Arquivo diários:12/12/2011

Para-choque de blog

“Nunca se deseja ardentemente o que somente com a razão se deseja.” La Rochefoucauld

Para-choque de blog

“Um bom livro faz pensar e o pensamento leva à ação. Ao contrário do computador e da TV, o livro não enguiça” (Fausto Wolff)

Adrian Cowell : um tributo ao maior documentarista da Amazônia

Por André Trigueiro 

Ele nasceu na China, concluiu seus estudos em Cambridge, mas foi no Brasil que o documentarista Adrian Cowell realizou seu trabalho mais importante. Foram 50 anos de deslocamentos pelos grotões da Amazônia onde descobriu e filmou tribos isoladas de índios em Rondônia, os primeiros movimentos dos garimpeiros em Serra Pelada no Pará, a primeira entrevista com Chico Mendes no Acre, onde também eternizou em película a primeira reunião do Conselho Nacional dos Seringueiros, a violenta disputa por terras em diferentes regiões do país, o heróico trabalho dos sertanistas descortinando um Brasil desconhecido da maioria dos brasileiros, entre muitos outros registros de valor histórico inestimável.

Em suas primeiras incursões pela floresta percebeu que os equipamentos de filmagem, extremamente sensíveis, eram facilmente avariados pelo calor úmido da Amazônia. De volta a Londres, expôs o problema ao fabricante, que descobriu uma espécie de resina capaz de proteger suas câmeras da exposição excessiva ao calor dos trópicos. Era metódico e disciplinado. Pendurava uma bússola no pescoço de cada membro de sua equipe para que ninguém se perdesse. Permanecia meses caminhando pelas matas comendo enlatados e carne de caça com direito a ataques inesperados de onça, cobra e mosquitos. Não raro, alguém caía com malária. Seu cinegrafista predileto e grande amigo, Vicente Rios, pegou malária três vezes. A parceria durou 30 anos. Vicente lembra que Adrian o advertiu logo no início para que não “economizasse” nas filmagens. Naquela época, especialmente no Brasil, era bastante comum filmar o estritamente necessário para evitar gastos excessivos com filmes. Vicente seguia à risca essa cartilha até conhecer Cowell, que o orientou a filmar tudo o que fosse interessante. As excursões eram invariavelmente financiadas por televisões européias que conheciam o talento do documentarista e custeavam os muitos rolos de filmes usados em cada documentário.

Graças aos documentários de Adrian Cowell, o Banco Mundial foi obrigado a rever os critérios de financiamento para polêmicos projetos de “desenvolvimento” na região Norte. Seus registros também determinaram mudanças no traçado de rodovias que atravessariam áreas ocupadas por agrupamentos indígenas isolados e até então desconhecidos. Premiadíssimo no exterior, ele nunca teve o reconhecimento devido por aqui.

Adrian Cowell morreu aos 77 anos de insuficiência respiratória no último mês de outubro, na véspera de mais uma viagem ao Brasil, onde pretendia reeditar o documentário “Killing for Land” (Matando por terra) filmado em 1990 e ainda inédito no Brasil.

A opção de não exibi-lo no país se deveu ao cuidado de Cowell em não expor os personagens do documentário que denunciaram o envolvimento dos poderosos em massacres e irregularidades fundiárias. Mais de 20 anos depois, seguro de que certos depoimentos não implicarão mais em risco de morte para seus autores – embora os conflitos agrários continuem justificando muitos assassinatos no Brasil – ele voltaria ao país para concluir o trabalho.

A missão agora está a cargo de Vicente, que também recebeu de Adrian Cowell a incumbência de zelar pelo acervo doado à PUC de Goiás. Nada menos que 7 toneladas de filmes em 16mm, vídeos, fotos, áudios e cadernos de viagem. O material, acessível ao público, ainda está sendo catalogado.

NR>As faculdades de comunicação de Rondônia , que formam profissionais aos borbotões, deveriam colocar na grade curricular obrigatória os filmes do mestre Cowell. Pelo menos os tais-formados teriam uma forte noção de ética.

