Micro-conto de horror (IV)

IRENE 
Passei uma semana inteira preparando o jantar romântico. Eu e Irene. Linda nesse vestido. Linda sentada à mesa. Velas e flores.
Batidas fortes na porta. Irene diz para eu atender. Ela está linda nesse vestido. A policia invade. Um guarda bem jovem, o primeiro a entrar, irrompe porta afora. Vômito. A vizinhança enxerida. “É daqui mesmo que sai esse cheiro. Tem dias isso!” O peso de papel demovera Irene da idéia de me abandonar. Acabou ficando para o jantar. A Justiça me bota na solitária. Mas não estou só. Irene está comigo. Ela promete que será para sempre. A idéia já não me agrada tanto. Irene sorri.

Daí, o que você acha disso ?