Arquivos da categoria: Notícias

Greenpeace causou danos irreparáveis nas Linhas de Nazca, diz governo peruano

Ativistas da organização não governamental Greenpeace causaram “danos irreparáveis” em uma área de 1.600 metros quadrados das Linhas de Nazca, no Peru, classificadas como Patrimônio Cultural da Humanidade, onde fizeram um protesto disse nesta quinta-feira (11) a Procuradoria peruana.

A procuradora Velia Begazo, da Segunda Procuradoria Provincial de Nazca, abriu uma investigação preliminar do caso depois de receber denúncia do Ministério da Cultura peruano. Ela inspecionou, nessa quarta-feira (10), a área em torno da figura arqueológica Colibri onde “foram detectados danos irreparáveis numa área de 1.600 metros quadrados”.

Diante da situação, a Procuradoria pretende, agora, identificar os ativistas do Greenpeace que estiveram na região, inacessível ao público. Há indícios que estão envolvidas 12 pessoas que “incorreram num delito contra o Patrimônio Cultural”, com penas até oito anos de prisão.

O Greenpeace emitiu um comunicado, ontem, em que pediu desculpas pela sua ação. “Lamentamos profundamente e estamos plenamente conscientes de que a nossa mensagem não foi recebida como esperávamos. Em vez de transmitir um pedido de urgência e esperança aos líderes que se reuniram na Cúpula do Clima das Nações Unidas, que ocorre em Lima, a nossa mensagem teve um efeito muito distinto, entendido como desrespeitoso”, disse a organização.

“Não aceitamos as desculpas”, disse nesta quarta-feira o vice-ministro da Cultura, Luis Jaime Castillo, após receber representantes da ONG presentes na conferência das Nações Unidas sobre mudanças climáticas (COP20), na capital peruana.

O vice-ministro afirmou, em declarações ao canal de notícias local N, que o dano “foi constatado por uma perícia feita por especialistas em arqueologia do Ministério (da cultura), o Ministério Público de Nazca e a polícia”.

A ação do Greenpeace, realizada na madrugada de segunda-feira, em violação da lei, consistiu em estender ao lado do gigantesco desenho em forma de colibri, feito pelos antigos peruanos no ano 200 antes de Cristo, letras confeccionadas em tecido amarelo com a mensagem “Time for change: The future is renewable” (Tempo de mudança: o futuro é renovável).

A mensagem só pode ser vista do alto, assim como as mais de 500 imagens geométricas e de animais que formam as chamadas linhas de Nazca, um dos maiores mistérios arqueológicos do Peru e que alguns cientistas consideram ser um observatório astronômico ou um calendário.

via Agência Lusa

Fundação CSN lança concurso de documentários com prêmios de até R$ 330 mil

A Fundação CSN, braço social da Companhia Siderúrgica Nacional, lança na próxima terça-feira (16/9) a 2ª edição do edital Histórias que Ficam, programa de consultoria, fomento e difusão do documentário brasileiro, que vai financiar a produção de quatro filmes de até 70 minutos, com temática livre.

O concurso, de caráter nacional, seleciona 12 projetos de documentários, com temática livre, que sejam criativos do ponto de vista artístico e inovadores no uso da linguagem audiovisual. Desses, quatro serão contemplados. Cada projeto receberá até R$ 330 mil, além de laboratórios presenciais e consultorias de especialistas para os realizadores, desde o desenvolvimento até a exibição dos filmes.

Podem se inscrever realizadores com até dois longas-metragens no currículo. Pelo regulamento, serão destacados, ao final da seleção, um projeto da região Norte/Centro Oeste e um da região Nordeste. Os outros dois poderão ser de qualquer outra região do país.

Ao longo do processo de realização dos filmes, os documentaristas vencedores participarão de três laboratórios (roteiro e produção, montagem e distribuição), com profissionais de destaque em cada área, como Miguel Machalski, Marcelo Gomes, Daniela Capelato, Carlos Nader, Karen Harley entre outros.

Finalizados, os filmes participarão da Mostra Itinerante Histórias que Ficam e serão exibidos gratuitamente em mais de 20 cidades de todas as regiões do Brasil, em 2016.

As inscrições online ficam abertas até 14 de novembro no site  www.historiasqueficam.com.br

Bolívia desmente suspeita de caso de Ébola

O diretor do Departamento de Epidemiologia do Serviço Departamental de Saúde em Santa Cruz de La Sierra ( SEDES) , Roberto Torrez negou que tenha se confirmado o primeiro caso de Ébola na Bolívia, conforme havia afirmado um “jornal eletrônico” de La Paz, o Oxigeno.

A autoridade de saúde disse que suas declarações foram deturpadas e que a única afirmação correta é que se reforçaram os controles nos terminais aéreos a fim de evitar que a enfermidade ingresse no país.

Veja matéria completa no jornal El Deber

Deu no UOL : Código Penal no Rio não deve ser o mesmo de Rondônia e Acre, diz Pezão

Reprodução / SBT

Reprodução / SBT

O atual governador do Rio de Janeiro e concorrente à reeleição, Luiz Fernando Pezão (PMDB), defendeu que cada Estado tenha um Código Penal específico, citando como exemplo as diferenças entre a segurança pública no Rio de Janeiro e em Estados como Rondônia, Roraima e Acre. Pezão é o último candidato a ser sabatinado pelo UOL, pela “Folha de S.Paulo” e pelo SBT, nesta sexta-feira (8).

Pelo menos para o Sudeste, (…) a gente não pode ter o mesmo Código Penal no Rio de Janeiro assim como temos em Rondônia, em Roraima e no Acre. Assim como não podemos ter o Código Florestal da Amazônia aqui para a cidade do Rio de Janeiro”, disse.

A proposta põe em risco o atual modelo de pacto federativo.

