Arquivo diários:10/01/2011

Deu no G1:Rondônia pede hospital de campanha para enfrentar caos na Saúde. Mídia nacional começa a repercutir a situação

Segundo o site , Governo de Rondônia decretou estado de perigo iminente e de calamidade pública. Equipe com membros de três ministérios deve ser enviada ao estado. Veja a matéria completa no G1 . A própria agenda oficial do governador Confúcio Moura já programava para às 8 horas da manhã (11) uma entrevista para o Jornal Nacional, com o próprio  e o Secretário de Estado da Saúde, Dr. Alexandre Muller. Esta matéria deve ir ao ar, à noite. Aliás, comentando uma idéia do governador de que gostaria de ver os serviços de saúde e outros serviços públicos uniformizados no Brasil inteiro, ao estilo Mc Donalds a idéia não é tão inovadora assim. Nos EUA, na década de 70, uma empresa chamada Kinder-Care, que dirigia uma cadeia de clínicas pediátricas aproveitou o baby-boom ocorrido na América e faturou alto com o serviço. Oferecia clínicas uniformes, padronizadas e confiáveis. Que tal ?

Presidenta Dilma demonstra grande desprezo por estrato da economia nacional (via Professor Hariovaldo Almeida Prado)

Não existem balas perdidas ou movimentos impensados quando se trata de implantar o comunismo búlgaro no Brasil. Cada ato e cada gesto da presidenta ilegítima usurpadora do Palácio do Planalto é milimetricamente planejado para atacar os homens de bem e arruinar seus negócios, para que  das ruínas do capitalismo renasça a flor mal cheirosa do comunismo ateu.… Continue Lendo

via Professor Hariovaldo Almeida Prado

Ronaldinho e Assis Moreira : nada pode ser menor

Por Beto Bertagna

Ronaldinho Gaúcho e seu esperto irmão-empresário Roberto Assis ao que parecem subestimaram a capacidade de reação e indignação da torcida gremista, já mordida por cobra durante a polêmica saída do craque do Estádio Olímpico, o seu ninho. Lendo o blog do David Coimbra, que também acreditava que a vinda de RG era fato consumado, nos deparamos com uma pérola : o presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, divertia os convidados do casamento de Camilla Menezes, filha do técnico da Seleção Brasileira, Mano Menezes,  no clube Leopoldina Juvenil, em Porto Alegre, mostrando as mensagens de Assis implorando para que o Corinthians abrisse um canal de negociação. No sábado já tinha tido uma surpresa agradável: comprei um novo pacote de tv por satélite e enquanto o técnico ajustava o equipamento , eu me deliciava com a entrevista do presidente Paulo Odone, descartando de vez o interesse no jogador. Já valeu o mês inteiro de assinatura, ver a postura de um clube que não pode mendigar contrato, pela sua grandeza. Não é isso que a torcida quer, não é isto que a torcida gosta, esta torcida maravilhosa que consegue ir da paixão desenfreada ao ódio quase inconsequente em questão de horas, de dias. Esta torcida que se sente magoada, traída e enrolada e cujos personagens ficarão para sempre em sua memória. O Palmeiras já desistiu também. Que ele vá para o Flamengo então. Perdeu a chance de se reconciliar com o seu passado, com a sua torcida imortal , e esta é a típica chance “cavalo encilhado”, não passa duas vezes. A atitude do presidente do Corinthians demonstra que os acertos com Assis são de galhofa, não valem um antigo tostão furado. Só conseguiram aumentar a fúria do torcedor. É claro que por trás das decisões de Assis estão mega-contratos , participações, percentuais em venda da imagem, os negócios da família Assis Moreira.  Mas mesmo estas intrincadas negociações tem um limite. E o limite, ao que parece, foi ultrapassado pelo irmão-empresário, provocando a ira fanática dos gremistas que agora os taxaram de “traíras, mercenários”. Não aprovo a atitude de torcedores, como neste fim de semana em Florianópolis quando hostilizaram o jogador. Isto não leva a nada. Mas é o retrato do que aconteceu, o desabafo natural de quem passou por trouxa, acreditanto na basófia do irmão-empresário. Assis deve pensar duas vezes antes de aparecer em público no RS . Ronaldinho infelizmente também. Muitas moedas e cédulas de real ainda serão atiradas em sua direção, tenham certeza ! Que coisa triste isto ! Ter dinheiro e não poder circular a vontade numa capital de Estado como Porto Alegre e Florianópolis ! Ser refém de si mesmo na sua mansão em Ipanema ou  seu pedaço de terra em Eldorado do Sul ! Não poder entrar de cabeça erguida nas festividades de inauguração da Arena, daqui a algum tempo, pouco tempo, como os verdadeiros ídolos gremistas farão. Parabéns presidente Paulo Odone, parabéns diretoria de futebol !  Ronaldinho , em meio a suas farras , acabou esquecendo o que significa e a quem se aplica a expressão “nada pode ser maior”. Arrivederci, Rio Grande . Que triste ! Que “mal” !