Mototaxistas : pelo amor de Deus, não ultrapassem pela direita !

Por Beto Bertagna

Com o “surto” econômico que Porto Velho vive aumentou demais o número de carros , motos e ônibus trafegando na cidade (sem considerar os caminhões que andam pela ex-Av Jorge Teixeira, hoje BR). Tudo isto entope as artérias e vias, causando uma espécie de ateroesclerose urbana. Pois bem, sem hipocrisias, sem discussão sobre a legalidade ou não dos mototaxistas. Sinceramente, ainda não cheguei a uma conclusão pessoal sobre o serviço, pois vejo diariamente pessoas que necessitam do mesmo pelo menor custo e pela agilidade. Mas uma coisa tem que ser feita urgentemente, antes que mais vidas sejam ceifadas pela violência e pelo desrespeito às regras de trânsito, principalmente dos mototaxistas.  Este pessoal tem que ser treinado e muito! Em respeito à vida. Sempre tive moto, já trafeguei por São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Porto Alegre mas hoje tenho medo de Porto Velho. A moto é um veículo que ocupa o mesmo espaço que um carro (teóricamente, na lei) e por isso tem que andar atrás dos carros. Mas esta não é a realidade que se vê nas ruas tresloucadas. E enquanto nenhum órgão se manifesta, nenhum sindicato age,  ninguém , nada acontece enquanto as vidas vão se esvaindo pelo ralo vai um apelo deste blogueiro e motociclista aposentado temporariamente. Usando a expressão do narrador Sílvio Luiz, “pelo amor dos meus filhinhos, mototaxistas, pelo menos NÃO ULTRAPASSEM PELA DIREITA !!! “

Uma ideia sobre “Mototaxistas : pelo amor de Deus, não ultrapassem pela direita !

  1. Norma

    Estou tentando criar uma visão plástica da realidade da cidade de Porto Velho (que não conheço). Confesso que tá difícil. Ao ler o Post anterior “Pós-usinas…” vizualizei um set do “Fuga de Los Angeles”. Agora, com o presente, o “terror”, o desrespeito ao vivente, se apresenta transvestido de ‘mudernidade’ do ‘sul maravilha” – Henfil. Voltando à estaca zero e trocando a camiseta do Tamar (pilatropia, oi!?) por outra e marchando para cama… Humpf!

    Responder

Daí, o que você acha disso ?