Veja a matéria completa aqui

IBGE disponibiliza novos mapas vetoriais de Rondônia e da região NE

Já está disponível no site do IBGE um conjunto de arquivos digitais vetoriais (shapes, isto é, que podem ser manipulados pelos usuários), resultado dos levantamentos sobre a Cobertura e o Uso da Terra em Rondônia e sobre Hidrogeologia e Hidroquímica de Superfície e Subterrânea na região Nordeste. Estes e outros mapas podem ser acessados pelo link http://mapas.ibge.gov.br/.

O mapa da Cobertura e do Uso da Terra de Rondônia representa o detalhamento do arquivo lançado em 2013 com a escala 1:1.000.000 (1cm = 10km). Ele agora é apresentado em formato vetorial, na escala de 1:250.000 (1cm = 2,5km), de modo a permitir maior possibilidade de manipulação pelo usuário. O acesso pode ser feito pelo link ftp://geoftp.ibge.gov.br/mapas_tematicos/uso_da_terra/unidades_federacao/shape/RO/.

Os mapas de Hidroquímica dos Mananciais Subterrâneos e Superficiais e o Mapa Hidrogeológico da região Nordeste em formato vetorial também permitirão maior manipulação pelo usuário. Eles haviam sido disponibilizados em dezembro de 2013 no formato PDF, na escala de 1:2.500.000 (1cm = 25km).

Os três mapas trazem informações sobre os aquíferos e a qualidade química das águas subterrâneas e superficiais desta região, a mais carente de recursos hídricos do país, oferecendo subsídios para o planejamento de ações e para o uso racional dos recursos hídricos. O link de acesso é ftp://geoftp.ibge.gov.br/mapas_tematicos/recursos_hídricos/regionais.

Em breve, todos estarão disponíveis no site da INDE – Infraestrutura Nacional de Dados Espaciais, para consultas, pelo link ww.visualizador.inde.gov.br.

Baixe aqui o mapa político de Rondônia

Artista Plástica Rita Queiroz realiza exposição Andando pelas Picadas, em Anápolis/GO

convite---galeria-(3)Diz  a Rita : “Neste momento em que nosso povo sofre tanto com a enchente do Rio Madeira estarei divulgando a necessidade da conservação de nossa cultura ribeirinha. Além disso haverá uma instalação simbolizando este momento infeliz e solicitando solidariedade e apoio do governo para o problema.
Estou arrasada, pois acabo de saber que o Ponto Arte Vida Rio Madeira, que coordenei por 02 anos no Seringal de Santa Catarina – baixo madeira foi atingido fortemente e praticamente nada restou do que estava lá… além de objetos materiais, ferramentas de trabalho,obras de arte… perdemos o histórico do trabalho realizado.”

Estou numa caminhada há muitos anos, sempre em busca do conhecimento do imaginário dos ribeirinhos, sua cultura, seus mitos e lendas, o maneirismo e regionalismo nestas comunidades. Sempre estando em contado com este mundo fantasmático que permeia a realidade desta gente beradeira e das mudanças sociais e culturais pelas quais vem passando.
Foi o que fiz então nestes 37 anos como artista plástica. Estive tentando captar esta áurea, esta energia misteriosa do povo Ribeirinho. Estive apenas tentando explicar o ilógico, o que não pode ser racionalizado.
Criando um ponto de Cultura do Governo Federal/ Estadual com o nome “Arte e Vida Rio Madeira” tive a oportunidade de passar dois anos convivendo com eles e conhecendo a sua realidade, sentindo na pele as necessidades, privações, desvalorização e sofrimento deste povo, inclusive a perca da sua identidade cultural.
Todo meu trabalho artístico foi criado com base nas minhas lembranças de infância. Atualmente muito pouco sobrou daquela realidade. Me surpreendi ao me deparar com a drástica mudança no estilo de vida dos caboclos da região, chegando a ficar muda com meus pincéis, com dificuldade de retratar na arte o que eu via, pois a decepção me paralisou.
Verifiquei que também os ribeirinhos buscaram adquirir bens materiais para se alinharem ao progresso tecnológico que domina o mundo… Mantiveram suas casas em madeira e de pouca estrutura porém, adquiriram geladeira, televisão, celular…
No entanto, há muito pouco estudo sendo oferecido, não há saúde pública ou saneamento básico adequado. O que vi foi : exploração pela prostituição, pessoas acomodadas, sem trabalho, sem recursos, sem sonhos, mais violentos, muito menos inocentes e praticamente nada da tradição cultural.
Na minha infância nos tínhamos hábitos interessantes que em muito despertavam a imaginação e criatividade como brincadeira de roda, contadores de estórias, festas folclóricas. Havia personagens importantes que viviam entre nós como curandeiras, parteiras, mascates. Na beira do Rio Madeira chegavam embarcações chamadas Regatões com os mascates dos Rios, fazendo comércio local dos mais diversos produtos, porém com simplicidade e sem exploração. Não havia fome e a partilha era comum entre vizinhos.

Eles plantavam para sua própria subsistência, pescavam, criavam animais, teciam suas roupas… Hoje ninguém faz mais nada, nem sequer uma farinha, atividade comum naquela época. As seringueiras acabaram, não há mais a atividade de exploração da borracha tão comum na região.
A busca pelo conhecimento do que era básico como ler e escrever era motivação suficiente para justificar o sacrifício de andar por “léguas” para chegar à Escolinha. Hoje, onde há um espaço físico para funcionamento de escola não há professores, e onde há professores os alunos são desinteressados. E a comunidade não percebe o quanto a educação é fundamental.
Em relação aos contadores de estórias, figura popular na comunidade, hoje praticamente não existem mais. Os que ainda estão vivos já são bem idosos (90 anos ou mais) e com dificuldade de repassar as estórias em razão da própria memória já prejudicada pela idade.
O mito é um elemento fundamental para se compreender o processo de evolução da cultura amazônica vez que decorre de um imaginário unificador e transfigurador. Na minha pesquisa senti algo muito interessante… Eles acham que não acreditam mais em lendas como a do Mapinguari por exemplo, mas quando estão pernoitando na mata em busca do açaí e escutam um “ruído” dizem logo: foi o Mapinguari quem gritou! Para logo depois negarem a lenda, dizendo que foi um bicho no mato, nada para se preocupar. No entanto, se falamos com os mais antigos, a crença nos personagens das lendas ainda persiste e eles acreditam fielmente que existem e moram na mata, nos rios, nos igarapés, bamburrais, lagos e cachoeiras.
Durante o Projeto conseguimos resgatar várias atividades que eram comuns no passado através de Oficinas de arte, artesanato e tecelagem. Inclusive grande foi a colaboração de Cecília Espíndola , filha de Anápolis, que por várias vezes foi a Porto Velho , se deslocou de barco para o Ponto Cultural no baixo Rio Madeira e ministrou cursos de tecelagem para os ribeirinhos..
Iniciei meus trabalhos lá, enfrentei dificuldades imensas, acreditando que as pessoas se sensibilizariam e passariam a buscar novas soluções para os seus problemas inspirados pelo poder da criação. Passariam a fazer escolhas mais acertadas, se interessando mais pelos estudos e por uma profissão. Entendo que aprender com carinho faz bem, ajuda a adquirir conhecimento, aumenta a vontade de fazer as coisas de outra forma. Por outro lado, como consequência, teriam mais admiração e respeito dos seus pais e da comunidade.

