Assédio sexual psicológico

Por Allan Bik de Barros

Aquela garota é “bunitinha” e sensual pra danar.
Quando vai trabalhar de saia curta, então… Me deixa de “saia curta” pois não consigo despregar os olhos dos seus tornozelos e joelhos bem torneados numa verdadeira tortura  psicológica e física, me fazendo cometer pecado do desejo à mulher do próximo quando o próximo está distante.
Um tesãozinho tão fofinho, uma bonequinha tão cheirosinha, que dá vontades de morder, lambuzar-se a noite inteira em esfrega-esfregas infindáveis e coitos ininterruptos.
Essa coisinha divina não nasceu pra trabalhar.
É pra botar  quietinha na cabeceira da cama como um pedestal de prazer  e usufruir com gana, êxtase, tesão tresloucado, quando acordado e sonhar fazendo tudo de novo, enquanto dormindo.

(Allan Bik deu o ar de sua graça, ressurgindo das cinzas…)

Uma ideia sobre “Assédio sexual psicológico

  1. norma7

    Allan Bik ? Alambique?
    Que achado de nome: Piada pronta ou predestinação?

    Gostei bastante do ‘textículo’ – (Oi ?). Criou fácil um ‘cenário’ para coisa toda: uma atividade a dois, onde só um se diverte… (e o outro é transformado em calendário de borracharia – Pisc*)

    Essa pin-up moderna, inconsciente da comoção que causa, com seus atributos físicos (será?) merece ser mantida na ignorância do fato de ser alvo de desejos tão calorosos? Uma deusa, um brinquedo para as horas certas?
    É assim que a brincadeira funciona…? Senão estraga…?

    No aguardo do próximo capítulo do ‘Cavaleiro Andante’ (sem armadura, porém de lança eternamente em riste – pelo menos no screen) e o seu obscuro objeto chamado desejo, já que segundo alguns, tara, tara mesmo… só a abstinência e pelo o significativo enfoque no campo da psicologia (rs), agradeço.

    Boa Sorte, Nac♥

    Responder

Daí, o que você acha disso ?