Umbandaime, a nova religião brasileira na selva de concreto

Umbanda + Santo Daime : E agora, José ?

Uma leitora deste  site comentou : ” Cada um sabe onde aperta o seu calo, o encontro com o divino pode estar em qualquer lugar! Por que não o sincretismo de várias facetas espirituais para acalmar a alma de quem busca paz?!”

O jornalista Nelson Townes em matéria especial para a Revista Momento a considerou a mais brasileira das religiões.

O jornalista acriano Altino Machado denuncia que, em referência ao recente caso de assassinato do cartunista e mestre daimista Glauco,   a mídia deturpa e agride a história da única religião genuinamente brasileira. Veja o link : http://tinyurl.com/ydel5yk

Umbandaime é uma mistura de catolicismo com espiritismo, ritos africanos e misticismo dos povos da floresta Amazônica, uma fusão da Umbanda dos antigos escravos negros com o Santo Daime, dos seringueiros do Acre.  Nasceu na cidade de São Paulo, onde multidões de desesperançados parecem estar encontrando respostas do sobrenatural no sincretismo religioso afro-cristão-amazônico.  A nova religião está atraindo multidões de devotos para o seu templo na rua Brazópolis, 200, bairro Saúde, na Capital paulista – o Templo Sagrado Jesus de Nazaré São João Batista, próximo à estação São Judas do metrô.
A fundadora e líder espiritual da Umbandaime, é Dona Maria Natalina, que tem o título eclesiástico de Madrinha, e descende de uma estirpe de umbandistas, sendo ela própria Mãe de Santo há mais de 20 anos. Ela é filha de Pai de Santo, neta de Mãe de Santo.
Ela disse ter recebido no início de 2010 um recado da Protetora das Florestas e Rainha do Mar N.S. da Conceição,Yemanjá, quando fazia uma Miração do Santo Daime, avisando que o Dia do Juízo Final está chegando “mesmo.”
O Recado que a Madrinha da Umbandaime diz ter recebido de Iemanjá diz, em resumo que “Um Grande Estrondo se Ouvirá e será percebido por todos os seres vivos: humanos e animais irracionais”

A Umbanda é uma religião formada dentro da cultura religiosa brasileira que sincretiza elementos de outras religiões como o catolicismo, o espiritismo e as religiões afro-brasileiras.

O Santo Daime é uma cerimônia religiosa cristã que se caracteriza pela bebida de uma espécie de chá sacramental Ayahuasca, produzido a partir da decocção do cipó jagube ou mariri ( Banisteriopsis caapi )com as folhas do arbusto chacrona (Psychotria viridis).
A fundadora da Umbandaime é respeitada por uma congregação de pessoas de todas as classes sociais como dona de “grande sabedoria e conhecimento” e sensibilidade mediúnica.
Madrinha conheceu o Santo Daime há dez anos, no Acre, informa o site da Umbandaime (www.umbandaime.com), “quando reconheceu prontamente seu poder e sua origem divina, vindo a se fardar (ingressar ritualmente) no Céu de Maria (um templo do Santo Daime no Acre.)”
Seu principal mentor espiritual no Santo Daime foi o padrinho (título dado aos homens que se tornam líderes espirituais) Sebastião Mota de Melo, nascido no Seringal Monte Lígia em 1920, discípulo do Mestre Irineu (Raimundo Irineu Serra), fundador da confraria do Santo Daime.
O padrinho Sebastião,que faleceu em 1990, era um apóstolo do Santo Daime pois, que “recebeu do Mestre Irineu o dom de expandir o Culto do Santo Daime por todo o país e além de suas fronteiras” – diz o site da nova seita, até codifica a liturgia geral da nova seita e faz seus primeiros registros históricos.
Sebastião, o mentor da Madrinha da Umbandaime, é descrito como um místico que “desde cedo demonstrou propensão para fazer viagens astrais e ter visões dos seres encantados da floresta e foi no início de sua carreira religiosa, curador e rezador nos ermos do Vale do Juruá.”
Em 1974 mandou registrar sua entidade religiosa e filantrópica, denominada Cefluris –Centro Eclético da Fluente Luz Universal, do Acre, que existe até hoje.
Como a Umbandaime tem influência do Espiritismo, a “presença espiritual” de Sebastião Mota de Melo é citada  durante as cerimônias que a Madrinha preside. Sebastião é lembrado como um espírita “fervoroso” que introduzia no culto do Santo Daime a doutrina espírita de Allan Kardek.