Foi bom ver o projeto prosperando, progredindo dia a dia, transformando naquele período a rotina local, transformando a realidade dos que vivenciaram a experiência, bem porque aquelas crianças precisavam de sonhos e de serem estimuladas em sua criatividade, não merecendo ter seus desejos interrompidos.
Chegaram os resultados… A comunidade passou a produzir artesanatos, fizemos exposições em Porto Velho, o que reverteu em renda para os novos artesãos.
No entanto, todo projeto tem um prazo para iniciar e para acabar. Apesar do conhecimento adquirido a comunidade não recebeu suporte ou investimento necessário para manter as atividades e progredir no comércio do artesanato. Conclui que ações isoladas são importantes como um sopro que desperta uma comunidade, mas não garante mudanças reais e permanentes. O governo os mantém lá, esquecidos.
Não é uma cesta básica que vai mudar a vida destas pessoas, elas merecem bem mais do que isso. Informação de qualidade e cultura são alimentos insubstituíveis e que estão sendo negados há tantos no nosso País.
Passado o choque do contraste entre minhas lembranças de infância e a realidade atual mantive meu sonho de que a arte é imortal e sempre vale à pena. Sei que a transformação de adultos é mais difícil, mas minha esperança repousa nas crianças e no que ficou registrado em suas memórias. Quando trabalhamos em um projeto queremos resultados imediatos e permanentes, mas quero acreditar que tudo que conseguimos passar para aquelas crianças ainda venha emergir positivamente no futuro.
Assim, estou em outra etapa da minha vida. Finalmente, aceitei que meus 77 anos implicam em limitações para algumas atividades, em especial as que requerem muita saúde e energia como as que são necessárias para coordenar um Projeto como este no Rio Madeira.
Nos meus últimos dias no Projeto, observando o hábito local dos ribeirinhos de sentar nas margens do Rio e ficar comentando as notícias que saem na TV ou o que escutaram falar na cidade ouvi uma frase que me chamou atenção: agora com a construção desta usina em Porto Velho não haverá mais enchente!
Havia certa crítica no ar, já que isto significava que o fenômeno da enchente, tão natural para eles, fazendo parte do seu ritmo normal de vida e algo que eles dominavam muito bem, iria deixar de acontecer por obra do homem.

O nosso Rio Madeira sempre teve seu ciclo natural de vida e quem convive mais perto dele sabe bem como se adaptar as suas mudanças. Nas enchentes os caboclos sobem os assoalhos das palafitas e pouco muda no seu cotidiano.
Eu ficava à beira do barranco pensando que consequências ainda poderiam vir das atividades irracionais do homem contra a natureza. Até quando meu Rio iria ficar quieto diante da destruição feita em nome da modernidade??? Será que o santuário sagrado de tantas gerações iria resistir? E até que ponto os nossos ribeirinhos estariam realmente preparados???
Fim do Projeto para mim! Fim de um ciclo! Voltei para casa, mas dentro de mim ainda pensava o que mais poderia fazer. Certo dia, deitada na minha rede, ela partiu e eu cai no chão. Neste momento chorei, pensei que meu coração também estava partido, partido por tudo que vi e vive junto ao Rio Madeira, os sonhos de infância que se foram, o trabalho árduo, as transformações do tempo. Essa queda provocou em mim um profundo acordar, ou seja, um olhar para dentro de mim mesma.
E a ideia de mais uma exposição surgiu! A primeira instalação seria com a rede partida. A rede faz parte da representação de minha cultura, sempre gostei de meu descanso na rede. O primeiro som e a voz da minha mãe me ninando, gesto que eu trouxe para minhas filhas.
Uma representação de mim mesma também faria parte da instalação através de uma escultura feita em retalhos de minhas próprias roupas. Passei a produzir telas utilizando pertences pessoais, tais como rede, lençóis, roupas usadas, todas peças companheiras silenciosas da minha vida. Decidi que toda a coleção seria uma espécie de reciclagem dos objetos de meu uso pessoal , como que resgatando nos retalhos um pouco de tudo que vivi. Dei o nome Descamação Celular para a coleção e Andando pelas Picadas para esta exposição.
Sejam bem vindos a esta experiência!

62 obras sobre os principais pensadores da educação para download (via Geledés Instituto da Mulher Negra )

Roquette Pinto é um dos educadores cuja obra está disponível para download

O Mi­nis­té­rio da Edu­ca­ção, em par­ce­ria com a Unes­co e a Fun­da­ção Jo­a­quim Na­bu­co, dis­po­ni­bi­li­za pa­ra downlo­ad a Co­le­ção Edu­ca­do­res, uma sé­rie com 62 li­vros so­bre per­so­na­li­da­des da edu­ca­ção. A co­le­ção traz en­sai­os bi­o­grá­fi­cos so­bre 30 pen­sa­do­res bra­si­lei­ros, 30 es­tran­gei­ros, e dois ma­ni­fes­tos: “Pi­o­nei­ros da Edu­ca­ção No­va”, de 1932, e “Edu­ca­do­res”, de 1959. A es­co­lha dos no­mes pa­ra com­por a co­le­ção foi fei­ta por re­pre­sen­tan­tes de ins­ti­tu­i­ções edu­ca­cio­nais, uni­ver­si­da­des e Unes­co.

