Falhei…

Borgo-M-1301012-046-escadas-e-luzTexto e foto de Valéria del Cueto

Tinha me prometido que os textos publicados aqui não seriam mais na primeira pessoa. Mas, infelizmente, sou obrigada a quebrar minha jura. E fiquem certos, não é por um motivo de que me orgulhe.Falhei com quem mais amo e respeito: o povo do carnaval…

Sinto-me como o componente que vê sua escola pisar na avenida após uma chuva destruidora, ou o carro mais elaborado perder pontos decisivos no desfile.Fui até ali na beira da avenida e vi todos os meus esforços e o de tantos outros que estavam comigo serem transformados em apenas mais um sonho de conquistar o campeonato.

Foram 10 meses de trabalho, o tempo da preparação de uma escola de samba, para lançar na Paratissima, em Turim, Itália, a Mostra Carnevaledi Rio, trabalho realizado no barracão da Mocidade Independente, em 2010/11. Foram tantas as pessoas que torceram por mim e pelo meu sonho…

Muito mais do que os incontáveis apoios que recebi de gente que, na época da captação do material, estava na produção do enredo Parábola dos Divinos Semeadores: no barracão, na quadra e na Sapucaí.Gente do mundo do samba como Cid Carvalho e sua incrível equipe (não dá para citar todos nesse espaço); Maurício d’Paula, grande destaque carnavalesco; o presidente da Mocidade, Paulo Vianna; Ricardo Dias,que apostou no trabalho – inédito no carnaval, divulgando semanalmente fotos da construção do enredo verde e branco. Na longa jornada de produção da Mostra a eles se juntaram José Antônio Rodrigues, do Plumas e Paetês Cultural; Levi Cintra, responsável pela parte gráfica do projeto; Gus Cid, montador das videografias que compõem a instalação; Felipe Ferreira, com seu lindo texto de apresentação e a chancela do Centro de Referência do Carnaval;Fábio Fabato e seu amor pela Mocidade;MdCsuingue, do Caipirinha AppreciationSociety; Luca Esposito que fez o site; Sara Fiorentino, responsável pelas traduções, MassimoFinocchiaro, meu agente na Itália e a Sportnet, a patrocinadora.

Foi assim que cheguei a Turim. Pronta para botar o pé na Paratissima 2013. Só que a realidade aqui era outra! Nada com que já não estivéssemos acostumados, não fosse o fato de que teria que descaracterizar o lindo “enredo” sobre o barracão que havia criado.

E foi aí que falhei… Falhei por não concordar com as condições em que deveria trabalhar: reduzindo as dimensões de um projeto de 160 metros quadrados para mínimos 20 metros quadrados, trocando um espaço de arte pelo dos patrocinadores.A grandeza da proposta não caberia nos 2 metros e 60 centímetros de altura que foram disponibilizados.Ouvi todos os argumentos. Incluindo o de que o mais importante era fazer alguma coisa, porque no Brasil ninguém saberia o que realmente seria apresentado.

E falhei… Por não poder ser desleal com quem me inspirou e me trouxe, com sua energia maravilhosa, até aqui. Por não poder trair cada sorriso que vi nas milhares de fotos que editei para Gus Cid usar nas videografias. Não consegui descontruir a enorme energia e o carinho imensurável que recebi de todos vocês, que confiaram no meu trabalho.E assim, antes de entrar na pista, preferi desistir do desfile a ser responsável pela perda de pontos que poderia macular a essência do que pretendia apresentar para 100 mil visitantes.

Peço desculpas por ser fiel a nossa obra e, por isso, abrir mão de participar do evento italiano. Assumo a responsabilidade da derrota. Ela é tão dura e amarga quanto ver a agremiação que amamos não conseguir botar na avenida o sonho de um ano de suor e trabalho apaixonado.

Meu consolo é que, como todos do mundo do carnaval, sei que sempre resta uma esperança: a de que da próxima vez eu consiga fazer mais e melhor! Agora, sei que faço parte desse povo do carnaval porque, como vocês,começarei de novo… Sabendo que sempre haverá outro desfile. No meu caso espero que com o mesmo enredo: a Mostra Carnevaledi Rio.

*Valéria delCueto é jornalista, fotógrafa e gestora de carnaval. Essa crônica faz parte da série “É carnaval”,  do SEM FIM… delcueto.wordpress.com

3 pensou em “Falhei…

  1. norma7 – Rio de Janeiro - Brasil
    norma7

    ‘Sonhos’ são concretizados com o nosso melhor. Não merecem ser tratados como artigo de 2a. Você fez muito bem em preservá-los para uma próxima ocasião. Abraços

    Responder
    1. delcueto – Rio de Janeiro, Brasil – Ver, saber, fazer. Saber fazer, fazer saber. (provérbio árabe)
      delcueto

      Obrigado pelas palavras e pelo incentivo, Norma. A concepção e a essência do trabalho realmente não poderiam ser maculados. Agora é procurar novos caminhos, Já com tudo pronto…
      O site está sendo finalizado, carnevaledirio.it e abri a página https://www.facebook.com/mostracarnevalerio
      Você está convidadíssima para visitar o primeiro e curtir a segunda!
      Abraço de Turin

      Responder

Daí, o que você acha disso ? Cancelar resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.