FILMOGRAFIA

THE DESTRUCTION OF THE INDIAN (A DESTRUIÇÃO DO ÍNDIO)
THE HEART OF THE FOREST (O CORAÇÃO DA FLORESTA) 16mm/ p&b/ 30 min/ BBC/ 1961
PATH TO EXTINCTION (CAMINHO PARA EXTINÇÃO16mm/ p&b/ 30 min/ BBC/ 1961
CARNIVAL OF VIOLENCE (CARNAVAL DA VIOLÊNCIA) 16mm/ p&b/ 30 min/ BBC/ 1960
Prêmios: Award from the Scriptwriters Guild of Great Britain


THE LOST CITIES OF ATLANTIS [AS CIDADES PERDIDAS DA ATLÂNTIDA] 16mm/ p&b/ 26min/ BBC/ 1961
THE FATE OF COLONEL FAWCETT (O DESTINO DO CORONEL FAWCETT 16mm/ p&b/ 26min/ BBC/ 1961
THE DEVIL IN THE BACKLANDS(CULTOS DO SERTÃO)
THE FANATICS (ROMEIROS)16mm/ p&b/ 26min/ BBC/ 1963
THE JANGADEIROS (JANGADEIROS) 16mm/ p&b/ 26min/ BBC/ 1963
SATAN IN THE SUBURBS (OS FILHOS DE SANTO) 16mm/ p&b/ 26min/ BBC/ 1963
REBEL (REBELDE)RAID INTO TIBET [EMBOSCADA NO TIBET] 16mm/ p&b/ 25min/ ATV/ 1966
THE UNKNOWN WAR [A GUERRA DESCONHECIDA] 16mm/ p&b/ 25min/ ATV/ 1966
THE LIGHT OF ASIA (A LUZ DA ÁSIA)
BUDDHISM IN TIBET [BUDISMO NO TIBET] 16mm/ p&b/ 26min/ ATV/ 1966
BUDDHISM IN THAILAND [BUDISMO NA TAILÂNDIA] 16mm/ p&b/ 26min/ ATV/ 1966
THE SOKA GAKKAI [SOKA GAKKAI] 16mm/ p&b/ 26min/ ATV/ 1966
THE OPIUM TRAIL [O RASTRO DO ÓPIO] 16mm/ p&b/ 50min/ ATV/ 1966
THE TRIBE THAT HIDES FROM MAN (A TRIBO QUE SE ESCONDE DO HOMEM) 16mm/ cor/ versões 60min, 66min e 72min/ ATV/ 1970
Prêmios: British Academy of Film & Television Arts’ (BAFTA) – Television Factual ProductionSan Francisco International Film Festival – Golden Gate Award
Award from the Scriptwriters Guild of Great Britain
Venice Film Festival Medal

THE KINGDOM IN THE JUNGLE [O REINADO NA FLORESTA] 16mm / cor/ 26min/ ATV/ 1970
THE OPIUM WARLORDS [OS GUERREIROS DO ÓPIO] 16mm / cor/ 74min/ ATV/ 1974
THE MASKED DANCE [A DANÇA DE MÁSCARAS] 16mm / cor/ 52min/ ATV/ 1976
>OPIUM (ÓPIO)THE WHITE POWDER OPERA [A ÓPERA DO PÓ BRANCO] 16mm / cor/ 52min/ ATV/ 1978
THE WARLORDS [OS GUERREIROS] 16mm / cor/ 52min/ ATV/ 1978
THE POLITICIANS [OS POLÍTICOS] 16mm / cor/ 52min/ ATV/ 1978
Prêmios:=British Academy of Film & Television Arts’ (BAFTA) – Television Documentary Programme /American Film Festival – Red Ribbon / Chicago Film Festival  – Golden Hugo