O cri­té­rio pa­ra a es­co­lha foi re­co­nhe­ci­men­to his­tó­ri­co e o al­can­ce de su­as re­fle­xões e con­tri­bui­ções pa­ra o avan­ço da edu­ca­ção no mun­do. No Bra­sil, o tra­ba­lho de pes­qui­sa foi fei­to por pro­fis­si­o­nais do Ins­ti­tu­to Pau­lo Frei­re. No pla­no in­ter­na­ci­o­nal, foi tra­du­zi­da a co­le­ção Pen­seurs de l’édu­ca­ti­on, or­ga­ni­za­da pe­lo In­ter­na­ti­o­nal Bu­re­au of Edu­ca­ti­on (IBE) da Unes­co, em Ge­ne­bra, que reú­ne al­guns dos mai­o­res pen­sa­do­res da edu­ca­ção de to­dos os tem­pos e cul­tu­ras.

In­te­gram a co­le­ção os se­guin­tes edu­ca­do­res/pen­sa­do­res: Al­ceu Amo­ro­so Li­ma, Al­fred Bi­net, Al­mei­da Jú­ni­or, An­drés Bel­lo, An­ton Maka­renko, An­to­nio Gram­sci, Aní­sio Tei­xei­ra, Apa­re­ci­da Joly Gou­veia, Ar­man­da Ál­va­ro Al­ber­to, Aze­re­do Cou­ti­nho, Ber­tha Lutz, Bog­dan Su­cho­dolski, Carl Ro­gers, Ce­cí­lia Mei­re­les, Cel­so Su­cow da Fon­se­ca, Cé­les­tin Frei­net, Darcy Ri­bei­ro, Do­min­go Sar­mi­en­to, Dur­me­val Tri­guei­ro, Ed­gard Ro­quet­te-Pin­to, Fer­nan­do de Aze­ve­do, Flo­res­tan Fer­nan­des, Fre­de­ric Skin­ner, Fri­e­drich Frö­bel, Fri­e­drich He­gel, Fro­ta Pes­soa, Ge­org Kers­chen­stei­ner, Gil­ber­to Freyre, Gus­ta­vo Ca­pa­ne­ma, Hei­tor Vil­la-Lo­bos, He­le­na An­ti­poff, Hen­ri Wal­lon, Hum­ber­to Mau­ro, Ivan Il­lich, Jan Amos Co­mê­nio, Je­an Pi­a­get, Je­an-Jac­ques Rous­se­au, Je­an-Ovi­de De­croly, Jo­hann Her­bart, Jo­hann Pes­ta­loz­zi, John Dewey, Jo­sé Mar­tí, Jo­sé Má­rio Pi­res Aza­nha, Jo­sé Pe­dro Va­re­la, Jú­lio de Mes­qui­ta Fi­lho, Liev Se­mio­no­vich Vygotsky, Lou­ren­ço Fi­lho, Ma­no­el Bom­fim, Ma­nu­el da Nó­bre­ga, Ma­ria Mon­tes­so­ri, Ní­sia Flo­res­ta, Or­te­ga y Gas­set, Pas­cho­al Lem­me, Pau­lo Frei­re, Ro­ger Cou­si­net, Rui Bar­bo­sa, Sam­paio Dó­ria, Sig­mund Freud,Val­nir Cha­gas, Édou­ard Cla­pa­rè­de e Émi­le Durkheim.

Clique AQUI para > acessar as 62 obras sobre os principais pensadores da educação para download

USS Forrestal, vendido por 1 centavo de dólar, vai virar sucata

Era uma belonave gigantesca um verdadeiro aeroporto flutuante com comprimento total era de 326 metros e largura de 76 metros. Possuía 4 catapultas a vapor. Sua capacidade era de 90 aviões. O navio contava com três hangares sobrepostos e um total de 19 andares, ou níveis.

Sua estrutura pesava 52 500 toneladas de aço inoxidável. A solda elétrica utilizada em sua construção consumiu 1 000 toneladas de eletrodosde aço inoxidável. Possuía quatro elevadores e eram servidas diariamente em torno de 10 500 refeições. Sua central telefônica interna, possuia 2 300 ramais, o consumo diário de água doce, era em torno de 750 000 litros.

Ancorado desde 1993, o porta-aviões tinha capacidade para 3.019 tripulantes e fez parte da frota enviada em 64 pelos EUA que incluía 6 contra-torpedeiros, um porta-helicópteros e 4 petroleiros, para dar apoio ao golpe militar no Brasil.

A operação, na época,  foi batizada de “Brother Sam”. Mui amigo, mui “irmão”.

Deu no G1: viajantes estão isolados após “derrumbes” no Peru

Comunicado aos turistas sobre deslizamentos no Peru (Foto: Eliane Sinhasique/Arquivo pessoal)

Vários veículos, incluindo caminhões e ônibus  estão retidos em Puno e Cusco. A Rodovia Interoceânica, que liga à região de Madre de Diós está isolada devido ao deslizamento de rochas e solos provocados pelo excesso de chuvas.

A ponte Otorongo Crescente , em San Gaban, na província de Puno, e região de  Carabaya caiu e provocou filas de automoveis e outros veiculos.

Dentre os retidos pode haver alguns rondonienses que solicitaram informações ao blog na última semana.

O juiz Giordane Dourado, que se encontra na cidade de Juliaca, departamento de Puno, no Peru, informou em seu perfil no Facebook que muitos estão ficando sem dinheiro, já que não contavam com o imprevisto.

