Arquivo da tag: Costa Marques

Divino, Cem Vezes Divino

A magnífica manifestação de fé que acontece no Vale do Guaporé, na fronteira de Rondônia com a Bolívia, sob a ótica do cineasta Beto Bertagna. Um vídeo histórico, realizado no centenário da festa,em Pedras Negras, no ano de 1994. Produção em Betacam/SP. Também dirigido por Luiz Brito. Narração de Celso Ferreira. Trilha Sonora, Marcelo Pereira. Roteiro de Nelson Townes. 24 minutos

Pirarucu do Madeira ! Diplomatas vence e é bi em Porto Velho

Os internautas acertaram o resultado da enquete feita por este site, e cravaram a Diplomatas do Samba como a provável vencedora do Carnaval 2010 em Porto Velho. E não deu outra. Com o resultado, a cinquentenária escola é bi-campeã do Carnaval de Porto Velho.

A escola nasceu em 4 de novembro de 1958 com o nome de Prova de Fogo, tendo Tário de Almeida Café como seu primeiro presidente.

Por sugestão do sambista paraense Bizigudo, adotou-se o nome Universidade dos Diplomatas do Samba depos reduzido para Os Diplomatas do Samba.

De sua fundação até 1970 a escola venceu todos os títulos do carnaval de rua de Porto Velho. Na década de 1970 a sua hegemonia foi quebrada pela Pobres do Caiari. Os Diplomatas, entretanto, voltaram a vencer em 1975, 1976, 1977, 1984, 1987, 1980 e 1997. Os Diplomatas também foi a escola que ganhou o primeiro título do carnaval de rua de Rondônia em 1982.

Além dos títulos já citados ganhou os seguintes carnavais: 1984, 1987, 1990, 1997 e 2009. E agora em 2010 , sagra-se bicampeã ! Valeu Diplomatas !

Veja a classificação oficial :

1. Diplomatas 186,2 pts Escute aqui o samba da Diplomatas.
2. Asfaltão 182,8 pts Samba enredo do G.R.E.S. Asfaltão
3. São João Batista 180,7 pts Samba enredo da S. J. Batista
4. Radio Farol 156 pts Samba enredo da Rádio Farol
5. Armario 178,1 pts Samba enredo da Armário Grande
6. Imperio 151,6 pts Samba enredo da Império do Samba

Resultado da Enquete feita pelo site www.betobertagna.com, no período que antecedeu o carnaval  e encerrada na terça-feira, dia 16, às 12:00 hs

Prá quem já caiu, se recuperou, chacoalhou as asas e ainda vai cair na gandaia nestes dias momescos aqui vai um roteiro sem GPS, sem bússola, azimuth quebrado, sem trena, sem régua, sem relógio de pulso, de bolso, de parede, sem cuco,  de onde tem batuque, tamborim e mulheres(homens) bonitas(os) e diversos genéricos e assemelhados. Convém conferir o produto, a origem e a sua validade. Alguns tem que ser descartados na quarta-feira de cinzas, porque podem fazer mal à saúde e provocar graves e desagradáveis efeitos colaterais.
Aos voadores, os radares foram desligados e a biruta foi recolhida. O vôo agora é visual, meu irmão e a frequëncia do rádio é incerta !

Fotos da  Banda do Vai Quem Quer,  by Sérgio Ramos

Dias de desfile dos blocos :

Dia 16 , na terça de carnaval , saem :

Pirarucu do Madeira( Duque Caxias/ Rogério Weber/ P. Machado/ Joaquim Nabuco/ Carlos Gomes/ R.  Weber/ D. Caxias)

Porto Fla( Pinheiro Machado/ Tenreiro Aranha/ Carlos Gomes/ Rogério Weber/ Pinheiro Machado.)

Bloco ARERÊ & CIA, ( circuito P. Machado/ Joaquim Nabuco/ Carlos Gomes/ Rogério Weber/ P. Machado )

Bloco JAMAICA,Rua José Amador dos Reis e Plácido de Castro

CARNALESTE, com circuito na José Amador dos Reis e Plácido de Castro

Escolas de Samba de Porto Velho e as letras dos sambas :

Unidos da Rádio Farol (clique e faça o download em word das letras dos sambasA LENDA DAS BRUXAS, NO IMAGINÁRIO POPULAR ”  , autor: Carlinhos Maracanã, samba: Carlinhos Maracanã , intérpretes: Felipe e Moisés.

Acadêmicos do Armário Grande , com o tema ” SOU PÉROLA DO MAMORÉ, MUITO PRAZER SOU GUAJARÁ-MIRIM., autor: Antônio Cândido,  samba: Torrado e intérprete: Torrado) Fotos do desfile da Armário AQUI

Diplomatas do Samba, com o samba ” O TEMPO E A VIDA NAS ASAS DA ASTROLOGIA ” , de autoria de Dulce, samba: Carlinhos Maracanã e intérprete: Júnior.

