Haitianos ganham visto provisório e Casa Militar de Rondônia acolhe refugiados

O Governo do Estado do Acre anunciou que os haitianos que estão abrigados na cidade de Brasiléia tiveram o seu visto provisório de entrada no Brasil aceito pelo governo brasileiro e a partir de agora poderão transitar pelo país, tirar documentos e conseguir trabalho.

O secretário de Estado de Direitos Humanos, Henrique Corinto Moura, explica que ao todo, 154 refugiados haitianos deram entrada na delegacia de Polícia Federal de Brasileia no pedido de visto provisório. Eles entraram no Brasil pela cidade de Assis Brasil, que faz fronteira com o Peru. Desde então, aguardavam a resposta brasileira abrigados em instalações improvisadas cedidas pela prefeitura de Brasileia e pelo governo do Estado.

“O governador Tião Viana tomou conhecimento da presença dos haitianos em solo acreano logo no início de janeiro, quando estava em visita ao interior do Estado. Imediatamente ele determinou que fossem tomadas providências para garantir apoio a eles durante o período em que estivessem aguardando a autorização do visto de entrada no país. E assim foi feito”, disse o secretário.

Desde que o visto foi liberado, grande parte dos refugiados já deu entrada nos documentos, entre eles o Cadastro de Pessoa Física (CPF) da Receita Federal e à  Carteira de Trabalho Profissional (CTPF). Henrique Moura afirmou que alguns deles já se dirigiram à Rondônia e estão sendo contratados pelas empresas de construção civil que executam as obras das usinas hidrelétricas no rio Madeira. “Já temos conhecimento que essas pessoas já foram contratados por essas construtoras, haja vista que há uma grande demanda de mão-de-obra naquele Estado”, completou. Henrique Corinto disse que a informação que se tem é que a maioria dos refugiados quer ir para outros Estados à procura de trabalho e de um novo recomeço no Brasil. Outros, no entanto, devem ficar no Acre e já estão conseguindo emprego em empresas locais.

Segundo a revista Época, “ao chegar ao Brasil, os haitianos procuram redes de assistência humanitária, como a Caritas, ligada à Igreja Católica, que encaminha solicitação para quem almeja ser recebido como refugiado. Com o protocolo dessa solicitação em mãos, que pode levar até dois meses para ser emitido, os haitianos passam a ter direito de tirar carteira de trabalho e CPF. O pedido de refúgio é apenas a maneira mais rápida de os haitianos regularizarem a entrada no Brasil. Já se sabe que eles não serão registrados como tal. O status de refugiado só é dado a quem foi obrigado a deixar seu país de origem por perseguição política ou violação maciça de direitos humanos. É isso o que diz os tratados internacionais e a legislação brasileira. No caso da imigração recente de haitianos, a motivação é diferente: “Não há previsão de refúgio para pessoas que se deslocam por desastres naturais”, diz o mexicano Andrés Ramirez, representante do alto comissariado das Nações Unidas para Refugiados no Brasil. “Essa é uma questão que só agora deve começar a ser discutida nos fóruns internacionais, pois cada vez há mais deslocamentos por desastres naturais.”