THE DECADE OF DESTRUCTION / A DÉCADA DA DESTRUIÇÃO

THE SEARCH FOR THE KIDNAPPERS (NA TRILHA DOS URU EU WAU WAU)16mm/ cor/ 52 min/ ATV/ versões 1984 e 1990
THE BLAZING OF THE TRAIL (CAMINHO DO FOGO)16mm/ cor/ 52 min/ ATV/ 1984
IN THE ASHES OF THE FOREST (NAS CINZAS DA FLORESTA) 16mm/ cor/ 52 min/ ATV/ versões 1984 e 1990
THE STORMS OF THE AMAZON (TEMPESTADES NA AMAZÔNIA)16mm/ cor/ 26 min/ ATV/ 1984
THE MECHANICS OF THEFOREST (A MECÂNICA DA FLORESTA) 16mm/ cor/ 26 min/ ATV/ 1984
BANKING ON DISASTER (FINANCIANDO O DESASTRE) 16mm/ cor/ 75 min/ ATV/ 1987
MOUNTAINS OF GOLD MONTANHAS DE OURO) 16mm/ cor/ 52 min/ ATV/ versões 1988 e 1990
CHICO MENDES – I WANT TO LIVE (CHICO MENDES – EU QUERO VIVER) 16mm/ cor/ 40 min/ ATV/ 1989
MURDER IN THE AMAZON (ASSASSINATO NA AMAZÔNIA) 16mm/ cor/ 57 min/ WGBH/ 1989
KILLING FOR LAND [MATANDO POR TERRAS] 16mm/ cor/ 52 min/ ATV/ 1990
THE CRUSADE FOR THEFOREST(A LUTA  PELA FLORESTA)>16mm / cor/ 51 min/ ATV/ 1990
Prêmios International Emmy – Founder’s Award / British Academy of Film & Television Arts’ (BAFTA) – Award for Originality / Le Prix International de Television de Geneve / San Francisco International Film Festival – Golden Gate Award / One World Broadcasting Trust – Premier Award / Medikinale International Parma – Grand Prix / National Educational Film & Video Festival – Crystal Apple /Wildscreen Festival - Bristol & West Conservation Award / American Film Festival – Red Ribbon /Television Movie Awards – Best Educational Production / North American Association for Environmental Education – Best of Show Award / Vermont World Peace Festival – 1st Prize International Concerns

THE DECADE OF DESTRUCTION FOR SCHOOLS – A DÉCADA DA DESTRUIÇÃO PARA ESCOLAS

THE RAIN FOREST (A FLORESTA TROPICAL) 16mm/ cor/ 9 min/ Nomad Films /WWF/ 1991
THE COLONISTS (OS COLONOS) 16 mm/ cor/ 16min/ Nomad Films/WWF/ 1991
THE DEVELOPMENT ROAD (A ESTRADA PARA O DESENVOLVIMENTO) 16 mm/ cor/ 12 min/ Nomad Films/WWF/ 1991
THE INDIANS (OS ÍNDIOS) 16 mm/ cor/ 16 min/ Nomad Films/WWF/ 1991
THE RUBBER TAPPERS (OS SERINGUEIROS) 16 mm / cor / 10 min/ Nomad Films/WWF/ 1991
THE POLITICIANS (OS POLÍTICOS) 16 mm / cor/ 19 min / Nomad Films / WWF/ 1991
Prêmios: North American Association for Environmental Education – Best Instructional FilmTHE HEROIN WARS(AS GUERRAS DA HEROÍNA)

THE OPIUM CONVOYS (OS COMBOIOS DE ÓPIO) 16 mm / cor/ 51 min/ Channel 4/ 1996
SMACK CITY (CIDADE DA HEROÍNA) 16mm / cor / 52 min/ Channel 4/ 1996
THE KINGS OF OPIUM (OS REIS DO ÓPIO) 16mm/ cor/ 52 min/ Channel 4/ 1996
Prêmios : Worldfest – Gold Special Jury Award /International Association of Audio Visual Communications – Gold Cindy Award /National Educational Media Network – Bronze Apple Award/U.S International Films Video Festival – Certificate for Creative Excellence

THE LAST OF THE HIDING TRIBES / OS ÚLTIMOS ISOLADOS
RETURN FROM EXTINCTION (FUGINDO DA EXTINÇÃO) – Super 16 mm e DV/ cor/ 52 min/ Nomad Films/Channel 4/ 1999
FATE OF THE KIDNAPPER (O DESTINO DOS URU EU WAU WAU) – Super 16mm e DV/ cor/ 52 min/ Nomad Films/Channel 4/ 1999
FRAGMENTS OF A PEOPLE (FRAGMENTOS DE UM POVO) – Super 16 mm e DV/ cor/ 52 min/ Nomad Films/Channel 4/ 1999Prêmios:Latin American Studies Association Award of Merit in Film

