferentes mas entrelaçadas pelo sofrimento.
Do casal que planejava um filho , do rapaz que estava curado de leucemia e comemorava, dos gêmeos, do militar que salvou a namorada e voltou para ajudar no resgate dos outros e morreu. Do corpo do peão acompanhado até o último momento pelo seu cavalo solitário. Da festa de aniversário da jovem de 19 anos que escapou por pouco e sua lista de convidados. Do universitário de educação física que ajudou no que pode, mas exausto, se lamentava por não ter tirado mais gente daquele cenário de horror.
Tristeza e dor numa sequência de 238 sepultamentos em que a ordem da vida se inverte.
Os mais velhos enterram os seus jovens.
Todos jovens, escandalosamente jovens.
Agora é o silêncio.
Que nos próximos passos se ache a justiça…
Veja quem são e o que faziam as vítimas da tragédia (fonte: A Razão)
Julia Cristofali Saul, 20 anos, estudava medicina na Unisc e era natural de Jaguari.
Ângelo Nicolosso Aita, 24 anos. Estudava Medicina Veterinária na UFSM.
André Cadore Bosser, tinha 20 anos, nascido em Alegrete e estudante de Engenharia Florestal da UFSM
Andressa Ferreira Flores, natural de Santa Rosa, tinha 18 anos.
Os namorados Luiz Fernando Donate e Flavia Decarle Magalhães.
Lincon Turcato Carabagiale, natural de Ijuí, trabalhava no INPE como metereologista
Viviane Tólio Soares, 22 anos. Trabalhava na loja Renner e pretendia cursar Medicina Veterinária
Vagner Rolin Marastega, de Ivorá, cursava Agronomia na UFSM
Leonardo Schoff Vendruscolo, estudava Agronomia na UFSM
Rafael Quilião de Oliveira, morava em Cachoeira do Sul
Marcos André Rigoli, 37 anos. Baterista da banda Pimenta e Seus Comparsas, de Ijuí que tocava na Kiss. Era casado mas não teve filhos.
Ilivelton Martins Koglin
Raquel Daiane Fischer, tinha 19 anos e estudava Tecnologia dos Alimentos na UFSM. Rainha da última edição da Feira Internacional de Tecnologia de Horizontina.
Guilherme Fontes Gonçalves, 19 anos, nascido em Cachoeira do Sul e cursava Agronomia na UFSM. Namorava Stefani Posser Simeoni, que também morreu no incêndio.
Daniela Betega Ahmad, natural de Cacequi, estudava Agronomia na UFSM, namorava Mateus Brondanii, que morreu no incêndio.
Ana Carolini Rodrigues, 19 anos, cursava Tecnologia dos Alimentos na UFSM
Carlos Alexandre dos Santos Machado. Tinha 26 anos e era formado em Administração pela Unifra
Mirella Rosa da Cruz, cursava Pedagogia na UFSM, irmã de José Manoel da Cruz, que também faleceu no incêndio.
Vanessa Vancovicht Soares, natural de Santiago
Andressa Thalita Farias Brissow, natural de Itaqui, cursva Direito na Fadisma. Tinha 20 anos e era irmã de Louise Brissow, também morta no incêndio.
João Alousio Treuliebe, natural de Ijuí, estudou Turismo na Unifra
Andrise Farias Nicoletti, estudava Agronomia na UFSM, natural de São Gabriel
Gabriela Corcine Sanchotene, nascida em Alegrete, ex-aluna do curso de Psicologia da Unifra
Merylin de Camargo dos Santos
Elizandro Oliveira Rolin, morava em Itaara, sócio da Loja Estilo Jovem.
João Paulo Pozzobom, estudava Agronomia na UFSM e namorava Michele Cardoso, que também morreu na tragédia
Juliana Sperone Lentz, estudava Agronomia na UFSM
Bruno Kraulich, 28 anos, cursava mestrado em Agronomia, natural de Tuparendi
Tiago Dovigi Cegabinaze
Flavia Maria Torres Lemos, estudante de Pedagogia na UFSM
Benhur Retzlaff Rodrigues, 20 anos, natural de Santo Ângelo, estudante de Engenharia Civil da UFSM.