A Madrinha da Umbandaime trabalha no que ela define como “linha espiritual da Umbanda com a consagração do Santo Daime, destinado a limpeza, desobsessão, cura física e espiritual.”
Todos os sábados a partir das 16 horas, a Madrinha atende “gratuitamente” no templo paulistano da rua Brazópolis pessoas interessadas “em limpeza e desobsessão” na linha da Umbanda.
No templo se informa que além do trabalho de desobsessão, (“muito necessário nos dias de hoje”), a Madrinha da Umbandaime joga búzios, cartas, “ministra passes”, e “realiza desenvovimento mediúnico” – além dos trabalhos do Santo Daime.
Sua doutrina se baseia no princípio cristão do amor ao próximo: “Para Deus nos atender, devemos rezar e pedir para todos os nossos irmãos, e não apenas para nós”
Ela diz que na Umbandaime “não há preconceitos e julgamento, pois, dentro da luz, esta tudo dentro do poder, pode ser branco, negro, índio”.
Acrescentando que “para Deus são todos seus filhos”, destaca que “o importante é sempre ter respeito, humildade e dedicação para estar sempre ao lado dos bons espíritos, recebendo suas orientações para seguirmos em nossa vida no caminho certo, cumprir nossa missão e aprender neste mundo a viver no próximo.”
A liturgia de uma missa católica, de uma sessão de Umbanda e de uma sessão do Santo Daime se misturam nas celebrações da Umbandaime. Assim como o sacerdote católico consagra o vinho erguendo a taça, assim a Madrinha ergue uma taça com o chá sacramental do Daime diante da congregação.
O sincretismo se completa com a adoção do hinário Ponto de Gira e o uso da farda do Daime, a roupa branca. Deus é constantemente invocado em meio a cantos, pregações e orações, mas – e aqui entra a influência das sessões espíritas que consideram o que caracterizam algumas seitas cristãs.
Uma das recomendações é exatamente a de que “durante o trabalho do Santo Daime se mantenha muita seriedade e concentração”, “é necessário que todos zelem pelo silêncio e pela harmonia do ambiente”.
A Umbandaime não pede dízimo mas, como a maioria, ou a totalidade das igrejas cristãs, pede também (mas, sem barulho) “uma contribuição mínima, para a manutençao e reforma do espaço e para o custeio da distribuição do Daime.”
As recomendações que a Umbandaime faz aos participantes são semelhantes as do Santo Daime, a começar pela exigência de pontualidade para o início do trabalho.
“Para aqueles que irão tomar o Daime pela primeira vez é imprescindível que cheguem com pelo menos uma hora de antecedência.
São três as recomendações básicas para quem quer participar de um trabalho do Santo Daime: 1 – Conduta ética coerente com o que a Doutrina prescreve em seus hinos. 2 – “Busca de uma reconciliação interna e com os irmãos, comos quais haja um desentendido”. 3 – Abstinência sexual 3 dias antes e depois de cada trabalho
Outras recomendações são: Não consumir bebidas alcólicas. Não ir para o trabalho com roupas vermelhas ou pretas; as mulheres devem usar saia longa, e os homens calça comprida.
É proibido fumar cigarros durante o trabalho. Lanches, bolachas, chocolates, etc, devem ser deixados para depois.

Em Porto Velho se sabe da existência da prática da umbanda desde 1917, quando Dona Chiquinha, Dona Esperança , Irineu dos Santos e Florêncio Paula Rosa teriam fundado a primeira tenda de Umbanda, no bairro que hoje se chama Mocambo.

Hoje existem vários templos de Umbanda e centros de consumo ritual da Ayahuasca,a bebida sacramental produzida a partir da decocção do cipó douradinho, jagube, mariri  ( Banisteriopsis caapi )com as folhas do arbusto chacrona (Psychotria viridis) , é utilizada em Porto Velho/RO por diversas entidades como a UDV – União do Vegetal , o CECLU – Centro Eclético de Correntes da Luz Universal – Santo Daime fundado nos anos 60, a Tribu´s Di Judha, o Elixir do Novo Milênio e outras linhas independentes.

No Acre seguem o ritual da ayahuasca o Alto Santo, criado pelo mestre Raimundo Irineu Serra , o Cefluris, a Rainha do Mar e a Barquinha e outras dissidências e convergências.

Em 2008 foi entregue ao então Ministro da Cultura Gilberto Gil o pedido de registro do uso da ayahuasca como patrimônio imaterial brasileiro. Se atribue ao seu uso ritualístico a inspiração para canções como “Se eu quiser falar com Deus”.

