Arquivo diários:09/07/2010

via (meu prego)

foto: L. Bertagna

Mais uma “cegonha” completamente restaurada na Madeira-Mamoré

Paulo e Evaristo, ex-ferroviários da EFMM, gigantes na sua restauração

Paulo e Evaristo, ex-ferroviários da EFMM, gigantes na sua restauração, posam orgulhosos na frente de mais uma "cegonha" restaurada. Até o final de 2011 os passeios devem retornar à velha ferrovia, abandonada durante muitos anos e que agora passa por um completo projeto de revitalização. Foto: P. Pinheiro

Na imagem, uma cegonha completamente restaurada pela COOTRAFER – Cooperativa dos Ex-Ferroviários da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, que estabeleceu convênio com a Santo Antônio Energia, Prefeitura de Porto Velho e IPHAN .  Em junho de 2006 os verdadeiros ex-ferroviários estavam abandonados, passando dificuldades, pois até um marmitex lhes era negado. Hoje recuperaram a auto-estima, tem renda e estão trazendo a esperança e o seu conhecimento técnico para ajudar na restauração do complexo ferroviário. julho/2010

Pode ser que nada

Por Lê Bertagna

No dia 29 de junho caminhei até o centro da cidade ou exatamente 18 quadras com a seguinte proposta: olhar dentro dos olhos de todas as pessoas que cruzassem comigo na rua. Desta experiência:

apenas 10% das pessoas retribuíram em algum momento o olhar dado a elas;
90% das pessoas não notaram que estavam sendo insistentemente olhadas;
homens mais velhos olham mais que homens e/ou mulheres mais jovens, e não acredito que seja por razões sexuais;
algumas poucas pessoas retribuíram o olhar com intenções sexuais, entre elas: dois homens e uma mulher;
muitas pessoas usam óculos escuros;
dos 10% que retribuíram o olhar, 9,7% desviaram. Desconheço o motivo;
somente um olhar fez o meu olho desviar, me venceu.

Pode ser tudo mentira.

Escândalo do goleiro Bruno chega a Rondônia: mãe dele tentou matar mulher com 5 tiros em Cacoal. Pai e irmão eram ladrões

Era só o que faltava ! A Gazeta do Povo, de Curitiba de hoje, 9, noticia que em 3 de março de 1996, na cidade de Cacoal, em Rondônia, Sandra Cássia Souza de Oliveira Santos, mãe do atleta, envolveu-se numa discussão e, com uma pistola 9mm, atirou cinco vezes contra Marinês Alves Dias, sem, no entanto, atingi-la. As duas se conheciam e, na noite anterior ao crime, haviam tido um encontro durante o qual houve consumo de cocaína. Sandra foi denunciada pelo Ministério Público por tentativa de homicídio e a Justiça chegou a determinar que ela fosse a júri popular, mas a acusada nunca foi presa. Em 2008, o processo foi arquivado. O Tribunal de Justiça informou que o crime prescreveu em dez anos – e não em 20, como previsto no Código Penal – porque Sandra seria menor de 21 anos na época. No entanto, informações do mandado de prisão mostram que ela nasceu em 1967 e, portanto, teria 29 anos. O MP informou que já está verificando se houve realmente o erro e que poderá pedir a reabertura do caso. O pai do jogador, Maurílio Fernandes das Dores de Souza, falecido há oito anos, foi acusado de furto e teve a prisão pedida sete vezes. O irmão , Rodrigo Fernandes, de 20 anos, foi preso há dois anos por roubo em Teresina, no Piauí.
Passou da hora da diretoria do Flamengo dar uma enquadrada no seu elenco de jogadores, afinal eles são exemplo para uma multidão de fãs jovens pelo Brasil afora.
Veja aqui a matéria completa do jornal A Gazeta do Povo , de Curitiba/PR > http://tinyurl.com/3ydh36h

Ao norte – 37

Crianças brincam no parquinho da praça em Alta Floresta d´Oeste - RO

Professores da educação básica : 6 anos para obter formação superior

Relatado pela senadora Fátima Cleide, presidente da Comissão de Educação do Senado, o PLC 280/2009, projeto de autoria do Executivo que dispõe sobre a formação dos profissionais que atuam na educação básica, foi aprovado .