Ricardo Dariva, recém formado em Economia pela Unifra e trabalhava como coordenador de filiais em uma empresa de concreto. Tinha 24 anos.
Leonardo Lemos Karsburg, natural de Uruguaiana e estudava Agronomia na UFSM
Paula Batistela Gatto, 19 anos, natural de Tapera, estudava Agronomia na UFSM
Débora Chiappa Forner
Bruna Camila Graeff, 20 anos. Estudante de Tecnologia dos Alimentos na UFSM, natural de Inhacorá, RS.
Jennefer Mendes Ferreira, natural de Santana do Livramento, cursava psicologia na Unifra. A amiga de infância Mariana Pereira Freitas também faleceu na tragédia. A lápide no Cemitério Santa Rita tem a foto das duas.
Dionatham Kamphorst Paulo, 18 anos, natural de Santana do Livramento e morava em São Gabriel
Bibiana Berleze, aluna de Medicina Veterinária da UFSM
Jéssica Almeida Kongen cursava Educação Especial na UFSM, era natural de Manoel Viana
Alex Giacomolli, 19 anos, de Tapera, estudava Agronomia na UFSM e trabalhava como técnico agropecuário na empresa Stara
Emerson Cardoso Pain, 25 anos e cursava Relações Públicas na UFSM
Cássio Garcez Biscaíno, 20 anos – cursava Engenharia Agrícola na Unipampa, natural de Manoel Viana e morava em Alegrete. Estava em Santa Maria com amigos.
Vinicius Greff, 24 anos, estudava Zootecnia na UFSM. Tinha 24 anos e trabalhava no Laboratório de Bromatologia e Nutrição de Ruminantes.
Greicy Pazzini Bairro, natural de Manoel Vianna
Letícia Baú, tinha 20 anos, estudava Tecnologia em Alimentos na UFSM
Leandra Fernandes Toniolo, 23 anos, estudava Radiologia na UFSM
Micheli Froehlich Cardoso, 20 anos, era protética e também trabalhava na Kiss. Chegou a pedir ajuda pelo Facebook no início do incêndio.
Pedro Morgental, nascido em Santa Maria, morava em Porto Alegre, onde trabalhava.
Luana Behr Vianna, estudava Psicologia na Unifra, natural de Santa Maria
Tanise Lopes Cielo, 23 anos, era professora de dança e foi ao local para ver alunos que iriam se apresentar. Deixa dois filhos.
Karen Fernanda Knirsch, cursava Tecnologia dos Alimentos na UFSM.
Augusto Malezan de Almeira Gomes, formou-se no ensino médio em 2011, colégio Cilon Rosa
Barbara Moraes Nunes, natural de Santo Antônio das Missões
Bruna Brondani Pafhalia, advogada, 25 anos. Namorava com Leandro Reivas, também identificado entre as vítimas. Foi sepultada em Santiago, sua terra natal.
Vinicius Silveira Marques de Mello, de 20 anos, foi a Boate Kiss com a namorada Juliana Moro de Medeiros, que também morreu no incêndio
Danilo Brauner Jaques, 28 anos, sanfoneiro da banda Gurizada Fandangueira, que se apresentava na Kiss quando o incêndio começou
Rhuan Scherer de Andrade, trabalhava na Base Aérea de Santa Maria
Carolina Simões Corte Real, estudava Tecnologia dos Alimentos na UFSM e tinha 18 anos
Henrique Nemitz Martins, natural de Manoel Viana, estudava Medicina Veterinária na UFSM
Leonardo Machado de Lacerda, 28 anos, 1º Tenente do 4º Regimento de Carros de Combate em Rosário do Sul. Natural do Rio de Janeiro, onde foi sepultado
Martins Francisco Mascarenhas de Souza Onofre, nasceu em Rio Grande e estudou na Unifra. O corpo foi sepultado em Júlio de Castilhos.
