Arquivo da tag: Centro Cultural Boliviano

Festa “camba” comemora aniversário do Beni em Porto Velho

Este slideshow necessita de JavaScript.

Por Beto Bertagna & Júlio Yriarte

Neste domingo (19), em Porto Velho, capital de Rondônia , noroeste do Brasil,  uma belíssima festa “camba” comemorou os 175 anos do Estado do Beni, território boliviano fronteiriço  com Rondônia , fundado em 1842 .

A festa promovida pelo Centro Cultural Boliviano em Porto Velho, teve comidas típicas, apresentações musicais e mostrou a diversidade cultural deste país vizinho ao Brasil.

Como sempre, um dos pratos tradicionais mais requisitados é o “Pique a lo Macho“, uma espécie de carne picada e apimentada com diversos acompanhamentos. Outra referência gastronômica boliviana é  o “Silpancho” , composto por  arroz, batatas, uma fatia circular de carne de vaca frita, pão e um ou dois ovos. Tem ainda como acompanhamento salada de beterraba e cenoura, batatas fritas e uma salada de cebola e tomate, na parte superior.

Vale ressaltar que tanto o Silpancho quanto o Pique a Lo Macho tem origem “colla”. O pique macho assim como a saltenha já estão mais “acambaus’,  mais regionalizados. A saltenha e a parrilhada bolivianas (ambas tem origem argentina) tem sabor e preparo diferentes dos argentinos.

Os collas habitam a região sul da Bolívia, o ocidente. Os cambas a região norte, o Oriente.

Os collas: tem uma cultura mais forte, em sua maioria são indígenas, descendem diretamente dos Incas Quechuas e Aymaras, puxam pelo “s” ao falar, são trabalhadores incansáveis, mastigam coca (planta sagrada em Bolívia) o tempo todo, habitam regiões frias (La Paz, Cochabamba, Oruro Potosi, Chuquisaca e Tarija).

Os cambas habitam as regiões quentes, tropicais (Beni, Pando e Santa Cruz de la Sierra), descendem dos espanhóis e de indígenas, em grande parte Mojenhos, Guaranis, Chiquitanos.

Nestas festas não pode faltar , como bebida o “Mocochinchi“, refrescante suco feito de pêssego descascado e desidratado

“Pique a lo Macho” – INGREDIENTES E MODO DE PREPARO

1 filé
2 pacotes de salsicha
4 cebolas
Cebolinha e cheiro-verde a gosto
2 pimentões vermelhos
2 pimentões amarelos
2 pimentões verdes
5 tomates
1 kg de batatas
5 limões
Sal
Azeite extra-virgem
Pimenta calabresa desidratada
6 ovos
Maionese
1 locoto (pimenta boliviana)
Modo de Preparar
Corte o filé em tiras não muito finas, tempere com o limão, o cheiro-verde, o sal e a pimenta calabresa. Deixe a carne por pelo menos uma hora nessa solução. Corte as salsichas em rodelas e reserve. Corte os pimentões, a cebola e três tomates em tiras. Cozinhe os ovos e frite as batatas. Em uma panela grande, em fogo alto, aqueça o azeite em quantidade suficiente para fritar a carne. No momento da fritura, escorra a carne da solução de limão, deixando-a o mais seca possível. Deixe a carne fritar até o ponto do seu gosto e acrescente as salsichas. Quando a carne estiver quase no ponto, acrescente as verduras e frite mais um pouco, sem deixá-las murchar. Em um refratário, coloque as batatas fritas e despeje a carne e as verduras em cima. Corte os ovos cozidos em rodelas e coloque sobre a carne. Faça um quadriculado com a maionese e sirva a seguir. Não necessita acompanhamento. Bata o locoto com dois tomates no liquidificador e sirva separadamente como molho picante.

fonte: Wikipédia

Matéria atualizada 27/11/2017 às 12:36

A Bolívia é aqui : Centro Cultural Boliviano será lançado dia 6 de maio em Porto Velho

Por Júlio Yriarte

A Bolívia se constitui num Estado Unitário e Social de Direito Plurinacional Comunitário, livre, independente, soberano, democrático,intercultural, descentralizado e com autonomias. Bolívia funda-se no pluralismo político, econômico, jurídico, cultural e lingüístico, dentro do processo integrador do país.

Em Porto Velho, Estado de Rondônia, desde remotas épocas,que residentes e descendentes bolivianos manifestam fragmentadamente a vontade de organizarem-se juridicamente para dar vazão e divulgação a aspectos ligadosàs tradições, história, cultura e costumes do seu país, bem como: incentivar intercâmbios bi-laterais em diferentes e possíveis áreas. Muitas e diversas foram as tentativas de antigos companheiros na busca da formalização, todas, infrutíferas. É chegada a hora e a boa oportunidade para finalmente alcançar e consagrar a tão esperada organização social, jurídica, fraternal e política da comunidade boliviana que reside e trabalha aqui  na Capital rondoniense.

Assim, após inúmeros formais e informais encontros, eis que surge com toda sua força e motivação o CCB– Centro Cultural Boliviano, Organização da sociedade civil sem fins lucrativos e que tem entre suas principais finalidades: salvaguardar e difusão da cultura boliviana, exercício e promoção de atividades esportivas, culturais, de saúde e de assistência social, assistência jurídica em diversas especialidades, proposição de convênios com outras entidades regionais, nacionais e estrangeiras, públicas e privadas, oferta de cursos diversos para comunidades carentes, interação permanente com pessoas e grupos sociais rondonienses, legalização de situações migratórias de cidadãos que se encontram em situação irregular no Brasil, entre outros serviços à comunidade.

No próximo dia 6 de maio de 2012 (domingo) no Clube Kabana´s, a partir das 11 hs da manhã o CCB – Centro Cultural Boliviano realiza sua primeira atividade em Porto Velho: festa de lançamento, festival de culinária boliviana, registro de novos membros e apresentações artísticas com participação voluntária de artistas do quilate de Juanito da harpa e seus filhos Álisson e Adson, Duo Pirarublue – Sandro e Gioconda, Carlos Guery e Julio Yriarte,Paulinho Rodrigues, Caté Casara e Uru Eu Wau Wau, Cristina Pontes, Chagas Peres, Carlos Campos, Juan Carlos Boado, Caio Marin e Pedro Wanderlei. O acesso é livre e o convite é para todos os cidadãos de Porto Velho, independentemente de raça, cor, credo, gênero ou nacionalidade. O CCB – Centro Cultural Boliviano receberá entre seus membros, residentes, ascendentes e descendentes bolivianos, e, cidadãos brasileiros que tenham afinidade com a cultura do país.