Pró-reitora de graduação da Universidade Federal do Acre (Ufac), Socorro Neri é mãe de um dos viajantes presos no Peru, e teve seu último contato com o filho na manhã desta sexta-feira (3), quando André informou que está bem, e se encontra na cidade de San Gabán. O desvio foi feito por conta de dois deslizamentos na estrada de Cusco para Puerto Maldonado.

foto : Rádio Juliaca

Veja a matéria completa de Amanda Borges no G1 AC

Iphan abre vagas em Rondônia : salários podem chegar a mais de 8 mil reais

Começa hoje, dia 25 de outubro, o prazo de inscrição para o Processo Seletivo Simplificado do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) para selecionar profissionais de nível superior para desempenhar atividades técnicas especializadas. Para se inscrever, o candidato deverá acessar o site do Instituto Americano de Desenvolvimento (IADES) – http://www.iades.com.br – no período entre 8h do dia 25 de outubro e 22h de 18 de novembro. A taxa de inscrição é de R$ 70 para as áreas de atuação de nível superior nas áreas de Logística, Convênios e Contratos e de R$ 66 para as áreas de Arqueologia, Arquitetura ou Engenharia Civil. A data provável da prova é 15 de dezembro.

Para todo o Brasil são, 31 vagas para a área de Logística, convênios e contratos, 80 para Arqueologia e 52 para profissionais de Arquitetura ou Engenharia Civil, incluindo, entre elas, as vagas destinadas a pessoas com necessidades especiais. A remuneração é de R$ 6.130,00 para a área de Logística, convênios e contratos e R$ 8.300,00 para os outros cargos. As provas objetivas – eliminatórias e classificatórias – terão 50 questões distribuídas entre conhecimentos básicos (Língua Portuguesa, Raciocínio Lógico Quantitativo, Informática Básica, Direito Constitucional, Direito Administrativo e Administração Pública) e conhecimentos específicos (Conceitos e Legislação aplicada ao Patrimônio  Cultural e Conhecimentos Específicos da Área de Atuação). Os candidatos também passarão por avaliação curricular, de caráter exclusivamente classificatório, valendo no máximo 10 pontos.

A portaria autorizando a contratação dos 163 profissionais, por tempo determinado, para atender necessidade temporária de excepcional interesse público, foi publicada no Diário Oficial da União no dia 29 de agosto. Os selecionados vão desempenhar atividades no âmbito do IPHAN, devido ao aumento transitório do volume de trabalho em função das ações que serão realizadas pelo PAC Cidades Históricas.

Confira a íntegra do Edital clicando [aqui]

Empresa de São Paulo põe fim ao monopólio do ECAD

O músico e produtor Corciolli, nos escritórios do Music Delivery em São Paulo

O músico e produtor Corciolli, nos escritórios do Music Delivery em São Paulo

No Brasil, de acordo com a legislação autoral, todos os estabelecimentos que veiculam música ambiente, devem obrigatoriamente pagar uma taxa de execução pública ao ECAD (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição). O problema – além dos valores altos que são cobrados – é que o dinheiro nem sempre vai para os titulares das músicas tocadas: O ECAD utiliza um sistema de distribuição baseado em amostragem, remunerando apenas os titulares das músicas mais executadas nas rádios. Ou seja, milhares de compositores e interpretes, mesmo que tenham suas músicas veiculadas, se não estiverem no “top” das rádios, nada recebem.

Virada no jogo

Cansado de ouvir músicas dos artistas de sua gravadora sendo veiculadas em diversos locais e não receber por isso, o músico e compositor paulistano Corciolli, fundador da gravadora Azul Music, resolveu mudar a história: Após 3 anos estudando a fundo as legislações brasileira e internacional de direitos autorais, criou um sistema inovador e pioneiro que dispensa os pagamentos de execução pública ao ECAD. “Conforme estabelece a Lei 9.610/98 de Direitos Autorais no Brasil, é permitido aos titulares dispensarem o ECAD na cobrança da execução pública de suas músicas” explica Corciolli. De posse das autorizações de todos os envolvidos, o músico criou o Music Delivery, um serviço que oferece seleções de músicas totalmente liberadas para veiculação nos estabelecimentos, com custos até 60% inferiores aos usualmente cobrados pelo ECAD. “Nosso sistema é interessante para os dois lados: Os clientes pagam bem menos por um repertório preparado especialmente de acordo com cada perfil e em contrapartida, os titulares autorais passam a receber diretamente do Music Delivery, onde nada recebiam, pelo fato de suas músicas não estarem no top das rádios” complementa.

Identidade musical das marcas

O Music Delivery agrega um outro diferencial, pois desenvolve o “music brand” para seus clientes, ou seja, a identidade sonora da marca, item indispensável na comunicação de uma empresa com seu público-alvo. Esse conceito foi criado há 40 anos pelo norte-americano Philip Kotler – considerado a maior autoridade mundial em marketing e um dos homens mais influentes no mundo dos negócios. Em 1973, Kotler publicou um estudo revolucionário de como o ambiente de uma loja pode afetar o comportamento de seus clientes. De lá pra cá, inúmeras pesquisas acrescentaram um impressionante conjunto de dados, apresentando relações entre os estados emocionais dos consumidores, o tempo de permanência nos locais, a propensão ao consumo e o grau de satisfação com sua experiência. A forma como o ambiente influencia o estado de espírito do consumidor passou a ter enorme importância no ponto de venda, alertando as empresas para a necessidade de atingir um perfeito equilíbrio dos múltiplos aspectos sensoriais, que se tornaram poderosas ferramentas para o posicionamento das marcas: temperatura ambiente, iluminação, cores, layout, aromatização e em especial a veiculação da música ambiente adequada.

A disponibilização do serviço oferecido é recente, as primeiras liberações começaram em abril, mas a empresa já conta com diversos clientes entre shopping centers, lojas, supermercados e restaurantes. Dentre eles, a rede de joalherias Dryzun; Ale Tedesco Bakery e diversos shoppings: Casa &Gourmet (Rio de Janeiro), Estação (Curitiba), Campo Grande (Mato Grosso do Sul) Tamboré (São Paulo) e RibeirãoShopping (Ribeirão Preto). O negócio prospera, apesar de Corciolli não divulgar números. “Ainda é um pouco cedo para isso, mas com cerca de 500 shoppings, 80.000 lojas, 1.000 spas, 40.000 supermercados e mais de 1.000.000 de restaurantes/cafés que utilizam música ambiente, temos bastante potencial e trabalho pela frente”, reflete de maneira positiva.