Os atuais professores terão um prazo de seis anos para se adequar à nova regra, que exige formação superior para os novos professores da educação básica.

Segundo a senadora Fátima Cleide ” a versão  relatada permite que os professores com formação de nível médio – na modalidade Normal – que não tenham nível superior, continuem a atuar na educação básica, desde que no prazo de seis anos obtenham diploma universitário. Os professores com curso Normal podem continuar atuando em creches e pré-escolas. O Brasil é muito desigual, e exigir pra já a formação superior para professores ribeirinhos, que estão no meio da floresta, sem condições ainda de dar um salto em sua qualificação, seria muito radical. Dar um prazo para que eles individualmente se preparem e o Estado brasileiro possa ajudá-los nessa formação é o mais correto.”

Com informações da TV Senado

Clubes do Norte – RO – Genus de Porto Velho

Foto : B.Gerhardt

O Sport Club Genus de Porto Velho é um clube de futebol, fundado em 15 de novembro de 1981 sediado em Porto Velho, capital do Estado de Rondônia. Suas cores são amarelo e grená.  A palavra “Genus” é oriunda do latim e significa “família”. A cada ano o Genus promove campeonatos amadores no popular “Campo do 13″ para observar talentos e poder integrar ao clube, como a Recopa Genus e a Supercopa Genus. O símbolo e as cores do Genus abordam o Estado de Rondônia, com o formato idêntico ao Real Forte Príncipe da Beira, com uma bola de futebol no círculo ao meio e as Três Caixas D’ Água, símbolo máximo de Porto Velho. O amarelo simboliza as riquezas de Rondônia, o preto a Cassisterita que é abundante no estado, o azul porque o Hino de Rondônia cita “Azul, nosso céu é sempre azul” e o Grená representando o sangue derramado pelos operários que construíram a Estrada de Ferro Madeira Mamoré – E.F.M.M. Até 2006, o time se chamava Sport Club Genus Rondoniense, nesse ano alterou o “Rondoniense” pelo “de Porto Velho”, em virtude de reclamações de torcedores e imprensa tanto local como de fora se questionarem de onde era o Genus, pois os clubes de Rondônia costumam levar em seu nome, o nome também da cidade como tem o Ji-Paraná (Ji-Paraná), União Cacoalense (Cacoal), Jaruense (Jaru), Ariquemes (Ariquemes), Rolim de Moura (Rolim de Moura), VEC (Vilhena) entre outros.

Micrometragens : inscrições até dia 10

As inscrições para a primeira etapa do Cel.U.Cine Festival de Micrometragens, pioneiro no Brasil no incentivo à criação e difusão de conteúdo audiovisual para novas mídias, acabam no próximo dia 10 de julho. Para se inscrever no festival, basta acessar o site www.celucine.com.br.
Realizado pela primeira vez em 2008, o Cel.U.Cine tem como objetivo promover a produção, difusão e segmentação destes conteúdos para mídia celular, tendo como base as tecnologias digitais, além de revelar novos talentos e criar uma cultura de produção audiovisual em novos formatos.
O Cel.U.Cine chega a sua terceira edição em pleno ano de Copa do Mundo e, para aproveitar este clima, propõe como tema para a sua primeira etapa:  “O mundo é uma bola – Vivemos em círculos”. Podem participar filmes com duração entre 30 segundos até três minutos, de qualquer gênero, feitos por profissionais ou amadores. Os filmes devem ser produzidos em celular, câmera digital ou mini-DV. O festival terá mais uma etapa até o fim do ano com tema ainda a ser decidido.
O primeiro colocado receberá R$ 15 mil. Também serão premiados o segundo lugar, com R$ 7 mil, e o terceiro lugar, com R$ 5 mil. As cinco produções selecionadas em cada uma das duas etapas ganharão telefones celulares.
Serão quatro os jurados no festival. São ele: jornalista Cora Ronai, especialista em tecnologia e criadora do caderno “Info Etc” do jornal O Globo; o ator, diretor e crítico de cinema José Wilker; a diretora e roteirista Adriana Alcântara; e o ator e diretor Selton Mello.

17º Prêmio CNT de Jornalismo