Ontem, Hoje, Sempre (via Cotidiano e Outras Drogas)

Todo ser humano tem preconceitos. Corrigindo, pré-conceitos. Contra uma, algumas, várias ou todas as coisas. Depende do nível de evolução de cada um evitar que estes pré-conceitos percam o hífen e a vergonha. Às vezes, pequenos detalhes fazem com que isso ocorra.

Quando era pequeno, tive broncopneumonia. Quase morri. Deste episódio que me levou à geladeira hospitalar, guardo duas lembranças: A de que odeio comida de hospital, principalmente quando misturam arroz e macarrão; e de uma grande pessoa, que me ajudou demais.

Ele era cabelereiro, grande amigo da família. Vítima de poliomielite na infância, andava com suas muletas, sem perder a altivez. Virou meu tio de consideração. E se dispôs em vários dias a zelar por mim no hospital, contando estórias para passar o tempo, uma delas a do “menino de ouro”.

Continue Lendo via Cotidiano e Outras Drogas

Daí, o que você acha disso ?

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.