O novo sistema abre um importante precedente na indústria do entretenimento no Brasil, pondo um fim ao – até então – monopólio do ECAD e chama a atenção de outras empresas do setor. “Estamos em negociações avançadas com algumas editoras e gravadoras, que já visualizam as oportunidades de novos negócios que oferecemos”. Para os clientes, além da economia gerada, o Music Delivery fornece documentação emitida pelo próprio ECAD que garante juridicamente a legalidade do serviço: “Trabalhamos junto com o ECAD, em absoluta transparência, proporcionando aos clientes confiabilidade e segurança”, finaliza Corciolli.

Banksy – O rei do grafite

Banksy – Por trás das paredes é a uma biografia que desvenda a arte do grafiteiro Banksy, já que ninguém sabe ao certo quem ele é. Artista de personalidade genuinamente enigmática, cuja identidade nunca foi revelada, ele permanece como uma incógnita, tanto para o público como para a crítica, desde 1990 quando surgiu.
O desafio do autor, jornalista Will Ellsworth-Jones – que não tem a intenção de desmascará-lo –, foi reunir diversas peças e mostrar como, no espaço de apenas uma década, alguém cujo trabalho era considerado por muitos como mero vandalismo, tornou-se uma espécie de tesouro da Grã-Bretanha. Para escrever o primeiro relato completo da carreira de Banksy, o autor conversou com conhecidos e adversários grafiteiros.
“Ele é o fora da lei que foi arrastado, relutante, mas reiteradamente, cada vez mais em direção ao sistema da arte. Ele é o artista que zombou tanto dos museus quanto das galerias de arte”, descreve o autor.
Banksy é um artista único e responsável por todo um novo movimento na arte. Capitalista relutante, atualmente suas obras são vendidas em leilões por centenas de milhares de libras. Para alguém que foge dos holofotes, oculta seu verdadeiro nome, nunca mostra o rosto e concede entrevistas apenas por e-mail, ele é notavelmente famoso. Sobre o anonimato, Banksy alega que o mantém para se proteger da lei e da ordem.
Em 2003, disfarçado com barba, sobretudo, lenço no pescoço, chapéu e portando uma grande sacola de papel, Banksy adentrou na galeria Tate, em sua cidade natal, Bristol. Passando direto pelos seguranças, ele caminhou calmamente até a sala 7, no segundo andar e, em um espaço vago na parede, quase que escondido, fixou o quadro que trazia na sacola.
Tal ação se repetiu em galerias de Paris, Nova York e Londres. Banksy “presenteou” também os museus Met e MOMA, em Nova York, nos Estados Unidos, que o ajudou a tornar-se um grafiteiro conhecido internacionalmente.

“Certa vez um entrevistador de uma rádio norte-americana perguntou a Banksy se ele fazia esse tipo de incursões sozinho. Ele respondeu: “Faço, sim, porque levar outras pessoas junto não é o tipo da coisa que se faz.” Estritamente falando, ele disse a verdade – uma pessoa só bastou para entrar e colocar a pintura na parede.”

Artista que faz da rua sua galeria, Banksy já foi selecionado para a lista das 100 pessoas mais influentes do planeta, organizada pela revista Times, em 2010, ao lado de pessoas como o atual presidente dos Estados Unidos Barack Obama, o empresário Steve Jobs e a cantora Lady Gaga. Seu documentário Exit Through the Gift Shop [Saída Pela Loja de Presentes] foi indicado ao Oscar.
Sua busca pela fama e reconhecimento é para que pessoas que nunca chegaram perto de uma galeria ou um museu possam ver suas imagens pela primeira vez, em jornais ou na televisão, e especialmente na rede mundial de computadores. Rapidamente, o grafiteiro tornou-se o primeiro artista internacional da internet.
Na obra, os leitores também vão apreciar alguns dos mais polêmicos trabalhos de Banksy. Fazem parte do caderno de fotos do livro grafites e exposições como a “Turf War”, de 2003, que provocou reações de defensores dos direitos dos animais, e que na época gerou a ele ainda mais publicidade e exposição.
Como já mencionado acima, este livro não tenta desmascarar Banksy. Durante as entrevistas com pessoas que conhecem o grafiteiro, o autor afirmou a todo momento que não solicitaria nenhuma revelação sobre a identidade real do artista, que, segundo o jornal inglês The Observer, “faz questão de manter e preservar seu próprio mito”.

Rússia vai oferecer ao Brasil co-produção do caça de quinta geração T-50

A delegação russa, chefiada pelo ministro da Defesa, Serguei Shoigu, realizará entre 14 e 17 de outubro visitas ao Peru e Brasil. Nas conversações está prevista discussão das questões de cooperação militar e técnico-militar.

“Nas negociações no Brasil, estamos prontos para oferecer não só a compra de aeronaves modernas acabadas como o Su-35, mas também a produção conjunta de modelos promissores de aviões como o T-50,” disse um dos integrantes da delegação.

O Su-35 é um caça super-manobrável multimissão de geração 4++, que satisfaz todas as exigências dos caças de 5ª geração, à exceção das tecnologias stealth.

O PAK FA T-50 é um caça russo multimissão de 5ª geração. A aeronave deve entrar em serviço da Força Aérea da Rússia em 2016.

O projeto do T-50, do Programa PAK-FA, já conta com a participação da Índia, que disponibilizou cerca de US$ 25 bilhões e espera obter a versão de exportação do T-50 até 2018.

A Força Aérea Russa (FAR) receberá os primeiros T-50 de produção em série este ano, e comprará pelo menos 70 aeronaves.