Escola de Samba Imperio,com o tema ” LENDAS E MISTÉRIOS DA AMAZÔNIA “, autor: Jorge Macumba, samba: Jorge Macumba e Audízio e intérprete: Audízio   Confira fotos do desfile AQUI

Acadêmicos do São João Batista com o samba ” PAZ PARA O MUNDO VEM DA ENERGIA DOS ORIXÁS ” , autor: Élcio, Samba: Mávilo Melo, Walcy e Banana Split  intérprete: Banana Split.

Asfaltão, que traz no samba o tema ” SOU CABOCLO BEIRADEIRO, FILHO DESTE CHÃO, PORTO VELHO É MEU ORGULHO É MINHA PAIXÃO ” , de autoria de Eduardo Dias, samba: Toninho Tavernard e Eduardo Tavernard , intérprete: Marcelo Luna.

Os resultados das escolas campeãs do Carnaval 2010 serão conhecidos na terça-feira, dia 16.

Integrantes da primeira Escola de Samba de Porto Velho, a “Deixa Falar”, fundada por Bola Sete e outros moradores na década de 40. Extraído do imprescindível livro “Revelando Porto Velho”, do fotógrafo e documentarista Luiz Brito.

Um forte para ser respeitado II

O trabalho minucioso dos arqueólogos, para identificar o local em que cada objeto é encontrado. Por exigência do IPHAN os arqueólogos dividem o sítio em quadrantes de 2 m por 2 metros.

O material recolhido,que ficará sob a guarda do Exército Brasileiro mostra evidência da integração dos militares com a população da região. Foram encontradas “louças europeias misturadas com cerâmicas nativas”, segundo relata Fernando Marques, um dos arqueólogos contratados pelo IPHAN para desenvolver o estudo na secular fortaleza situada em Costa Marques, a cerca de 800 km de Porto Velho, na fronteira de Rondônia com a Bolívia.

“Dentro do espaço do forte havia capela, hospital, boticário, costureiros. E, ao lado dele, foram surgindo comunidades”, descreve o arqueólogo. Segundo ele, suas instalações permitiam dar abrigo a cem soldados.

Já foram encontradas mais de 40.000 peças como botões, insígnias militares, restos de faiança portuguesa, garrafas de cerveja e outros objetos.

O estudo continua em 2010, quando será pesquisada a casa do capitão-general e a capela.

É a primeira vez que a admirável fortaleza que empresta seu símbolo para o brazão de Rondônia é pesquisada e tem uma intervenção protecionista desta forma.

Sou o Superintendente do IPHAN em Rondônia e acredito firmemente que é o Patrimônio Cultural Brasileiro que está em jogo.

Rondônia ganha um salto gigantesco no conhecimento da sua memória , do seu passado e da sua história.

Tenho certeza de que a sociedade científica e sua massa crítica, que não se interessa  por “diz que me disse, fofocas políticas e fuxicos” agradece.

Mais notícias e informações nos próximos posts. Tem muita coisa legal prá conhecer…

40.000 objetos já foram encontrados, num , modéstia à parte, brilhante trabalho de pesquisa científica da Superintendência do IPHAN em Rondônia.

Degelo nos Andes bolivianos mata milhares de tartarugas no Vale do Guaporé em RO

O Vale do Guaporé é garantia para a reprodução dos quelônios

Por Nelson Townes, do NoticiaRo.com

Ao menos 300 a 400 mil filhotes de tartarugas, tracajás, “matas-matas”, cangarás e outros quelônios morreram ou deixaram de nascer em 2009 em praias fluviais de desova de rios de Rondônia,  inundadas por enchentes causadas pelo aumento do degelo dos Andes Bolivianos.

Este é provavelmente o primeiro grave impacto do aquecimento global na Amazônia. As geleiras dos Andes bolivianos (como no resto da cordilheira) estão sendo derretidas pelo aumento da temperatura no planeta.

O desastre em Rondônia aconteceu entre agosto e outubro do ano passado, quando as tartarugas e outros quelônios procuravam as praias dos rios Guaporé e Mamoré, na fronteira com a Bolívia, para desovar, como fazem anualmente, e não as encontraram.

Elas estavam submersas pelos rios afetados pelo degelo dos Andes – que fizeram subir o nível dos rios Beni ( o nome que o bolivianos dão ao Guaporé), e Madre de Dios e Yata, que deságuam no Mamoré

O nível dos rios subiu também sob efeito da volta do El Niño, o fenômeno climático que aquece as águas do oceano Pacífico a causa chuvas em Rondônia.