Veja o link : http://tinyurl.com/yl7f2b2

Não é de hoje que o uso do daime vem sendo radicalmente condenado por grupos que desejam sua inclusão como uma droga comum. No blog cienciaemdia.folha.blog.uol.com.br , do grupo editorial Folha de São Paulo publicado no dia 21 de março o assunto novamente vem à tona. Veja o blog : http://tinyurl.com/yjjfh6e

Em 29 de janeiro de 2010 foi divulgada a oficialização e a regulamentação  do Governo Brasileiro, após aprovação do CONAD para o uso ritualístico da ayahuasca.

A resolução, publicada no Diário Oficial da União  veta o comércio e propagandas do composto, que só poderá ser cultivado e transportado para fins religiosos e não lucrativos.

A norma coíbe o uso do chá com outras drogas e em eventos turísticos e  recomenda que as entidades façam uma entrevista com aqueles que forem ingerir o chá pela primeira vez e evitem seu uso por pessoas com transtornos mentais e por usuários de outras drogas.

Em 1985, a bebida chegou a ser proibida no País, mas liberada dois anos depois, quando estudos demonstraram a importância de seu uso religioso.

No início dos anos 90 houve nova tentativa de proibir o chá, também refutada. Em 2002, mais uma vez houve denúncias de mau uso do chá, o que gerou os estudos mais recentes.

Durante a primeira gestão do Governo Lula, as religiões ayahuasqueiras do Santo Daime, Barquinha e União do Vegetal (UDV) do Acre entregaram, através da Madrinha Peregrina Gomes Serra, dignitária do Centro de Iluminação Cristã Luz Universal – Alto Santo, centro daimista fundado por Irineu Raimundo Serra em Rio Branco /AC  um pedido ao então Ministro da Cultura, Gilberto Gil para que o Santo Daime fosse registrado como Patrimônio Imaterial da Cultura Brasileira, o  que está sendo analisado pelo IPHAN.

O governo peruano também recentemente publicou no Diário Oficial do País, o El Peruano , através do Presidente do Instituto Nacional de Cultura, Javier Ugaz Villacorta o reconhecimento do ritual da ayahuasca como patrimônio cultural do Peru.

Agora, é esperar prá ver o posicionamento das entidades ayahuasqueiras e umbandistas sobre o assunto e principalmente se prospera na proximidade da floresta o sincretismo que a selva de concreto permitiu em São Paulo.

Sincretismo religioso na floresta e na metrópole.

Atualizado com informações do blog betobertagna.com, Revista Momento, noticiaRo.com e site umbandaime.com.br

2 pensou em “Umbandaime, a nova religião brasileira na selva de concreto

  1. jose

    Acredito que todo o agrupamento humano que trabalha em prol do próximo, seguindo as palavras do verdadeiro mestre do planeta terra “Jesus Cristo”, esteja no caminho do bem. No entanto, não entendo porque juntar Santo Daime e Umbanda… a Umbanda trabalha segundo a orientação das Santas e Benditas almas (preto velhos, Caboclos e meninos de Angola), juntamente com as falanges que ajudam no bem (ciganos, marinheiros, baianos, etc…) sobre a proteção dos Orixás (incluindo os Exús e bombogiras!). Cada médium que trabalha na Umbanda desenvolve sua parte de acordo com o compromisso firmado antes da reencarnação atual e com seu nível de mediunidade definido. Assim tem médiuns com a missão de dar a passividade aos guias (incorporação) outros atuam como cambonos (ajudantes dos guias nas sessões no terreiro). Como esta mediunidade é definida pré-encarnação e os guias sabem como deve ser o trabalho de cada um, PORQUE tomar alguma substância para aumentar a sensibilidade ou ter visões dos planos espirituais… se fosse para ter visões destes planos ou contatos mais próximos dos guias, os próprios guias forneceriam esta faculdade… Isso eu falo dentro da Umbanda e não critico o trabalho realizado no Santo Daime. Entretanto, como umbandista (sigo a Umbanda do Caboclo das 7 encruzilhadas – sem cortes de animais, cobranças de trabalhos, jogos de buzios e outros elementos que são das religiões afrodesdentes), não acho necessário misturar estas linhas, pois pode resultar em muitas confusões dos adeptos mais desavisados e curiosos de plantão… No mais, os trabalhos dos guias da Umbanda precisam apenas do comprometimento real dos médiuns no bem… nada mais. Um saravá de Umbanda a todos.

    Responder
  2. Camila

    “A fundadora e líder espiritual da Umbandaime, é Dona Maria Natalina”

    Desculpa, irmão, mas o “fundador” da Umbandaime foi o próprio Padrinho Sebastião.

    😉

    Responder

Daí, o que você acha disso ?

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.