Jaderson da Silva, 29 anos, natural de Itaqui e cursava Tecnologia dos Alimentos na UFSM
Gabriella dos Santos Saenger, de Uruguaiana, estudava Psicologia na Unifra
Isabela Fiorini, 19 anos, de São Miguel do Oeste (SC), estudava Medicina Veterinária na UFSM
Emili Contreira Ercolani
Ivan Munchem, cursava medicina veterinária na UFSM e era natural de Cândido Godói
Cristiane Quevedo da Rosa – de Júlio de Castilhos, estudava Terapia Ocupacional na UFSM e trabalhava na Boate Kiss
Mariana Pereira Freitas, tinha 21 anos e era formada em Educação Física na Fames
Luiza Batistella Puttow, natural de Tapera estudava Odontologia na UFSM
Felipe Vieira, 26 anos, natural de Caxias do Sul, morava em Santa Maria havia três meses.
Franciele Vizioli, 20 anos, natural de Erechim, estudante de Engenharia Civil na UFSM
Helena Poletto Dambros, cursava Medicina Veterinária na UFSM, natural de Dom Pedrito, também morou em Ijuí.
Taize Santos dos Santos, 24 anos. Estudava Sistemas da Informação na Unifra, era funcionária da empresa Zipline Tecnologia
Pedro de Oliveira Salla, estudava Agronomia na UFSM. Tinha 17 anos, participou da organização da festa.
Kelli Anne Santos Azzolin, natural de são Luiz gonzaga, 23 anos. Tinha iniciado doutorado em Química na UFSM.
Taíse Carolina Vinas Silveira, de Caçapava do Sul, estudante de Artes Visuais da UFSM.
Vitória Dacorso Saccol, cursava Nutrição na UFSM, no Campus de Palmeiras das Missões
Suziele Cassol, 19 anos, e o namorado, Roger Dallagnol.
Stefane Posser Simeoni, de Marau. Tinha 18 anos e estudava Odontologia na UFSM. O namorado, Guilherme Pontes Gonçalves também faleceu.
Fernanda Tischer, 19 anos, cursava Veterinária na UFSM, natural de Paverama.
Lucas Foggiato, natural de Dom Pedrito, estudava Agronomia na UFSM e trabalhava no Instituto Phytus.
Crisley Carolina Saraiva Freitas de Palma, de Santa Maria, trabalhava em uma clínica odontológica.
Natascha Oliveira Urquiza, cursava Ciências Econômicas na UFSM, tinha 20 anos e era natural de Uruguaiana.
Rogério Cardoso Ivaniski, formado em Administração pela Fames, trabalhava em uma Consultoria em fight wear e suplementação esportiva.
Ricardo Custódio, 27 anos. Formado em Administração trabalhava no setor de Marketing da Grendene, em Farroupilha.
Maurício Loreto Jaime, natural de Caçapava do Sul, estudava Zootecnia na UFSM. Tinha 19 anos
Luiz Eduardo Viegas Flores, 24 anos, cursava Ciências da Computação e morava em Três Passos, natural de Santa Maria
Flavia Decarle Magalhães, 18 anos. Namorava Luis Fernando Donati, que também morreu no incêndio
Erila Sarturi Becker, cursava Agronomia na UFSM
Ana Paula Anibaletto dos Santos, de Entre Rios do Sul, estudante de Tecnologia dos Alimentos na UFSM
Larissa Hosbach, formada em Turismo estudava Tecnologia em Alimentos na UFSM
Rhaissa Gross Cúria, natural de Porto Alegre, cursava Agronomia na UFSM
Gilmara Quintanilha Oliveira, natural de Porto Alegre, estudava Direito na Fadisma
Allana Willers, 18 anos, natural de Ijuí, estudante de Jornalismo da UFSM.
Maicon Douglas Moreira Iensen, estudava Educação Física na UFSM
Matheus Pacheco Brondani, natural de Rosário do Sul, estudava Medicina Veterinária na Urcamp, em Bagé. Namorava Daniela Betega Ahmad, que também morreu no incêndio.
Thais Zimermann Darif, de Guaracisba (SC), tinha 19 anos e estudava Medicina Veterinária
Matheus Engers Rebolho, morava em Santo Ângelo, cursava direito e tinha 18 anos.
Odomar Gonzaga Noronha, estudava Ciências Econômicas naa UFSM e trabalhava como supervisor nas Lojas Americanas. Tinha 27 anos, natural de Canoas.