LEGADO DO CHICO
THE FATE OF THE DAMMED(BARRADOS E CONDENADOS) DV/ cor/ 25min/ TVE/BBC World/ 2001
A RAMSOM FOR THE FOREST(UMA DÁDIVA PARA A FLORESTA) DV/ cor/ 25min/ TVE/BBC World/ 2001
THE FIRES OF THE AMAZON(QUEIMADAS NA AMAZÔNIA) DV/ cor/ 45min/ BBC2 2002
CHICO ’S DREAM(O SONHO DO CHICO) – DV/ cor/ 25min/ TVE/BBC World/ 2003
THE JUNGLE BEAT(BATIDA NA FLORESTA) – DV/ cor/ 59 min/ BBC2/ 2005

No ôco-do-pau

Por Osmar Silva

Em todas as esquinas e curvas da colméia das abelhas, das formigas e, particularmente dos cupins, todos estão cansados de saber que ele foi o maior ladrão da história do reino. Como todo mundo sabe mais não tem provas, os comentários são em voz baixa, e com precaução para que ouvidos estranhos escutem. Até porque todos o temem. Corre sobre ele histórias terríveis de ganância, arrogância, vingança e poder. Exigia de todos fidelidade  absoluta. Qualquer deslize custava caro. Muito caro. Não tinha desculpa nem perdão. Uma regra era sagrada: todos seus parceiros de reinado tinham que dividir com ele os seus lucros. Ficando com ele a maior parte, lógico. Por isso, seus tesouros são incalculáveis. E lhe dão muito poder, mas muito mesmo.

Durante seu reinado, todos andavam de cabeça baixa, mesmo os mais próximos e subservientes, com quem dividia alguma maldade.Ainda hoje, mesmo não sendo mais o rei, todos ainda tem medo. Ele, com seu tesouro, conseguiu comprar uma vaga num clube muito especial. Gastou mais que os demais sócios. Mas isso não faz diferença. Lá, ele ficou próximo do imperador e procura corromper os conselheiros do império. De lá, procura infernizar a vida do novo mandatário do reino. Atribui ao novo rei defeitos que cultiva. Procura jogar contra o rei os habitantes das colméias e demais membros da sociedade.

Na verdade, ele está morrendo é de inveja do novo chefe do reino. E de medo dos habitantes o expurgá-lo pra sempre. O novo rei é afável, ouve todo mundo, está empenhado em fazer o reino crescer a partir do crescimento de cada um, de cada membro, de cada habitante do reino. Ele acha que o reino só cresce se cada um crescer. Por isso o povo gosta do novo rei. Tão diferente dele que tomava o tesouro inteiro só pra si. Por isso, o povo não lhe dá ouvidos quando ele critica o novo rei. O zangão cai na gargalhada: ‘ ele não tem moral pra criticar. Não resolveu nada do que critica’. ‘Quer saber da verdade?’ Pergunta a rainha das formigas. ‘Ninguém gosta dele no clube. Quando ele chega, todo mundo vai embora. Aí, não tendo o que fazer, fala mal dos outros’. E a rainha dos cupins desabafa: ‘o que me irrita é ver que dizem que é igual a cupim: vai roendo tudo. Não gosto, não gosto mesmo. Nós só nós alimentamos. Não acumulamos fortunas nem tesouros dos outros’.

Mas o pior, pior mesmo, é que ele mandou seus ‘folhas secas’e  ‘guaxebas’ se infiltrar entre os conselheiros do novo rei. E foram corrompendo todo mundo. E ele lá longe, na sede do império, só de bituca. Mas até nisso, se deu mal. A polícia do reino descobriu e prendeu todo mundo no ôco-do-pau. Até alguns dos seus antigos ministros. Já tão descobrindo suas próprias falcatruas. Vai acabar sendo expulso do clube. Aí não vai adiantar se fingir de inocente e pedir oração. As colméias vão trancá-lo no ôco-do-pau e as abelhas vão lacrar a boca-do-pau com cera. Dura.

Osmar Silva