O caça traz toda uma série de inovações para minimizar sua visibilidade aos radares. E também novos materiais estruturais e revestimentos, inteligência artificial, e componentes de hardware que elevam a indústria aeronáutica russa a um patamar completamente novo.

Um dos destaques do T-50 são os novos polímeros de fibra de carbono, com peso duas vezes menor do que o alumínio e quatro vezes menor que o aço. Como mais de 70% do revestimento da aeronave é composto por novos materiais, o resultado é um avião quatro vezes mais leve que os construídos com material comum.

Além disso, o T-50 se destaca por uma visibilidade reduzida aos radares, ópticos e infravermelhos. A área efetiva da superfície refletora da aeronave é de 0,5 m2, enquanto a do Su-30MKI é de 20 m2. Isso significa que, no radar, o Su-30MKI aparece como um objeto metálico de 5 por 4 metros, enquanto o T-50 tem uma imagem 40 vezes menor.

Dezenas de sensores colocados ao longo da fuselagem permitem controlar a situação em torno da aeronave, e trocar informações, em tempo real, com serviços terrestres e dentro de um esquadrão. Se não bastasse, um “piloto automático” oferece ao piloto da aeronave várias opções de ação. O T-50 é capaz de decolar e pousar em uma pista de 300 a 400 metros de extensão.

O caça possui elevada capacidade de manobra e alto nível de monitoramento. Um radar de matriz ativa faseada instalado na aeronave permite ao piloto ver tudo o que acontece a uma distância de várias centenas de quilômetros, e acompanhar vários alvos aéreos e terrestres ao mesmo tempo.

O armamento é transportado dentro de compartimentos internos, como exige a tecnologia Stealth. Esses compartimentos podem acomodar até oito mísseis ar-ar do tipo R-77 ou duas bombas inteligentes de 1.500 kg. A aeronave também pode levar em dois pontos duros sob as asas mísseis com capacidade para atingir alvos a uma distância de 400 km.

via Rádio A Voz da Rússia

Leia também > Geopolítica – O Esquadrão Poti agora é aqui

Grupo portovelhense “O Imaginário” inicia Caravana Teatral pelo Maranhão e Paraíba

 

Varadouro_bannerA Caravana Mitos e Lendas a Caminho do Sertão é um trabalho de teatro que levará às cidades de São Luís, no Maranhão e João Pessoa, na Paraíba, uma programação composta por espetáculo, debates, oficina e práticas de construção da cena.

Um dos pontos altos dessa caravana é o espetáculo Varadouro, fruto de um trabalho de pesquisa sobre as memórias de toda a pluralidade de pessoas que ajudaram a construir o estado de Rondônia. Junto com as memórias, há o trabalho da dramaturgia sonora que se utiliza de objetos para reproduzir as sonoridades do cotidiano amazônico adicionando camadas sensoriais à narrativa do espetáculo. O músico Bira Lourenço traz à cena recursos percussivos utilizando estímulo sonoro de elementos naturais, como a água, o barro e as cordas.

Em cena, o ator Leo Carnevale vive diversos personagens que conquistaram as terras,os rios, as florestas: o coronel de barranco, os aventureiros, os encantados, fazendo uma reflexão sobre os caminhos do ser humano e seus sentimentos diante da imensidão que transborda do rio e da floresta. A peça tem iluminação de Osias Cardoso, preparação de ator com Zaine Diniz e a direção é de Chicão Santos.

No dia 27 de setembro o espetáculo foi apresentado em Porto Velho no festival Palco Giratório, realizado pelo SESC. Agora, o grupo inicia a Caravana em São Luís (MA), e nesta primeira etapa a programação acontecerá durante todo o mês de outubro em escolas, universidades, sedes de grupos e nos teatros Itapicuraiba e Arthur Azevedo.

Já no mês de novembro O Imaginário aporta em João Pessoa (PB), para uma jornada durante todo o mês. Na caminhada na Paraíba muita troca com grupos e coletivos de artistas, convivências, visitas a sedes de grupos, escolas e universidades.

Oficina O Ator Criador e a Cena

Durante a Caravana o grupo vai ministrar uma oficina gratuita que abordará três focos principais: a dramaturgia, a atuação e a produção. Com relação à dramaturgia, além do texto composto de memórias e outras referências literárias, é debatido também a dramaturgia sonora utilizada no espetáculo, com atividades e conteúdos baseados em bioinstrumentos e sonoridades da floresta, paisagem musical e recursos percussivos utilizando estimulo sonoros de elementos naturais.

A atuação será trabalhada conforme a linha de trabalho do grupo, na qual o ator é compositor de suas ações e partituras. As memórias, as lembranças e as narrativas como matrizes dos processos de criação e construção. Complementando a oficina, será abordada também a gestão do ofício que é a Arte, com o objetivo abordar a criação e desenvolvimento de um projeto cultural desde sua raiz (ideias) até a sua realização. O trabalho será realizado procurando desenvolver as aptidões de cada artista/produtor orientando-o e capacitando-o em cada passo da construção de um projeto.

O Imaginário

Desde sua criação, em 2005, a principal ação do O Imaginário é discutir o teatro, o público e a cidade, focando no desenvolvimento de conceitos que caracterizam a sua ação por um teatro insurgente e pelo acesso do cidadão a espetáculos de qualidade como um direito social. Com a Caravana, pretende manter vivas as ações de circulação, trocas, compartilhamentos, estudo, pesquisa e investigação com outros coletivos, fortalecendo o fazer teatral no panorama nacional.

