Arquivo da tag: teclados

Rick Wakeman

Por Beto Bertagna

Meu amigo Antônio Barcellos, de São Leopoldo(RS) no Vale dos Sinos, está vibrando com a turnê brasileira do inglês Rick Wakeman, o célebre ex-tecladista da banda de rock progressivo Yes. Além da brilhante carreira solo, Wakeman já tocou como convidado de gente  como  Elton JohnBrian MayAlice CooperLou ReedDavid BowieOzzy Osbourne e Black Sabbath. Aliás, hoje, um dos seu filhos,  Adam Wakeman é o atual tecladista da banda de heavy metal Black Sabbath. Não é pouco. Introdutor (êpa!) dos teclados eletrônicos no rock, Wakeman usa e abusa dos pianos acústicos e sintetizadores Minimoog,  Mellotron,  órgão Hammond, clavicórdios e tudo que tenha teclas que produzam sons.

Tive o prazer e a sorte de curtir sua apoteótica apresentação no Ginásio Gigantinho no ano de 1975, em que Mr. Wakeman brindou a honrada (mas nem tanto) e cativa platéia com a “Jornada ao Centro da Terra”, acompanhado da sua banda e da Orquestra Sinfônica de Londres. PQP !

Nestes tempos em que  predominam os “breganejos universitários”  cujas músicas mesmo que “marteladas” pela mídia e pelo som das camionetes com motoristas de pau pequeno, não se consegue lembrar por mais de duas semanas (Graças a Deus !) ,  é um alento assistir ao tecladista inglês a preços de meia dupla sertaneja.

O show inicial da turnê latina será em Novo Hamburgo(19), no Teatro da Feevale. Na terça (20) será em Porto Alegre, no Teatro Bourbon Country, e na quarta-feira(21) em São Paulo, no Teatro Bradesco, com direito a sessão extra.  Depois a turnê segue para Santiago(Chile), Rosário(Argentina) encerrando com dois shows em Buenos Aires, no Teatro Gran Rex .

Na foto, a coleção de Cd´s e DVD´s de Rick Wakeman do jornalista Antônio Barcellos.

Na foto, a coleção de Cd´s e DVD´s de Rick Wakeman do jornalista Antônio Barcellos, felinamente policiada e fiscalizada. Tá faltando vinil aí, Antônio !

Veja aqui, em PDF, a Declaração de Rick Wakeman sobre a morte de outro gigante dos teclados, Jon Lord.

Em tempo: depois  dos concertos, a gente ía para o Bat-Bat, em Ipanema,(o original, que só servia batidas de cachaça com nomes exóticos)  comentar os detalhes do show entre uma “calcinha de seda” e outra . Bons tempos !