Casa Militar do Governo de Rondônia  Recebe Refugiados Haitianos

O Governo do Estado de Rondônia, através da Casa Militar da Governadoria, recebeu neste domingo (06.03), um grupo de 27 homens que chegaram do Haiti com a esperança de melhorar suas vidas em Porto Velho, Rondônia.
O Grupo está viajando desde o dia 07 de janeiro de 2011, quando partiu de seu país de origem (Haiti) com destino ao Brasil, onde no início viajaram de avião direto para Quito no Equador, depois Lima no Peru e por último Rio Branco no Acre, onde seguiram para Nova Brasileia no interior do Acre, os quais depois de algum tempo conseguiram embarcar num ônibus com destino até Porto Velho.
O Subchefe da Casa Militar, Major PM Frederico, diante da missão de acolhê-los em Porto Velho e providenciar acolhida, por ocasião da chegada dos mesmos em condições precárias, pois a maioria já não dispunha de recursos para manter-se e necessitavam de análise clínica e documental por se tratar de estrangeiros oriundos de um país com problemas crônicos de saúde pública e de infraestrutura.
Foi providenciada a consulta à Polícia Federal onde verificaram a documentação e ficou constatado que estão todos em condições legais no Brasil. Logo foram conduzidos à Agência Estadual de Vigilância em Saúde (AGEVISA), passaram por exames de pré-avaliação médica e foi necessário o encaminhamento de um dos imigrantes ao hospital CEMETRON, para exames, os demais foram liberados.
Foi realizado contato com a Secretaria Municipal de Saúde (SEMUSA), a qual se dispôs em fornecer alimentação (café, almoço e jantar) para os haitianos. O Corpo de Bombeiros Militar cedeu o ônibus para transporte dos refugiados até o Ginásio Cláudio Coutinho. A Secretaria Estadual de Educação cedeu um espaço no Ginásio Coberto Cláudio Coutinho, onde foram alojados temporariamente com colchões cedidos pelo Hospital de Base. A Casa Militar providenciou o transporte para condução da alimentação e todo apoio necessário para suprir as necessidades básicas. Foi realizado ainda um levantamento que constatou que todos os imigrantes tem algum tipo de formação: técnicos em informática, bioquímicos, pedreiros, encanadores, ajudantes de pedreiro, garçons, eletricistas e motoristas. Detém ainda o domínio de outras línguas: Francês, Espanhol e Creole (ou Crioulo) e alguns ainda dominam o Inglês. A Casa Militar realizou ainda contato com a Secretaria de Ação Social (SEAS), onde foi informado sobre o ocorrido e solicitado um futuro apoio para os mesmos, por ser missão precípua daquela secretaria.Após um ano do fatídico terremoto que atingiu o Haiti e destruiu aquele país da América Central, muitos haitianos tem procurado seguir suas vidas, mas devido a poucas oportunidades, buscam destinos incertos, muitas vezes sem direção, na esperança de conseguir um emprego que possa ajudar no sustento de suas famílias. Vale ressaltar que tal atitude não garante que terão sucesso na empreitada, o que geralmente ocorre é que o dinheiro acaba e terminam mendigando o próprio sustento. O apoio foi prestado ainda pelo Gerente de Segurança, Capitão PM Drayton e pelo Chefe de Gabinete do Secretário da Casa Militar, Capitão PM Figueiroa. As fotos do slideshow são do site oficial da Casa Militar de Rondônia.

Prefeitura de Porto Velho também apoia

Em visita aos haitianos que foram encaminhados pelo Governo do Estado ao ginásio Claudio Coutinho, na capital, o secretario municipal de Saúde, Williames Pimentel e a secretária municipal de Assistência Social, Benedita Nascimento tiveram oportunidade de conversar com os estrangeiros e verificar de perto a real situação dos haitianos, que vieram para o Brasil, através do Acre, em busca de emprego.

NR: Está de parabéns a Casa Militar do Governo de Rondônia, bem como todos os órgãos que apoiarem esta causa. A redação deste blog só deseja que estas pessoas sofridas possam ter uma vida digna, independentemente se for no Acre, em Rondônia, em São Paulo ou em outro país. A xenofobia não ajudará em nada nesta situação. Que a solidariedade toque o coração dos governantes , empresários e internautas .

-30.027704-51.228735

3 pensou em “Haitianos ganham visto provisório e Casa Militar de Rondônia acolhe refugiados

  1. Débora

    Eu preciso de uma familia para morar e trabalhar em um sitio, pago um salario, se tiver algum interessa favor entrar em contato por email ou telefone, o homem fara todo serviço como por exemplo plantar, tratar de animais, terá casa, não pagará agua nem luz, tem escola proximo
    73 8846 8891 eu moro em porto seguro bahia brasil
    .

    Responder
  2. TIBERIUS RIBEIRO

    SINTO-ME ORGULHOSO DE PERTENCER A UM PAÍS QUE ESTENDE A MÃO AOS NOSSOS IRMÃOS HAITIANOS; POVO FORTE! MORANDO NA CIDADE DE GOIÂNIA, E ESTANDO A MESMA EM FRANCA EXPANSÃO, OFEREÇO ABRIGO EM MINHA RESIDÊNCIA PARA ATÉ TRÊS DESTES ADMIRÁVEIS HOMENS QUE JA ESTÃO DEVIDAMENTE LEGALIZADOS, PARA QUE AQUI POSSAM RECOMEÇAR A CONQUISTA DA FELICIDADE.

    Responder
  3. Vitas Kiausas

    O Pastoral de Migrante sob a liderança da Irma Maria Ozania da Silva esta empenhado em ajudar esses haitianos.No dia 12/03/2011 tera reuniao da equipe do pastoral para tratar desse assunto.

    Responder

Daí, o que você acha disso ? Cancelar resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.