Mais 2 mil médicos cubanos chegam ao Brasil nesta semana

De hoje (30) até o final desta semana chegam ao Brasil mais 2 mil médicos cubanos para a segunda etapa do Programa Mais Médicos. Hoje, os primeiros 135 profissionais de Cuba desembarcam em Vitória. Na próxima segunda-feira (7), os 2 mil cubanos iniciam o módulo de avaliação que tem duração de três semanas com aulas sobre língua portuguesa e o sistema brasileiro de saúde pública. As informações são do Ministério da Saúde.
Além dos 2 mil cubanos, os 149 médicos com diploma do exterior que foram selecionados para a segunda fase do Mais Médicos iniciam o módulo de avaliação no dia 7. As aulas ocorrerão no Distrito Federal, em Fortaleza, Vitória e Belo Horizonte.
Na primeira fase do Programa Mais Médicos, 400 profissionais cubanos chegaram ao Brasil e passaram por curso de formação e avaliação. A previsão do Ministério da Saúde é trazer ao país, até o final do ano, 4 mil médicos cubanos. Esses profissionais vêm ao Brasil por meio de um acordo intermediado pela Organização Pan-Americana da Saúde (Opas).
Assim como os médicos com diploma do exterior que se inscreveram individualmente, os cubanos que vêm pelo acordo com a Opas não precisam passar pelo Revalida (Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituições de Educação Superior) e, por isso, terão registro provisório por três anos para atuar na atenção básica e com validade restrita ao local para onde forem designados.

“GTA V” chega ao mercado para detonar concorrência

jogo

O selo americano Rockstar Games lançou a versão de “Grand Theft Auto V”, o vídeo game mais aguardado do ano e que foi mantido sob sigilo durante vários meses. A nova edição da série GTA gerou polêmica e comentários sobre seu aspecto lúdico embora o famoso jogo não tenha abandonado seu estilo subversivo, segundo especialistas.

Cinco anos após o “ Grand Theft Auto IV” e sua releitura do sonho americano através de um imigrante dos Bálcãs em uma cidade inspirada em Nova York, o novo capítulo do GTA desta vez tem o ensolarado ambiente californiano como cenário e três protagonistas na história, uma novidade desde a criação da saga, em 1997.

Michael, um ex-ladrão, Franklin, um jovem delinqüente, e Trevor, um desequilibrado, compõe um grupo responsável por uma série de roubos em Los Santos, um cenário baseado na cidade americana de Los Angeles.

Assim como em outros jogos da série GTA, o jogador, além de cumprir suas missões, poderá realizar diversas atividades anexas como caçar ou praticar tênis. O pano de fundo das ações é uma crítica à sociedade americana. Há uma grande variedade também de veículos, helicópteros e aviões a serem pilotados, além de jet-skys.

Apesar de apenas ser oferecido em dois suportes, o Playstation 3 e a Xbox 360, a previsão é de que o novo jogo possa ultrapassar em faturamento uma outra série de grande sucesso, o “Call of Duty”, disponível em todos os formatos e que nos últimos anos têm se mantido no topo da lista dos vídeo games mais vendidos.

De qualquer forma o GTA V deve atingir um grande número de vendas para amortizar o custo de seu desenvolvimento, avaliado em 200 milhões de euros, de acordo com o jornal escocês The Scotsman. Caso seja confirmada esta informação, será o maior valor já investido por uma empresa de jogos eletrônicos para criar um produto.

Começa hoje Festival de Brasília do Cinema Brasileiro

foto: Vera de Paula

Começa hoje o 46º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro e a abertura nesta noite, às 20h30, na Sala Villa-Lobos do Teatro Nacional, com a exibição do filme Revelando Sebastião Salgado, em sessão especial para convidados.

A Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro, sob a regência do maestro Claudio Cohen, apresentará durante a cerimônia um concerto especial, com a participação do violinista austríaco Benjamin Schmid.

Até o dia 24 de setembro será oferecida à população uma extensa programação que contempla, além da mostra competitiva, a realização de oficinas integradas, seminários e debates sobre a produção cinematográfica do país. Confira a programação completa aqui.

Além disso, o público infanto-juvenil poderá assistir às exibições do Festivalzinho, que acontecem diariamente, às 10h.

As exibições são realizadas no Cine Brasília e em escolas agendadas de Águas Claras, Candangolândia, Ceilândia, Cruzeiro, Guará, Jardim Botânico, Lago Sul, Núcleo Bandeirante, Park Way, Riacho Fundo II, Samambaia, Sobradinho, Sobradinho II e Taguatinga.

Câmeras dos smartphones, com mais qualidade, se aproximam das profissionais

A Nokia convidou dois dos maiores fotógrafos do mundo, David Bailey e Bruce Weber para capturar o espírito do Harlem, a famosa comunidade de Nova York com smartphones . O modelo usado foi o Nokia Lumia 1020 de 41 Megapixels, que chega ao Brasil até o final do ano. O resultado você vê na foto acima e no site The Nokia Photography Room.

Com cinema argentino em alta, curso se torna cada vez mais promissor

Nunca é tarde para começar a pensar no futuro e estudar o que realmente se gosta.  Cursos de graduação que até pouco tempo atrás eram vistos como ‘alternativos’ estão cada vez mais na mira dos estudantes que antes tinham receio de se aventurar em uma dessas carreiras.

Cada vez mais promissor, o mercado do cinema tem crescido e a Argentina tem se destacado e ganhado cada vez mais reconhecimento, inclusive internacional. Aos cinéfilos de plantão, vale destacar os recentes “El Secreto de Sus Ojos” (2009) e “Tesis sobre un homicídio” (2013), duas obras prima.

Segundo Juliana Cunha, diretora de cursos da EducAR, agência de intercâmbios universitários para a Argentina, “O filme tem o poder de criar realidades e possibilidades, funciona como uma janela através da qual você entra em mundos diferentes”.

A agência propõe dois programas aos universitários que desejam se formar na Argentina em Cinema: um pela Universidad de Palermo e outro pela Universidad de Buenos Aires. Sendo que ambos têm como objetivo formar um profissional de áudio-visual integrando todos os elementos que participam do processo de organização e produção de seu discurso. Além disso, a formação se baseia tanto no conhecimento do fato estético como em uma sólida formação técnica que lhe permite aprofundar nos ramos da criação.

“O cineasta é um artista visual, um designer criativo que tem a capacidade de ler um script, além de ser um dos autores do audiovisual com a intuição de criar personagens, dirigir os atores e ter o talento para construir uma original estética artística e sensibilidade para gerar o clima adequado”, finaliza Juliana Cunha, da EducAR.