História de Rondônia

Essa teleaula produzida por Beto Bertagna é resultado de um projeto pioneiro, o de levar à rede pública de ensino um pouco da história de Rondônia, de forma didática e interativa. A ocupação do Vale do Guaporé e a construção do Forte Príncipe da Beira, são marcos da nossa história. Uma obra da engenharia militar portuguesa no Brasil Colonial que nos remete às nossas origens, à nossa identidade. Esse trabalho foi feito com muita ousadia, pois à época os recursos para produzi-lo eram bem precários, perto do que dispomos hoje. Foram quase oito horas ininterruptas de gravação, sem TP, vários dias de edição, mas sobretudo meses de intensa pesquisa. O vídeo que foi apresentado nas escolas está disponível no youtube e já tem mais de 36 mil visualizações. Uma rica fonte de consulta, única e por isso mesmo, pioneira.

Luciana Oliveira

Foi um prazer gravar com a Luciana, jornalista e apresentadora de primeira, possuidora de uma capacidade incrível de guardar textos na memória. A idéia era continuar a série, apresentando mais detalhadamente o Real Forte Príncipe da Beira e a Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, em outros módulos. Infelizmente o projeto não seguiu avante por falta de patrocinadores. Mas segue firme o nosso orgulho de fazer coisas boas para Rondônia. Os arquivos digitais, pesquisas, filmes e originais estão guardados. E quem sabe um dia não role a segunda tele-aula.

Beto Bertagna

betobertagna@yahoo.com.br
https://www.facebook.com/beto.bertagna
https://twitter.com/betobertagna

1 pensou em “História de Rondônia

  1. DOMENICO

    PARABENS PELA INICIATIVA. SUPER VALIDA. E UMA PENA QUE NAO TENHA O APOIO NECESSARIO. SEMPRE FOI ASSIM EM RONDONIA. NAO EXISTE A TRADICAO E NEM O APOIO NECESSARIO A CULTURA E A HISTORIA LOCAL. TALVEZ PELO FATO DE SER RONDONIA UM ESTADO MULTICULTURAL COM GOVERNOS SEMPRE DE PESSOAS VINDAS DE FORA, AS VEZES INDICADAS A DEDO, AS VEZES ELEITAS MAS SEM UM COMPROMISSO MAIOR COM A REGIAO. DE QUA
    LQUER MANEIRA, LAMENTAVEL.

    Responder

Daí, o que você acha disso ?

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.