Arquivo da tag: Terras de Rondon

Gente que encontrei por aí… Eduardo Thielen

 Eduardo Thielen , diretor audiovisual de mão cheia, esteve visitando por estes dias as terras de Rondon. Em pauta, um documentário sobre um rumoroso caso envolvendo um familiar seu,  ocorrido na década de 40 mas ainda lembrado nos dias de hoje : o  desaparecimento do Tenente Fernando. O jovem tenente chegou a Porto Velho para servir na 2ª Companhia Rodoviária Independente, então sob o comando do Capitão Ênio dos Santos Pinheiro e desapareceu , numa tarde de domingo, ao entrar na mata. Eduardo retomou a produção do documentário, juntando documentos do irmão da vítima ,  o na época Capitão Gérson Gomes de Oliveira, recentemente falecido em Curitiba . Não é nenhuma Comissão da Verdade, mas deve vir chumbo grosso por aí . Mentira pode ficar velha, mas continua tendo perna curta. Rondônia, tremei !!!

Irmandade do Senhor Divino Espírito Santo do Vale do Guaporé e Dionisio Faustino, Presidente do Conselho Geral agraciados com a Ordem do Mérito Marechal Rondon

Este slideshow necessita de JavaScript.

Uma das mais justas homenagens que já se viu nestas Terras de Rondon foi a outorga da Ordem do Mérito Marechal Rondon, a maior honraria que este Estado presta a pessoas e entidades que contribuem ou contribuíram para o desenvolvimento do Estado de Rondônia por meio da religião, por sua coragem, ou através da economia, política, cultura e história à Irmandade do Senhor Divino Espírito Santo , na pessoa do seu Presidente do Conselho Geral, Dionísio Faustino. A comenda tem como ícones a Cruz dos Templários, a efígie de Rondon e o contorno estelar do Real Forte Príncipe da Beira, representando a fé, a coragem e a história sobre os quais se assentou o desenvolvimento e o progresso na região.

O culto ao Divino Espírito Santo , evocando o Pentecostes, quando o Espírito manifestou-se aos apóstolos como línguas de fogo, teve início com a construção do templo que lhe dedicou , em Alenquer, a Rainha Isabel de Portugal, esposa de Dom Diniz, no século XIII – a Rainha Santa, reverenciada pelos portugueses e a quem se atribui vários milagres. A celebração, que no Vale do Guaporé envolve o Brasil e a Bolívia, é um Patrimônio Cultural Imaterial de Rondônia que está em processo de instrução para ser reconhecido como Patrimônio Cultural Brasileiro.