Marton Matana, natural de Ibarama, estudava Engenharia Florestal na UFSM
Marcelo de Freitas Salla Filho, 20 anos, estudava Direito na Unifra, morreu no incêndio junto com o irmão, Pedro de Oliveira Salla, de 17 anos
Bruna Eduarda Neu, de Agudo. Namorava Thailan de Oliveira, que também morreu no incêndio.
Alexandre Anes Prado, estudava Jornalismo na Unifra, ex-aluno do Colégio Coração de Maria
Miguel Webber May, estudava Agronomia na UFSM, natural de Chapada tinha 23 anos
Mariana Comassetto do Canto, cursava Desenho Industrial na UFSM, tinha familiares em Concórdia (SC)
Monica Andressa Glanzel, natural de Ibarama, cursava Matemática na UFSM, tinha 18 anos.
Luciano Tagliapetra Esperdião, soldado natural de Nova Palma, servia em Santa Maria.
Thiago Amaro Cechinatto, nascido em Ijuí, estudava Agronomia na UFSM
Fernando Pellin, 23 anos, natural de Santo Augusto, mas morava em Sarandi. Ele também morou em Santa Maria, com o amigo Miguel May, que faleceu na tragédia
Daniel Knabbem da Rosa, 35 anos, natural de Taquari, deixou um filho.
Fábio José Cervinski, 25 anos, estudava Agronomia na UFSM. Natural de Paim Filho e tinha passado por um tratamento de Leucemia havia dois anos.
José Manoel Rosa da Cruz, cursava Zootecnia na UFSM, irmão de Mirela Cruz que também faleceu no incêndio.
Shaiana Tauchem Antolini, 22 anos, estudava Publicidade e Propaganda e fazia apresentações como cantora.
As irmãs Louise Victoria Farias Brissow e Andressa Thalita Farias Brissow.
Andressa Roaz Paz, de São Francisco de Assis, estudava Tecnologia em Agronegócios na UFSM, 20 anos.
Ana Paula Rodrigues, natural de Mundo Novo (MS) a jovem passava as férias em Santa Maria
Rosabe Fernandes Rechermann, 45 anos, trabalhava no Fórum de Santa Maria, tinha passado no Mestrado em Gestão Ambiental. Foi a boate com o marido, Luiz Antonio Xisto, 36 anos, veterinario e também morreu no incêndio. Ela deixa dois filhos
Vinicius Montardo Rosado, 24 anos, formado em Educação Física na Fames e trabalhava como Educador Social no Coletivo Coca-Cola Vento Norte de Santa Maria e jogava rúgbi.
Kelen Aline Karsten Favarin, natural de Santa Maria, trabalhava nas lojas Renner.
Luana Faco Ferreira, tinha 19 anos e fazia cursinho em Santa Maria
Matheus de Lima Librelotto, cursava Agronomia na UFSM, tinha 19 anos
Heitor Santos Oliveira Teixeira, cursava Ciências Econômicas na UFSM e tinha 24 anos. Natural de Santa Maria ele iria se mudar para Porto Alegre. Era sócio de uma produtora de eventos
Natana Pereira Canto, completaria 20 anos no próximo sábado. Trabalhava como telefonista no Fórum de Santa Maria e estudava Direito na Fames.
Walter de Mello Cabistani, 20 anos, estudava Direito na Unifra e estagiava no escritório Markus & Haas Advogados Associados
Melissa Berguemeier Correia, estudavaa Agronomia na UFSM, natural de São Francisco de Assis.
Silvio Beurer Junior, 22 anos, filho do dono da joalheria Silvio Joalheiro.
Letícia Ferraz da Cruz, cursava Medicina Veterinária na UFSM
Ericson Ávila dos Santos, 18 anos, estudante de Tecnologia dos Alimentos e era natural de São Borja
Juliana Oliveira dos Santos, cursava Enfermagem na UFSM.
Larissa Terres Teixeira, professora, natural de Santa Maria.
Ariel Nunes Andreatta, natural de Jóia. Morava em Santa Maria e cursava Tecnologia dos Alimentos na UFSM