Os ribeirinhos e os encarregados de monitorar a reprodução e preservação dos quelônios foram os primeiros a perceber a tragédia. Eles calculam que normalmente são enterrados ao menos 500 mil ovos por ano nas areias das praias fluviais.

Os monitores disseram a “NoticiaRo.com” que, em 2009, no máximo cerca de 100 mil ovos ou menos foram desovados e eclodiram em raras faixas de praia não alagadas. “Até o momento, creio que temos a lamentar a perda  de 300 a 400 mil quelônios que normalmente nascem nesta época” – calculou um dos encarregados de controlar a população da espécie

Alguns ribeirinhos ainda têm a esperança de que parte dos quelônios que procuravam outras praias para desovar tenham conseguido encontrá-las.

Em poucos dias os ovos eclodem e os filhotes seguem na direção do rio. Mas, para a eclosão, é necessário que sejam enterrados na areia e fiquem sob o calor do sol.

Os quelônios estão na lista das espécies em extinção na Amazônia. Os rios do Vale do Guaporé são seu último reduto de sobrevivência. Funcionários públicos e voluntários trabalham monitorando as praias fluviais onde são desovados e de onde correm para o rio.

A corrida das minúsculas tartarugas para a água constitue um espetáculo que até se tornou atração turística em Costa Marques, 716 quilômetros ao sul de Porto Velho. Para proteção dos ovos, ou de recém-nascidos, em certas circunstâncias, há até um “berçário” de tartarugas nesta cidade

Os rios com o nível aumentado pelo degelo estão localizados no Vale do Guaporé, no sudoeste, sul e sudeste de Rondônia. O fenômeno parece não ter dado tempo aos voluntários de defender as espécies ou controlar o perigo.

A região, considerada um “santuário ecológico” do noroeste do Brasil, mostrou sua fragilidade diante das agressões ambientais planetárias – reconheceu um voluntário.

A água das geleiras bolivianas é essencial, porém, para a formação das bacias hidrográficas da Amazônia. O principal afluente do Amazonas, o rio Madeira, é formado por rios que surgem com o degelo normal de parte dos Andes quando começa o “verão amazônico” – a época da estiagem que dura seis meses.

O volume de água do excesso de degelo em 2009, acumulado nos rios do Vale do Guaporé vai, num primeiro momento aumentar o nível do rio Madeira. As autoridades da Defesa Civil estão preocupadas com a possibilidade de causar enchentes em Porto Velho, talvez maiores do que a de anos anteriores.

Influi na questão climática a Alta da Bolívia, um fenômeno, como explicam os meteorologistas, presente nos altos níveis da atmosfera (geralmente em cima do território boliviano, por isso essa denominação) e que favorece a organização de áreas de instabilidade em todo o seu redor.

É um sistema típico desta época do ano e que, junto com a Zona de Convergência do Atlântico Sul, é responsável pelos acumulados significativos de chuva que ocorrem durante o inverno amazônico em Rondônia.

Este sistema favoreceu, nos últimos dias, a organização de muitas nuvens em todo o Estado. Com o calor e a grande disponibilidade de umidade, as nuvens ficam carregadas com facilidade e por isso as chuvas ocorreram com bastante frequência em todo o Estado.

Um boletim da Divisão de Meteorologia do Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam), mostra de modelos de previsão climática indicando que o fenômeno El Niño ainda deve continuar atuando na região do Pacífico Equatorial, causando chuvas acima da média no Sul e oeste de Rondônia, sul do Pará, sul de Tocantins e nos setores sul, leste e nordeste do Mato Grosso.

O El Niño ameaça com novas enchentes os Estados do Sul, especialmente no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina.

Nos Estados do Sudeste e do Centro-Oeste o fenômeno é caracterizado pela irregularidade da chuva, com períodos chuvosos intercalando períodos de veranico, secos e quentes.

No Nordeste a chuva diminui drasticamente, e no Norte ocorre menos chuva do que o normal.

O meteorologistas explicam que em anos em que o fenômeno El Niño se estabelece, há o enfraquecimento dos ventos alísios, que sopram de leste para oeste nas proximidades da linha do Equador.

Outras previsões indicam que, como o degelo dos Andes bolivianos foi intenso no ano passado, as geleiras bolivianas provavelmente não terão água suficiente no próximo verão para alimentar os rios e, ao contrário de 2010, o ano de 2011 poderá ter uma diminuição do nível do próprio rio Madeira.

O baixo nível do rio a partir de 2011 poderá prejudicar o funcionamento das hidrelétricas de Santo Antonio e Jirau e a navegação das grandes balsas de soja entre Porto Velho e Itacoatiara.