Proibição de “carona” em moto tem efeito igual a proibir o “paletó e gravata” para evitar a corrupção

Por Beto Bertagna

Estes dias recebi um e-mail muito simpático, que dizia que “vou morrer e ainda não vi tudo” . E lá, mostrava uma bizarrice qualquer, uma destas idiotices midiáticas e passageiras que assolam o mundo moderno.

Pois bem. Agora lá vem o dep. Jooji Hato, de São Paulo, lançar mais um factóide para nos torrar o saco e a paciência por mais algumas horas, dias, semanas e meses. Ele propõe a absurda, esdrúxula e inconstitucional “proibição de garupas em motos nos dias úteis”.

Leia : “Artigo 1º – Fica proibido o trânsito de motocicletas com dois ocupantes, chamados “carona” ou “garupa” durante os dias úteis da semana, compreendidos entre segunda-feira e sexta-feira”.

“Artigo 3° – Torna-se obrigatório o uso de capacetes e coletes com o número da placa da motocicleta afixado na parte de trás dos mesmos em dimensões e cor fluorescente que o mantenha legível, inclusive à noite”.

“Artigo 6º – Esta Lei é válida somente para as áreas urbanas de municípios com a população superior a um milhão de habitantes”.

Que tal se proibir o “uso do paletó e gravata” para evitar a corrupção e os crimes de colarinho branco ? Ou então, afixar nas costas do paletó dos “fichas-sujas” a relação dos processos a que responde na Justiça ? O diretor do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), Alfredo Peres da Silva já havia se pronunciado a respeito , quando houve tentativa semelhante no Rio de Janeiro“É proibido proibir”, disse Peres da Silva, na ocasião. Peres lembra que a competência para legislar sobre trânsito é da União, segundo determina a Constituição de 1988. “O próprio Código de Trânsito define as motos como veículos para transporte de duas pessoas. O código faz referência ao carona quando estabelece a obrigatoriedade do uso de capacete pelo motorista e seu acompanhante.”  No samba do crioulo-doido do eleitoreiro pleito, então, em fins de semana, e em cidades com menos de um milhão de habitantes o “crime’ estaria liberado. Ou o proprietário da moto pagaria 1/2 IPVA ?

Não é primeira vez que o parlamentar provoca celeuma. No Projeto de Lei 768/2011 ele cria a  ” carrocinha de menores: uma viatura de polícia encarregada de abordar crianças e adolescentes nas ruas; uma viatura de polícia para pedir documentos, fazer a identificação cível e criminal das crianças ou adolescentes que estejam nas ruas entre 23h30 e 5h; uma viatura de polícia para caçar crianças e adolescentes; e encaminhar estas crianças e adolescentes à delegacia, aos abrigos ou aos pais.”

Um cheiro de  limpeza social, perseguição e criminalização de crianças e adolescentes, sob o viés da suposta proteção” segundo parecer da CONANDA, Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente . Para a  promotora Leida Diniz, do Ministério Público de Piauí, o “toque de recolher” para crianças e adolescente é igual às antigas carrocinhas de menores da época da ditadura militar.

Enquanto isto as pontes caem, os viadutos desabam e o povo de São Paulo que reze muito para São Pedro pois a chuva vem aí e não tem Projeto de Lei contra ela que dê jeito.

Premonição : Já já deputados de outros Estados vão querer copiar o nipônico e entrar na esparrela. É o rabo abanando o cachorro…

Leia também : Rotaway  : Proibir garupa? Projeto de Lei 485/2011?!

8 thoughts on “Proibição de “carona” em moto tem efeito igual a proibir o “paletó e gravata” para evitar a corrupção

  1. Pingback: Transporte individual e coletivo urbano não deve ser “público” | Blog do Roberto Lacerda Barricelli

  2. Pingback: Lei quer que motociclistas e caronas tenham a inscrição da placa da moto no(s) capacete(s) | Beto Bertagna a 24 quadros

  3. Zeca Urubu

    Esse japonês babaca quer combater o crime de uma forma mais bisonha possível.
    É como a vaca ter carrapatos e você matar a vaca para resolver o problema.
    Manda essa idiota ir plantar arroz, não vai dar tanto dinheiro fácil como ele ganha na câmara.
    Abra os olhos japinha, senão alguém abra por você.

    Responder
  4. Fulano de Tal

    Diz para esse idiota se não tem o que fazer ARRUME. Pede para pensar no pai de família que só tem moto para levar a esposa ou filhos, não é como ele que ganha dinheiro fácil.

    ABRA OS OLHOS JAPONÊS

    Responder
  5. francisco frederico schuett

    Não há nada para justificar a proibição de um bem cujo direito Constitucional sobre ele foi adquirido mediante pagamento, quando foi comprado.
    Essa falácia de que motos são usadas para cometer crimes em nada justifica também, pois a responsabilidade sobre a segurança é do Estado.
    Esse deputado japa, quer lesar o direito de propriedade e de quebra jogar a responsabilidade do estado sobre os cidadãos que compram, pagam, pagam impostos pedagios ipva, ipi, icms, iptu………………………………………..
    Os bandidos usam sapatos, calças cuecas enquanto estão praticando crimes, porque não proibir o uso desses itens, quem sabe diminui o crime!
    Da licença o Japa, vê se põe policia na rua e com autoridade para agir contra o crime, isso pode funcionar!
    Parece que há outros interesses nessa jogada, será que estão vendendo poucas motos?

    Responder
  6. Geraldo Mauricio Garcia

    Mais uma grande demonstração de quem tem a oportunidade de contribuir com algo que possa melhorar a administração pública e não sabe o que fazer. O dep. Jooji Hato se comportou como um cachorro que late para a roda de um carro em movimento, que quando o carro pára, não sabe o que fazer. Por favor deputado, isso é um ABSURDO!!!!!! Vá se preocupar com a melhoria das rodovias, com asfalto descente e sinalizado!!! Vá combater a corrupção!!!! Vá …………….

    Responder
  7. Alberto

    É preciso acabar com a impunidade de alguns motoqueiros que não respeitam nada, contra-mão, semáforos, calçadas, faixa de pedestres, nada… então a lei É VÁLIDA SIM… pelo menos a parte que reza sobre a identificação nos capacetes e coletes… Qto à carona, eu duvido que a maioria dos que são contra a lei não sintam um frio na espinha toda vez que estão com seus portões da garagem aberto para guardar o carro e são surpreendidos com uma moto virando a esquina… Esse meio de tranportes infelizmente além de servir muita gente de bem, serve muitos bandidos também… e mais uma coisa… a maioria dos motociclistas que avisto na rua não estão levando garupa… então só uma minoria será afetada…

    Responder
    1. Orang Ut

      Cara, desculpe a franqueza… Bem, é melhor eu não ser tão franco assim. Digamos apenas que você não entendeu a lei, não entendeu o objetivo, não entendeu a abrangência e não entendeu o artigo. O seu comentário é preconceituoso contra uma classe de condutores. Preconceito por preconceito, eu tenho mais medo quando um pedestre se aproxima enquanto estou guardando o carro na garagem. Além disso, bandido por bandido, há mais bandido de ônibus do que de moto. É número suficiente para impedir sua circulação. Há bandido suficiente também para impedir vôos para Brasília. No mais, embora a maioria das motos realemente esteja transportando apenas uma pessoa na hora que você acorda, isso ocorre igualmente com os carros. Desculpe, ‘amigo’, mas não há nada de aproveitável no seu comentário.

      Responder

Daí, o que você acha disso ?

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.