Ferroviários da EFMM: estão com “tudo” e não estão “prosa”

Há exatos 4 anos atrás, os antigos ferroviários da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré cuidavam praticamente sózinhos do acervo da ferrovia, passando muitas dificuldades.  Até um simples marmitex lhes foi negado , na época, pelo Governo do Estado. Naquele ano, 2006, o tombamento da Madeira-Mamoré foi homologado pelo Patrimônio Histórico Nacional.

Hoje, eles recuperaram a auto-estima , se organizaram em forma de Cooperativa (Cootrafer) com o apoio da Senadora Fátima Cleide e do Deputado Eduardo Valverde  e  estão ajudando a revitalização da ferrovia através de um convênio,  costurado pelo IPHAN , que lhes garante o trabalho digno e remunerado.  É uma das muitas  medidas mitigadoras e compensatórias que estão a cargo da UHE Sto Antônio .

Na foto, os antigos ferroviários com alguns trabalhadores mais novos posam com o Presidente Lula na Madeira-Mamoré, para a história.

Daí, o que você acha disso ?